AGROPRCUARIA

Produção agropecuária registra valor de R$ 514,4 bi em junho

Projeções

Lavouras de cana-de-açúcar, café, milho e soja representam 70% do total; valor é o terceiro maior de uma série iniciada em 1989

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) referente ao mês de junho ficou em R$ 514,4 bilhões, 3% mais baixo que o registrado no mesmo mês de 2015, que chegou a R$ 530,4 bilhões. No entanto, é o terceiro maior valor de uma série iniciada em 1989.

As lavouras de cana-de-açúcar, café, milho e soja representam 70% do VBP deste ano, projeção calculada pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Os produtos que vêm obtendo melhor desempenho no ano são banana (29,8%), trigo (29,7%), batata-inglesa (21,2%), cacau (13,6%), café (12,3%), maçã (11,9%) e feijão (5,9%). Segundo a análise da pesquisa, embora o aumento do VBP da soja tenha sido de apenas 0,7%, o grão tem peso de 34,4% na composição do valor.

“O comportamento desses produtos pode ser atribuído principalmente aos preços alcançados por alguns deles. Os demais têm tido um bom desempenho devido à combinação de preços e produtividade”, analisa José Garcia Gasques, coordenador-geral de Estudos e Análises da SPA.

Lavouras e pecuária

As lavouras apresentam queda de 2%, e a pecuária, 4,9%. Entre os produtos que apresentam valor da produção real mais baixo que em 2015 destacam-se algodão herbáceo (-6%), laranja (-13%), mandioca (-14,9%), arroz (-15,4%), uva (-15,9%), fumo (-27%) e tomate (-47,9%).

Na pecuária, formada pelo faturamento de bovinos, suínos, frango, leite e ovos, observa-se que todos esses componentes estão em posição mais desfavoráveis. As maiores quedas no VBP podem ser notadas em suínos (-12%) e leite (-11,7%). De acordo com o estudo, os preços mais baixos neste ano são a principal causa desse comportamento.

Como a variação do valor da produção é composto pelas variações na área, produtividade e preços, os efeitos da seca e do excesso de chuva que afetaram várias lavoras, incidiram principalmente sobre a produtividade. “Foi acentuado o efeito da queda de produtividade de diversos produtos como algodão, arroz, feijão, milho, soja, maçã, uva e outras. Nessas lavouras, o impacto da redução de produtividade foi, em geral, mais forte que os impactos dos preços e da variação da área”, afirmou.

Os valores por região mostram, como em relatórios anteriores, que em 2016 o Sul lidera a classificação do VBP com R$ 150,6 bilhões, seguido do Centro-Oeste (R$142,6 bilhões), Sudeste (R$137 bilhões), Nordeste R$ 45,1 bilhões) e Norte (R$ 29,8 bilhões). Na classificação das Unidades da Federação, Mato Grosso, São Paulo, Paraná e Minas Gerais são os que apresentam os maiores valores da produção neste ano.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Agricultura 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s