Saúde

Exercícios aumentam probabilidade de sobreviver após enfarte

A prática de exercícios físicos ao longo da vida aumenta em 40% a probabilidade de uma pessoa sobreviver a um enfarte. Esta é a conclusão de um estudo da Universidade John Hopkins, publicado no jornal especializado Mayo Clinic Proceedings. Segundo a pesquisa – que contou com a participação de cientistas do Sistema de Saúde Henry Ford, também nos Estados Unidos – quanto maior for a escala de aptidão da pessoa, maior é a probabilidade de sobreviver a um ataque cardíaco.
O estudo – Para a investigação, foram analisados 70.000 pacientes, que realizaram, entre 1991 e 2009, um teste ergométrico. Do total, os cientistas focaram numa amostra de 2.061, que corresponde ao número de participantes que sofreram um ataque cardíaco após o teste. Para medir a aptidão física dos participantes, os investigadores recorrem ao equivalente metabólico, que varia de um (sentado) a 12 (corrida). Nesta escala inclui-se ainda números referentes à caminhada, à corrida e ao salto à corda, outras atividades cardiovasculares. Depois de cruzarem os dados, os investigadores norte-americanos concluíram que os pacientes com melhor pontuação (entre 10 a 12) tinham uma maior probabilidade (40%) de sobreviver um ano após o ataque cardíaco.
Exercício e coração – Um estudo da Universidade de Newcastle comprovou, no ano passado, que um regime de sessões curtas mas de exercício intenso conseguem reparar danos relacionados com o sistema cardíaco em apenas 12 semanas. Também em 2015, uma investigação do Centro de Cancro de Vanderbilt-Ingram, em Nashville (Estados Unidos) revelou que a atividade física na adolescência é crucial para a boa saúde na idade adulta. (N. ao Minuto)

20 dicas que os homens precisam saber

Atenção meninos! 
Prestem atenção nas dicas abaixo… são básicas, mas de grande importância. De nada!
1. Somos curiosas, então não joguem indiretas e deixem o assunto no ar… fineza, concluir!
2. Não tentem explicar uma traição para uma mulher… no manual dela, esta é uma situação que não tem explicação, nem desculpas.
3. Aprendam que adoramos elogios… sempre e em qualquer situação.
4. Homens que vivem de dieta são chatos… tem que ser saudável, mas não neurótico.
5. Jeans e camiseta branca, sempre será um look sucesso.
6. Gostamos de naturalidade, portanto não queiram parecer inteligentes demais, competentes demais ou exibidos demais.
7. Queremos saber sobre vocês, mas odiamos homens que só falam de si mesmo e se elogiam o tempo inteiro.
8. Também listamos os homens como “pra casar” e “só pra pegar”.
9. Cueca tem que ser branca, preta, cinza ou de cores neutras… vermelha só se ela pedir, ok?
10. Adoraaaaamos beijar.
11. Sempre vamos gostar de receber flores… isso não muda. Principalmente fora de datas especiais. Surpreenda!
12. Mulheres fingem orgasmo, isso é fato… depois dos 30 elas ficam bem mais sinceras.
13. Da mesma forma que vocês, babamos por um corpo bonito… mas os músculos precisam ser na medida certa. Sem exageros!
14. Homem que não se cuida, é feio… não gostamos de desleixados.
15. Se você não é um Cauã Reymond, entenda que não será tão fácil conseguir uma Grazi Massafera. Aceita que dói menos.
16. Adoramos homens decididos que já sabem onde nos levar para jantar.
17. Carinho faz parte das nossas necessidades básicas, então parem de nos chamar de carentes e façam o seu trabalho: cafuné, beijinhos e abraços, ganham pontos.
18. Quando temos algum problema, queremos ser ouvidas e entendidas… usar expressões como: “que besteira” ou “ta sofrendo por isso?”, fará você parecer um idiota sem sentimentos.
19. Também não achamos que DR é a melhor coisa do mundo, mas a comunicação é uma ferramenta essencial em qualquer convivência. Nenhuma relação sobrevive a: “depois falamos sobre isso”, “não quero discutir esse assunto” ou “amanhã esclarecemos tudo”.
20. Consideramos o respeito como algo fundamental! Não importa se você é marido, namorado ou ficante… um cavalheiro sabe como não pisar nos sentimentos de uma mulher.

Doze causas da dor durante as relações sexuais

Tem dores durante a relação sexual? Saiba o que pode ser.A revista Cosmopolitan consultou o ginecologista Francis Helber, de São Paulo, para entender as causas possíveis da dor que algumas pessoas sentem durante o ato sexual. Eis doze possibilidades:

1. Tomar anticoncepcionais. As hormonas reduzem a sua lubrificação, por isso a vagina fica naturalmente mais seca. Para ter mais conforto durante a relação sexual pode usar lubrificantes.
2. Escassez de preliminares. Além de ajudarem a criar um ambiente propício para o sexo, é neste momento que o corpo vai produzir naturalmente a lubrificação. Para evitar dores durante a penetração não ‘pule’ esta parte.
3. Infecção fúngica. Este tipo de infecção provoca mais coceira do que dor, mas como altera o PH da vagina pode inflamar o tecido vaginal e provocar dor durante a penetração. Não tenha relações sexuais até a infecção passar.
4. Clamídia. Esta doença sexualmente transmissível pode provocar inflamação e cicatrizes que tornam o sexo desconfortável. Além disso, é uma doença que pode passar despercebida uma vez que não apresenta sintomas. Consulte um médico e faça o teste – e até lá pare de ter relações sexuais.
5. Se está inchada. Se está com prisão de ventre ou com o período menstrual quase aparecendo é provável que fique mais inchada e que o sexo se torne desconfortável. Beba muita água e urine antes de fazer sexo.
6. A posição não está agradável. A inclinação do útero pode afetar o seu nível de conforto durante o sexo. Mude de posição, tente ficar por cima, para ter mais controle em termos de profundidade e ângulo de penetração.
7. Endometriose. É quando as células que normalmente revestem o útero (responsáveis pelo sangramento durante a menstruação) começam a crescer noutros locais – como nas trompas. No caso da endometriose, o sintoma durante o sexo é uma dor dentro da barriga. Consulte o seu médico para que ele possa fazer o diagnóstico e aconselhar o melhor tratamento.
8. Se está grávida. Quanto mais próxima estiver a data do parto, mais pesado o útero fica – deitada, o peso pode comprimir um grande vaso sanguíneo provocando desconforto e dores. Evite deitar-se de barriga para cima, especialmente durante o sexo.
9. Se faz spinning. A sua aula de spinning pode estar fazendo pressão sobre os nervos da vulva, que pode provocar desconforto ou dor na hora do sexo – especialmente se você se senta de forma incorreta na bicicleta. Use um banco ou shorts leves para aliviar a pressão.
10. Se está amamentando. A amamentação diminui os níveis de estrogênio e faz com que os tecidos vaginais fiquem mais delicados. Use um lubrificante durante o sexo.
11. Vaginismo. Este espasmo ou aperto involuntário dos músculos vaginais torna a penetração dolorosa, se não impossível. “O tratamento geralmente é feito através de terapias, quando o trauma é psicológico”, por isso é sempre aconselhável procurar um médico, destaca o Dr. Francis Helber.
12. Se a última relação sexual foi muito ‘agressiva’. Quando o sexo é mais agressivo do que o normal a sua vagina pode sofrer as consequências, deixando-a muito sensível para a próxima relação. Faça uma pequena pausa nas relações sexuais até melhorar e não se esqueça do lubrificante.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s