AGRICULTURA

Produtores de soja do RS poderão renegociar dívidas

Agricultura

Medida do Conselho Monetário Nacional foi tomada em função das adversidades climáticas que provocaram danos a lavouras
Publicado: 29/07/2016 11h10Última modificação: 29/07/2016 12h03

O Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou, nesta quinta-feira (28), a prorrogação de operações de crédito rural de custeio, contratadas na safra 2015/2016 e com parcelas vencidas ou a vencer em 2016, para produtores do Rio Grande do Sul. A medida vem em função das adversidades climáticas ocorridas em vários municípios do Estado, que provocaram diversos danos às lavouras.

A renegociação se aplica às operações de crédito rural cujos recursos tenham sido destinados à produção de soja em municípios onde tenha sido decretada situação de emergência ou Estado de calamidade pública, em decorrência de alagamento, chuvas intensas, enxurradas, inundações e vendavais a partir de 1º de setembro de 2015, com reconhecimento pelo Ministério da Integração Nacional.

Para a formalização da renegociação, é obrigatória a apresentação de laudo técnico que comprove as perdas, assinado por profissional habilitado, com a apresentação do respectivo registro de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) junto ao conselho profissional competente.

ECONOMIA

Governo aumenta limite de financiamento para obras da Rio 2016

Olimpíada

Obras aumentaram de escopo e precisam de mais recursos para conclusão. Medida foi tomada pelo Conselho Monetário Nacional
Tomaz Silva/Agência BrasilMedida vai permitir terminar obras de mobilidade para as Olimpíadas

Medida vai permitir terminar obras de mobilidade para as Olimpíadas

O governo ampliou em R$ 800 milhões o limite municipal para contratação de financiamento para empreendimentos de infraestrutura associados à realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

A decisão foi tomada, na tarde desta quinta-feira (28), durante a reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), formado por Ministério da Fazenda, do Planejamento e Banco Central.

A alteração, segundo o Ministério da Fazenda, foi solicitada pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro visando à contratação de operação de crédito junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) na linha definida para as Olimpíada e Paralimpíada.

A prefeitura quer custear obras como BRT Transbrasil, VLT do Rio, duplicação do Elevado do Joá, ligação Transolímpica-Transbrasil, entornos do Parque Olímpico, Engenhão e outras. A Fazenda informou ainda que essas obras estão em estágio avançado, mas há um descompasso entre os cronogramas de execução e financeiro.

“Isso aconteceu porque algumas delas passaram por aumento de escopo e alongamento dos prazos de execução, provocando a necessidade de reajustamento dos valores a serem desembolsados pelo município”, explicou o ministério por meio de uma nota. Com essa medida, o limite para financiamento passa de R$ 12,6 bilhões para 13,4 bilhões.

Brasil comemora dia do agricultor

Data comemorativa

Data celebra os 156 anos do Ministério da Agricultura. Cadeia do agronegócio representa 46,2% das exportações totais do Brasil
Foto: Dênio Simões/Agência BrasíliaData lembra, também, inauguração da primeira estrutura do Ministério da Agricultura, ainda no Império de D. Pedro II

Data lembra, também, inauguração da primeira estrutura do Ministério da Agricultura, ainda no Império de D. Pedro II

Há 156 anos, foi inaugurada a primeira secretaria de governo do Brasil voltada para coordenação e controle da produção agrícola.

Foi somente em 1930, contudo, que o Brasil passou a ter um Ministério da Agricultura. Em 1960, Juscelino Kubitschek aproveitou o centenário da pasta para instituir o dia do agricultor como todo dia 28 de julho.

“O Mapa e o agricultor são indissociáveis, e cada um cumpre um papel essencial para a sociedade e a economia do País. Neste dia, saudamos os nossos produtores e os servidores do ministério, sem os quais o País não seria esta potência agrícola que é hoje”, diz o ministro interino Eumar Novacki.

Parceria

Ao longo dessas mais de 15 décadas, a parceria entre o Mapa e os agricultores contribuiu para garantir alimentos na mesa dos brasileiros e excedentes para exportação.

Segundo lembra Novacki, a cadeia produtiva do agronegócio no País “representa 46,2% das exportações totais do Brasil e 21,5% dos Produto Interno Bruto (PIB)”.

Novacki destaca o “incentivo à atividade agrícola por meio do estabelecimento e revisão de normas legais, da manutenção e ampliação de mercado, do financiamento à produção, do estímulo à pesquisa e à inovação tecnológica, da garantia da sanidade animal e vegetal e da colaboração à organização das cadeias produtivas”.

Setor agropecuário se compromete a ajudar na recuperação da economia

Crescimento

Produtores rurais pretendem expandir negócios para continuar a abastecer o mercado interno
Foto: Elza Fiúza/Agência BrasilMostruário de frutas trazidas por agricultores de diversos estados foi exposto na Esplanada dos Ministérios

Mostruário de frutas trazidas por agricultores de diversos estados foi exposto na Esplanada dos Ministérios

O vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), José Mário Shreiner, afirmou, na manhã desta quinta-feira (28), que os produtores rurais estão dispostos a ajudar o governo a retomar o crescimento do País. Shreiner e o presidente da CNA, João Martins da Silva Junior, reuniram-se com o presidente em exercício, Michel Temer, e apresentaram uma pauta com 10 pontos para o setor se expandir e continuar a abastecer o mercado interno.

Entre as demandas estão maior segurança jurídica para o produtor, política agrícola equilibrada, política agrícola plurianual, incremento do seguro rural e ampliação da assistência técnica. Segundo Shreiner, essas reivindicações ajudariam a fortalecer a economia brasileira.

“Sem dúvida nenhuma, nós estamos dispostos a trabalhar juntos ao governo federal, com os vários ministérios que estão ligados mais a nossa área para que a gente possa, através dessa ação, desses pontos que foram colocados, estar ajudando cada dia mais o nosso País a se recuperar principalmente da grave crise que passamos.”

Shreiner também destacou a participação da agropecuária no superávit da balança comercial acumulado em R$ 3,8 bilhões em julho e a facilidade do setor em se recuperar de crises.

“O setor agro, ele é um setor que, se todos nós olharmos para ele, cuidarmos dele, sem dúvida nenhuma, os resultados virão e virão de uma forma muito rápida. Com três, quatro, cinco meses, você já começa a ver esse retorno. Nós temos de procurar diminuir essa fila de desemprego, e a agricultura oferece toda condição para que isso possa ocorrer.”

Nesta quinta-feira é comemorado o Dia do Agricultor. Para comemorar a data, a CNA expôs, na Esplanada dos Ministérios, uma mesa com 240 metros de comprimento e 18,8 toneladas de frutas. Os alimentos foram distribuídos para quem passava pelo local.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s