PAIS E AS NOTICIAS

Ao citar gravação de Calero, ministro da Justiça fala em “boato”

“Isso vai ser apurado, se é que realmente as gravações foram feitas”

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, afirmou nesta sexta-feira (25) que serão apuradas as informações divulgadas pela imprensa de que o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero teria gravado conversa que teve com o presidente Michel Temer e integrantes do governo. “Há os boatos sobre se há ou não gravação, isso vai ser apurado para verificar em que condições foram feitas, se é que realmente foram feitas”, disse em entrevista a jornalistas após participar de evento do PSDB no auditório da Câmara dos Deputados.

Alexandre de Moraes informou que o depoimento de Calero foi encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF) que abriu vistas para a Procuradoria-Geral da República. “O procurador-geral da República vai analisar se vai ou não insistir nesse pedido de abertura de inquérito”, disse.

Ao citar gravação de Calero, ministro da Justiça fala em "boato"
Ao citar gravação de Calero, ministro da Justiça fala em “boato”

Em nota, divulgada hoje (25), o ex-ministro Marcelo Calero nega ter marcado audiência com o presidente Temer para gravar a conversa. “A respeito de informações disseminadas, a partir do Palácio do Planalto, de que eu teria solicitado audiência com o presidente Michel Temer no intuito de gravar conversa no Gabinete Presidencial, esclareço que isso não ocorreu. Durante minnha trajetória na carreira diplomática e política, nunca agi de má-fé ou de maneira ardilosa. No episódio que agora se torna público, cumpri minha obrigação como cidadão brasileiro que não compactua com o ilícito e que age respeitando e valorizando as instituições”.

O ministro da Justiça ainda afirmou que o depoimento de Calero à Polícia Federal deixa claro que Temer não pressionou Calero em favor de interesses de Geddel Vieira Lima, que hoje (25) deixou a Secretaria de Governo.

Calero conversou com Temer sobre suposta pressão que teria sofrido por parte de Geddel para liberar a construçãode um edifício de alto padrão em Salvador no qual Geddel teria adquirido um imóvel. O empreendimento foi embargado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) por estar localizado em área tombada como Patrimônio Cultural da União.

“Basta ler o depoimento que está em todas as redes sociais para ver que o presidentesimplesmente indicou ao ministro Calero que, se achasse o caso, consultasse a AGU [Advocacia-Geral da União], tanto que o próprio ministro entendeu por bem não consultar”, disse Alexandre de Moraes.

Calero pediu demissão na sexta-feira (18) e, na quarta-feira (23), prestou depoimento à Polícia Federal quando disse que o presidente Michel Temer o havia “enquadrado” e sugerido uma saída por meio da Advocacia-Geral da União para o caso. Por meio do porta-voz Alexandre Parola, Temer disse que buscou “arbitrar conflito” entre ministros e negou que teria pressionado Calero por uma saída do caso.

Com Agência Brasil.

Governo Temer enfrenta protestos em 14 Estados

Sputnik

Milhares de manifestantes saíram às ruas de 14 Estados nesta sexta-feira, 25, contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que limita os gastos do governo por 20 anos. As manifestações reuniram entidades representativas de servidores públicos, professores, estudantes, petroleiros, metalúrgicos e trabalhadoras da constução civil.

Os protestos — também contra a reforma trabalhista e a reforma do ensino médio — aconteceram no Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Sergipe, São Paulo e Rio de Janeiro. Em vários estados, as marchas interdiram vias, rodovias, fecharam alguns terminais de ônibus e houve paralisação de serviços públicos.

Em Paulínia, no interior de São Paulo, petroleiros atrasaram em quatro horas o início do turno de trabalho na Refinaria Presidente Bernardes e no terminal Pilões da Transpetro, em Cubatão. O terminal Alemoa, em Santos, também teve as atividades prejudicadas pela manifestação. Em São Paulo, as manifestações não se limitaram apenas aos espaços públicos. Foram registradas diversas manifestações de metalúrgicos em indústrias e empresas em São José dos Campos. A categoria realizou mobilizações na General Motors, TI Automotive, Ericsson, Gerdau, Parker Filtros, Hitachi, Avibras e Latecoere, entre outras. Na GM, os trabalhadores saíram em passeata pela marginal da Rodovia Presidente Dutra, anunciando que o dia foi de aquecimento para a greve geral que acontecerá em 2017.  A produção teve atraso de uma hora.

“Temos que fortalecer nossa luta contra as reformas do governo Temer. A construção da greve geral será decisiva para conseguir derrubar todos os ataques desse governo contra os trabalhadores”, disse o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Antônio Ferreira de Barros.

Em todas as fábricas, as manifestações tinham como principais bandeiras o fim da PEC 55, contra a terceirização e as reformas trabalhista e da Previdência e pela redução da jornada de trabalho. Os trabalhadores da produção da Avibras, em Jacareí, realizaram uma paralisação de três horas. Na Gerdau e TI Automotive, os trabalhadores também atrasaram a produção em uma hora, reafirmando que não aceitam os abusos do governo.

“Não podemos deixar que esse governo e Congresso Nacional corruptos, que buscam se salvar das delações da Odebrecht, consigam arrancar nossos direitos. Precisamos parar o país e pôr o povo na rua. Vamos aproveitar a crise política e moral deles para construir uma alternativa dos trabalhadores”, ressaltou Luiz Carlos Prates, o Mancha, da CSP-Conlutas.

Na Latecoere, em Jacareí, os trabalhadores que estão em greve desde terça-feira, 23, também aderiram ao Dia Nacional de Paralisações. Na região, além dos metalúrgicos também aconteceram mobilizações de outras categorias, como petroleiros, servidores municipais, químicos e vidreiros.

STF arquiva inquérito sobre Roseana Sarney e Edison Lobão

Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki aceitou hoje (25) pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e arquivou o inquérito em que a ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney e o senador Edison Lobão (PMDB-MA) são acusados de lavagem de dinheiro e corrupção na Operação Lava Jato.

Ontem (24), em uma petição enviada ao Supremo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse ao ministro que não há provas para justificar o prosseguimento da investigação.

A investigação foi iniciada em março de 2015 para apurar declarações do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. Em depoimento de delação premiada, Costa afirmou que a campanha eleitoral de Roseana em 2010 teria recebido R$ 2 milhões de propina, valor que teria sido solicitado por Edison Lobão e pago pelo doleiro Alberto Youssef.

Após o pedido de arquivamento, o advogado de Roseana e de Lobão, Antônio Carlos de Almeida Castro, comemorou o parecer da PGR e disse que, desde o começo das investigações, a ex-governadora sempre se colocou à disposição para prestar esclarecimentos.

“Esse arquivamento, embora tardio, resgata, nesse ponto de vista, a verdade. Para Roseana, que ficou sendo investigada desnecessariamente, é uma vitória. Este era o único inquérito em que Roseana era investigada. Embora a demora nas investigações tenha causado um enorme prejuízo pessoal e político, para Roseana a Lava Jato é uma página do passado”, disse o advogado.

Confiante em retomada, Itália traz empresários ao Brasil

Missão empresarial reuniu mais de 50 companhias em São Paulo

Demonstrando otimismo com a retomada da economia brasileira e com os efeitos das reformas promovidas pelo governo de Michel Temer, mais de 50 empresas italianas se reuniram nesta sexta-feira (25), em São Paulo, para discutir oportunidades de negócios no Brasil para os próximos anos, com o apoio do Ministério das Relações Exteriores da Itália.

Ao todo, o “Fórum Brasil-Itália” reuniu 500 executivos, entre brasileiros e italianos, que analisaram as possibilidades de investimentos e oportunidades de negócios nos setores de energia, agronegócio, comunicação e tecnologia.

A missão de empresários, a maior realizada pela Itália no mundo em 2016, foi presidida pelo vice-ministro do Desenvolvimento Econômico do país europeu, Ivan Scalfarotto, e iniciada na última quinta-feira (24), em São José dos Campos, com uma série de workshops voltados para o setor aeroespacial.

Já nesta sexta-feira, em São Paulo, o evento contou com representantes da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), Pirelli, Barilla e da estatal de energia ENEL, entre outras companhias italianas. Do lado brasileiro, o Banco do Brasil e o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão relataram aos executivos italianos as oportunidades de investimentos no país.

Scalfarotto, que mostrou empolgação com os sinais de abertura ao capital externo dados por Temer, disse à ANSA que o Brasil passa pelo mesmo momento de reformas que a Itália conduziu ao longo dos últimos dois anos com o primeiro-ministro Matteo Renzi.

“Tanto a Argentina quanto o Brasil estão dando sinais de abertura depois de um período de fechamento. Como somos um país que pode exportar qualidade, excelência e tecnologia, estamos interessados em ser parte desse processo”, declarou.

Sem citar o nome da ex-presidente Dilma Rousseff, o vice-ministro também ressaltou que Temer tem demonstrado uma “vontade política que não aparecia no governo anterior” e promovido iniciativas “encorajadoras”, como o Programa Crescer, que pretende reformular o modelo de concessões e privatizações no Brasil.

“Desde 2004 um vice-ministro de Comércio Exterior da Itália não vinha ao Brasil”, disse. “Maior transparência nos procedimentos e maior clareza sobre os prazos e tarifas são elementos concretos que tornam mais simples a chegada de capital externo”, explicou Scalfarotto.

Apesar dos sinais que Temer tenta dar ao mercado externo, a diretora-geral no Brasil da Italian Trade Agency (ITA), Erica Di Giovancarlo, promotora da missão, disse que foi necessário um trabalho de convencimento para que algumas empresas italianas acreditassem que esta é a hora certa para apostar no no Brasil.

“Foi um desafio organizar esse fórum neste momento. Havia alguma resistência na Itália, dizia-se que o Brasil ainda não tinha começado sua retomada. Mas havia outra parte muito forte, dizendo que deveríamos fazer”, afirmou, garantindo que o próprio primeiro-ministro Renzi fez questão que o evento ocorresse.

“O governo [italiano] apoiou muito, as empresas seguiram, e agora esperamos os resultados. Fizemos missões em vários países, mas essa representou o maior desafio de todos”, acrescentou a diretora da ITA.

Em 2015, as trocas comerciais entre as duas nações somaram 7 bilhões de euros, uma queda de 10% em relação a 2014. Além disso, de acordo com Scalfarotto, as exportações italianas ao Brasil caíram quase 25% no ano passado, e os oito primeiros meses de 2016 mostram que o sinal ainda não se inverteu.

“Queremos com essa iniciativa trazer de volta a grande atenção sobre o Brasil na Itália e sobre a Itália no Brasil. Hoje foi um ótimo ponto de partida”, declarou o Embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, em entrevista à ANSA.

Segundo a Confederação Geral da Indústria Italiana (Confindustria), há mais de mil indústrias italianas atuando no Brasil, que empregam cerca de 140 mil pessoas e possuem um faturamento conjunto de 30 bilhões de euros por ano.

“O Brasil é um pedaço da Itália no mundo, representa no exterior mais do que uma região italiana”, disse a vice-presidente da Confindustria, Licia Mattioli. “Há um consenso de que o pior da crise já passou para os dois países, e acreditamos em um futuro brilhante juntos”, acrescentou.

Nova fase

Desde a metade do ano, há um claro esforço da Itália para reforçar suas relações com o Brasil, principalmente no âmbito comercial. De agosto para cá, já passaram pelo país o premier Matteo Renzi, a ministra para as Reformas Constitucionais, Maria Elena Boschi, o subsecretário do Ministério das Relações Exteriores, Vincenzo Amendola, e o vice-ministro Scalfarotto.

“São sinais importantes, porque nesses últimos quatro ou cinco meses houve muitas visitas, o que não acontecia havia anos. Efetivamente, abriu-se um novo momento”, declarou Erica Di Giovancarlo, da ITA. A mesma opinião é compartilhada pelo Embaixador italiano. “Os dois governos querem melhorar o funcionamento de sua economia, temos dois sistemas produtivos que podem trabalhar juntos”, afirmou.

Já Scalfarotto disse que, em curto prazo, o objetivo da missão é retomar o diálogo comercial. “O Brasil, apesar da crise, representa um oportunidade de investmento importante, pelo seu capital humano, pelo ajuste fiscal que foi votado pelo Parlamento, e nós já passamos por todas essas reformas”, completou o vice-ministro.

ESPORTE NO BRASIL E NO MUNDO

Trump apoia Los Angeles 2024, diz diretor de campanha

O prefeito de Los Angeles também falou do apoio do presidente

O diretor geral da candidatura da cidade norte-americana de Los Angeles para os Jogos Olímpicos de 2024, Gene Sykes, afirmou nesta sexta-feira, dia 25, que o futuro presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vitorioso nas eleições de 8 de novembro, “será o primeiro fã” do projeto.

“Não há nenhuma dúvida de que Donald Trump ame os Jogos Olímpicos e que, por isso, será o primeiro fã da candidatura de Los Angeles 2014”, afirmou Sykes durante o fórum “Paz e Esporte”, nos EUA. O empresário disse que o republicano “dará muito apoio” à campanha de candidatura “mostrando ao país que seu novo líder apoia essa iniciativa”. “Eu diria que Trump é um autêntico defensor do movimento olímpico nos Estados Unidos”, afirmou o norte-americano que comentou que já recebeu “apoio e proteção do presidente eleito”. “Recentemente recebi um email de um membro do nosso comitê de comunicação e ficou claro que o novo presidente apoia plenamente e torce para que Los Angeles conquiste os Jogos”, disse Sykes. O organizador também ressaltou que o apoio de Trump será fundamental para que a cidade consiga derrotar Paris, Budapeste e outras concorrentes à sede olímpica de 2024.

Além disso, nesta quinta-feira (24), Connie Llanos, a porta-voz do prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, disse que o líder do município e o futuro mandatário falaram por telefone sobre o apoio à candidatura e sobre obras de infraestrutura na cidade. Se for escolhida, Los Angeles sediará o evento esportivo pela terceira vez, após as edições de 1932 e 1984. O anúncio da cidade que receberá as Olimpíadas acontecerá em setembro do ano que vem em Lima, no Peru, pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Renato define Grêmio com apenas um titular para enfrentar o Santa Cruz

Após o importante resultado conquistado nesta quarta-feira, ao vencer o Atlético Mineiro, em pleno Mineirão, no primeiro jogo da final da Copa do Brasil, o Grêmio já está com todas as atenções voltadas para o jogo deste final de semana, contra o já rebaixado Santa Cruz, no Recife, pelo Campeonato Brasileiro. No entanto, Renato Gaúcho preferiu escalar uma equipe com apenas um titular: Pedro Rocha.

Ao lado de Alexandre Mendes, Renato comandou o último treino da equipe antes da viagem para a capital pernambucana. O trabalho tático foi responsável por definir a escalação dos gaúchos diante do Coral.

Buscando poupar os jogadores que entraram em campo pelo torneio mata-mata e dar oportunidade para outras peças, o treinador gremista optou por Pedro Rocha ser o único titular entre os escalados. O atacante brilhou contra o Galo, mas foi expulso e ficará de fora da partida decisiva, no dia 30 de novembro.

Do restante, Marcelo Grohe, Edílson, Kannemann, Pedro Geromel, Marcelo Oliveira, Walace, Maicon, Ramiro, Douglas e Luan, todos titulares no meio de semana, não foram sequer relacionados para a penúltima rodada do Brasileirão.

Desta forma, os 11 atletas que saem jogando contra o Santa, neste domingo, são: Léo; Wallace Oliveira, Rafael Thyere, Wallace Reis e Iago; Guilherme Amorim, Kaio, Negueba, Miller e Pedro Rocha; Henrique Almeida.

Confira a lista de relacionados do Tricolor para o próximo compromisso:

Goleiros: Dida e Léo

Laterais: Iago, Lovat, Wallace Oliveira e Wesley

Zagueiros: Denilson, Rafael Thyere e Wallace Reis

Volantes: Arthur, Guilherme Amorim, Kaio e Moisés

Meias: Lincoln, Miller, Tontini e Ty

Atacantes: Batista, Guilherme, Henrique Almeida, Negueba, Pedro Rocha e Tilica.

“Para mim, a saída de Marcelo é indiferente”, dispara Rafael Carioca

Indiferença. Assim o volante Rafael Carioca tratou a demissão do técnico Marcelo Oliveira, na tarde dessa quinta-feira, comunicada pelo treinador e pelo próprio presidente. O meio-campista garante que o elenco montado foi para ser campeão e destacou a desorganização da equipe em campo.

“A saída dele, neste momento importante, uma final na semana que vem, brigando no brasileirão, é difícil de analisar, o presidente montou elenco de qualidade, ele tem qualidade para suas escolhas. É desigual. A gente tem o Diogo que tem muita qualidade, eu já trabalhei com ele. Para mim, a saída do Marcelo é indiferente”, disse o volante.

O camisa 5, chamado há até pouco tempo para a seleção do técnico Tite, começou a ser criticado pelo futebol pouco convincente nos últimos jogos. O volante lamenta ter perdido espaço e avalia que o grupo inteiro sai prejudicado com o time desorganizado em campo.

“Alguém pensou não é (risos)”, disse Carioca ao ser questionado se a desorganização da equipe de Marcelo Oliveira tinha o prejudicado. “Difícil, a gente vir aqui falar dessas coisas, quando você pega um time desorganizado, você vai correr, vai pensar e nada vai ter de qualidade. Quando você pega um time organizado, ninguém corre muito, ninguém se cansa muito, você corta caminho, acredito que eu não pude fazer o que fiz ano passado por causa da equipe não ter encaixado, faltou alguma coisa, quando tem time organizado todo mundo sobressai, hoje o Atlético está no G4 e tem gente que questiona jogadores. É o que falei, os três jogos as coisas vão mudar, todo mundo contente de poder voltar a treinar assim”, acrescentou.

Rafael ainda garantiu que os últimos jogos da temporada, restando uma partida pela Copa do Brasil e duas pelo Brasileirão, serão diferentes, com outra postura em campo.

“Conversamos muito com Diogo e com presidente, ele pediu para ter força neste momento, lutar. Perdemos jogando mal, é hora de refletir, criar forças, renovar o ânimo, vai chegar o treinador novo, vai rever as escolhas e ter força neste momento. Principalmente para nós jogadores, foi montado elenco para ganhar títulos, terminar o ano sem títulos é difícil, pelo menos a gente tem que começar pelo jogo do São Paulo, precisamos melhorar, todos nós, na quarta-feira entrar com sangue nos olhos, podemos perder, ninguém é imbatível, todo mundo tem que tirar um pouco de força a mais, acho que agora temos que dar a vida”, finalizou.

Atlético Nacional empata com Cerro e pega Chape na final

A Chapecoense conheceu seu adversário na decisão na Copa Sul-Americana na noite desta quinta-feira. Em Medellin, o Atlético Nacional empatou sem gols com o Cerro Porteño e se classificou para a final do torneio, já que conseguiu o placar de 1 a 1 no Paraguai.

O primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana está marcado para a próxima quarta-feira, na Colômbia. Como a Conmebol exige um estádio com pelo menos 40 mil lugares para a decisão, a Chapecoense não poderá usar a Arena Condá – o time ainda decide entre Arena da Baixada, Couto Pereira, Beira-Rio e Arena do Grêmio.

Um dos clubes mais populares da Colômbia, o Club Atlético Nacional, fundado em 1947, possui dois títulos da Copa Libertadores (1989 e 2016). Já a Associação Chapecoense de Futebol, aos 43 anos, se prepara para disputar a primeira decisão internacional de sua existência.

Com o Estádio Atanasio Girardot completamente lotado por sua torcida, o Atlético Nacional criou a melhor oportunidade do primeiro tempo. Aos 34 minutos, após uma saída errada do Cerro Porteño, Berrio recebeu de Macnelly Torres e tentou driblar Anthony Silva, mas o goleiro conseguiu ficar com a bola.

Precisando de um gol para evitar a eliminação na semifinal, o Cerro Porteño quase inaugurou o marcador aos 19 minutos da etapa complementar. Beltran recebeu livre de Dominguez e bateu forte para uma grande defesa do goleiro Franco Armani.

Na tentativa de marcar, o Cerro Porteño acabou se expondo e viu sua missão ficar ainda mais complicada aos 38 minutos do segundo tempo. Em uma jogada de contra-ataque, Berrio recebeu em velocidade no rumo do gol e foi derrubado por Riveros, que acabou expulso. Em superioridade numérica, o time da casa soube como segurar a vaga.

Antes de enfrentar o Atlético Nacional na final da Sul-Americana, a Chapecoense entra em campo para participar da 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. Às 17 horas (de Brasília) de domingo, no jogo que pode definir o campeão nacional, o time catarinense enfrenta o Palmeiras, no Palestra Itália.

Depois de Neymar, Justiça pede 10 anos de prisão para Eto’o

Ex-jogador do Barcelona é acusado de fraude fiscal

O Ministério Público espanhol (MP) solicitou a prisão do atacante Samuel Eto’o por 10 anos nesta quinta-feira (24) por supostos crimes fiscais cometidos entre 2006 e 2009, período em que jogava no Barcelona. 

De acordo com o jornal “El País”, o jogador teria armado um esquema com seu empresário na época, José Maria Mesalles, para conseguir pagar menos impostos por seus direitos de imagem.

Eto’o teria sonegado cerca de 3,5 milhões de euros (aproximadamente R$12,5 milhões) A justiça alega que Eto’o teria utilizado duas empresas para gerir seus rendimentos, que deveriam ter sido tributados como rendimentos de capital em suas declarações de imposto de renda, mas que o jogador não declarou.

A procuradoria numerou os valores fraudados durante os quatro anos em 504 mil euros, 1.283 milhão de euros, 1.138 milhão de euros e 946.9 mil euros, respectivamente, e pediu a condenação do jogador e de seu empresário por 10 anos e meio de prisão, além do pagamento de uma multa de até 14 milhões de euros.

O jogador camaronês de 35 anos chegou a acusar o empresário de manejar seu dinheiro sem consentimento, enquanto Mesalles tem afirmado que Eto’o estava ciente de todas as movimentações realizadas. Eto’o, que atua no Antalyaspor, da Turquia, não é o único a ser indiciado por fraude fiscal.

Na última quarta-feira (23), a Procuradoria da Audiência Nacional da Espanha pediu uma pena de dois anos para o atacante brasileiro Neymar por corrupção nos contratos que levaram a sua aquisição pelo Barcelona.

VOU GIRANDO NO BRASIL COM AS NOTICIAS DO DIA.

Dinheiro no mar: polícia investiga e pescadores afirmam ser propina

Na semana em que o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, foi preso acusado de comandar um esquema de arrecadação de propina que desviou mais de 220 milhões de reais de contratos públicos do estado, notas de dinheiro começaram a aparecer boiando, no mar da Urca, na capital fluminense.

Um semana depois, a Polícia Federal divulga gravações de conversas de parentes do ex-governado que indicam destruição de provas do esquema de corrupção.

“Lembra que falei que o Rodrigo estava na casa dele semana passada? Ele falou: fui levar uns negócios que ele pediu, mas depois mandou que levasse de volta, que não era pra ficar nada lá”, diz trecho da conversa entre Fanny Maia – tia de Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral -, e o marido dela, Ricardo Maia.

As informações foram mais do que suficientes para levar os moradores da cidade a uma simples conclusão: “É a maior lavagem de dinheiro de todos os tempos”, brincam os pescadores, acreditando que os amigos de Sérgio Cabral teriam dado um jeitinho nada convencional para se livrar do dinheiro ilícito.

A quantidade de notas é tanta que a Polícia Civil começou a fazer diligências para investigar a origem do dinheiro. Enquanto isso, pescadores e mergulhadores não perdem tempo e, ao mesmo tempo em que comentam acreditar que o dinheiro foi jogado dos iates ancorados no clube ao lado, seguem com a caça ao “tesouro”.

O oceanógrafo David Zee é um deles. “Existem várias fontes de lançamento, a murada ou as embarcações. Esse dinheiro não foi perdido sem querer. Do esgoto, não veio, estaria embolado. Isso foi um grande pacotão de dinheiro lançado no fundo do mar e que aos poucos começou a se desmanchar nas águas”, analisa, reforçando a chance de alguém perder tanto dinheiro e não reclamar é nula.

Roberto Pereira, de 42 anos, disse ao Extra ter encontrado mais de R$ 40 mil. “Eram quatro pacotes de R$ 10 mil. Tinha muita nota rasgada boiando também”, conta ele, mostrando a reforma que fez no seu barco, graças ao dinheiro que achou.

“Consegui pegar R$ 1,9 mil. Fui no banco e as notas são verdadeiras. Algumas estavam presas com elástico e com marcas de grampo”, comemorou o também pescador Magno Felipe Pereira, de 23 anos.

Apelidada de “Píer do Cabral”, a ponte em cima do Quadrado da Urca vive lotada de curiosos. Alguns até se arriscam a entrar no mar. “Vai ajudar nas compras de fim de ano”, planejava a “caçadora do tesouro Érica Dionísio, de 23 anos.

O CALOTE AFFFFFFFF.

Collor pode perder seu Lamborghini por atraso no pagament

O Lamborghini Aventador do ex-presidente e atual senador Fernando Collor: alx_brasil-carros-collor-20150714-02_original.jpeg© image/jpeg alx_brasil-carros-collor-20150714-02_original.jpegFamoso pelo gosto por carros esportivos e de luxo desde sua época como presidente da República, o atual senador Fernando Collor poderá ter seu Lamborghini Aventador roadster novamente apreendido. Motivo: atraso no financiamento.

Economia Rico e presidente dos EUA, Trump é fã de carros; veja a coleção

O carro teria sido adquirido em 2014 em nome de uma empresa ligada ao ex-presidente, chamada de Água Branca. Segundo o banco Bradesco, o valor do automóvel na época era de 3,2 milhões de reais. Metade foi paga no ato, em dinheiro vivo, e o restante financiado em 60 parcelas mensais de 39.300 reais cada.

A CARTA SAIO OU NÃO SAIO?

Veja a íntegra da carta de demissão de Geddel

Carta de demissão: Geddel decidiu sair do governo depois de denúncia feita pelo ex-ministro Marcelo Calero: whatsapp-image-2016-11-25-at-11-07-49-amO ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) pediu demissão nesta sexta-feira (25) por meio de uma carta enviada por e-mail ao presidente Michel Temer (PMDB).

A saída ocorreu depois da criseinstaurada pela denúncia de tráfico de influência feita pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero (PSDB-RJ) na semana passada.

Segundo fontes entrevistadas por EXAME.com, o ministro deixou a pasta com o objetivo de evitar que a crise se alastre pelo governo peemedebista.

Veja a íntegra da carta enviada pelo ex-secretário de Governo a Temer:

BRAZIZIZIZIZIZIZIL

Acusação de Calero sobre pressão de Temer coloca governo do PMDB na corda Bamba

O depoimento do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero à Polícia Federal que expôs pressão do presidente Michel Temer para que a pasta resolvesse o problema pessoal do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, agravou a crise do governo.

A Procuradoria Geral da República recebeu o depoimento de Calero e avalia se pedirá ao Supremo Tribunal Federal abertura de inquérito contra Geddel. Já a oposição fala em pedir o impeachmentdo presidente. Vice-líder do PT, Paulo Pimenta (RS), dispara: “Isso é passível de impeachment”.

O pedido de imepachment já estudado por integrantes do Partido dos Trabalhadores, caso seja identificado crime de responsabilidade. O discurso da gravidade da postura do presidente é endossado pelo líder da Rede, Alessandro Molon (RJ). “Se confirmar, a denúncia é extremamente grave”, emendou.

Outro lado

Temer confirma a conversa com Calero, mas nega pressão. Porta-voz da presidência, Alexandre Parola afirmou que o presidente “sempre endossoucaminhos técnicos para solução de licenças em obras ou ações de governo”.

O presidente disse estranhar a afirmação do ministro de que “o presidente o teria enquadrado ou pedido solução que não fosse técnica”.

De acordo com o jornalista Kennedy Alencar, a Polícia Federal informou ao Ministério da Justiça que o ex-ministro gravou os encontros.

Revelações

À Polícia Federal, Calero disse que o presidente pediu para ele construir uma saída para que o processo fosse encaminhado à Advocacia-Geral da União, porque a ministra Grace Mendonça teria uma solução. Disse ainda que o presidente afirmou que “a política tinha dessas coisas, esse tipo de pressão”.

Entenda o caso

O empreendimento de luxo do La Vue Ladeira da Barra, pivô da demissão de Calero, foi embargado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), no último dia 16. Segundo o ex-ministro, assim que assumiu o comando da Cultura passou a ser pressionado por Geddel para elaborar outro parecer.

“Então você me fala, Marcelo, se o assunto está equacionado ou não. Não quero ser surpreendido com uma decisão e ter que pedir a cabeça da presidente do Iphan”, afirmou Calero à Folha de S.Paulo.

“Uma situação como essa, de um ministro ligar para outro ministro pedindo interferência em um órgão público para que uma decisão fosse tomada em seu benefício, não é normal e não pode ser vista assim. Não é normal”, afirmou ao Estado de S.Paulo.

Calero afirmou ainda que o ministro disse ter comprado o imóvel “com a maior dificuldade”. A unidade é avaliada em R$ 2,5 milhões.

Geddel reconhece a compra do imóvel e que tratou sobre o assunto com Calero, mas nega conflito de interesses. “É uma situação absolutamente tranquila e serena. Tratei o ministro Calero com transparência, com tranquilidade, com serenidade”, disse ao HuffPost Brasil no sábado (19).

LEIA TAMBÉM:

– Folha: Ex-ministro da Cultura acusa Temer de pressioná-lo a resolver problema pessoal de Geddel

– Janaina está decepcionada com Temer por ele ‘passar a mão’ na cabeça de ministro

– Integrante da Comissão de Ética indicado por Temer trava processo contra Geddel

Apartamento de Geddel:

MEU BRASIL VARINIL

Comissão de Ética mantém processo contra Geddel mesmo após demissão

O presidente da Comissãodolarde Ética da Presidência, Mauro Menezes, informou nesta sexta-feira que o processo contra o agora ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima continua correndo, mesmo com sua demissão do cargo.

“É prerrogativa de qualquer autoridade pedir demissão. Isso não constitui ter havido por parte do ministro um desvio ético. Mas o processo tem continuidade e permanece sob exame estando a autoridade no cargo ou não”, disse Menezes.

Com a demissão do cargo, no entanto, o poder de punição da comissão se restringe a ficar como uma “mancha ética” no currículo.

“Não podemos dizer que alguém não pode continuar na vida pública, apenas deixamos registrado que uma autoridade tem em seu currículo determinada avaliação quanto ao seu comportamento ético. E hoje no Brasil isso tem valido muito”, defendeu Menezes.

A Comissão de Ética decidiu na semana passada, por unanimidade, abrir um processo depois das denúncias do ex-ministro da Cultura de que Geddel o teria pressionado para mudar uma decisão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e liberar um empreendimento em Salvador onde o ministro tem um apartamento.

Apesar de Calero ter citado, em seu depoimento à Polícia Federal, também o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o chefe da assessoria jurídica do órgão, Gustavo Vale Rocha, Menezes informou que a Comissão não abrirá processos sobre nenhuma outra autoridade.

“Não existe sinalização de que venhamos abrir processo contra outra autoridade citada. A comissão é muito criteriosa. Não basta uma citação em qualquer depoimento ou denúncia para que a comissão abra de pronto o processo, mas fica sempre atenta”, disse Menezes.

A próxima reunião da comissão foi remarcada do dia 14 para o dia 15 de dezembro. Geddel ainda não enviou sua defesa, o que pode fazer até o dia 1º. de dezembro.

 

Nosso Site e de Integra Veracidade nas Informações e Noticiarios