NASA

A Black Brant IX sounding rocket was launched 175 miles high early Friday morning, Jan. 27, 2017, from the University of Alaska Fairbanks’ Poker Flat Research Range to study levels of nitric oxide in the atmosphere as part of the Polar Night Nitric Oxide Experiment (PolarNOx). “The aurora creates nitric oxide, but in the polar night there is no significant […]

via NASA’s Launching Rockets in Alaska to Study Ozone-Killing Compounds — Lights in the Dark

MEXICO DIZ NÃO AOS ESTADOS UNIDOS

Peña Nieto “lamenta e reprova” ordem de Donald Trump para construção de muro

México, .- O presidente do México, Enrique Peña Nieto, disse na quarta-feira que lamenta e reprova a decisão do presidente americano, Donald Trump, de ordenar a construção de um muro na fronteira entre os países, e reiterou que o México não pagará essa barreira.

“Lamento e reprovo a decisão dos Estados Unidos de continuar a construção de um muro que, há anos, ao invés de nos unir, nos divide. O México não acredita nos muros. Já disse várias vezes, que o México não pagará nenhum muro”, disse em mensagem transmitida pela TV.

Além disso, disse ter ordenado para que o Ministério de Relações Exteriores reforce as medidas de proteção aos mexicanos que estiverem nos Estados Unidos. “Os 50 consulados nos Estados Unidos se transformarão em autênticas defensorias dos direitos dos imigrantes”, explicou.

“Nossas comunidades não estão sozinhas, o governo do México vai proporcioná-los aconselhamento jurídico que lhes garantam a proteção necessária. Apelo aos legisladores e organizações da sociedade civil que unem esforços para apoiá-los”, disse.

O presidente afirmou que “onde houver um imigrante mexicano em risco que requer nosso apoio, deve estar lá o seu país” e acrescentou que ele como presidente assume “plenamente a responsabilidade de defender e cuidar dos interesses do México e dos mexicanos”.

Ele ressaltou que as ordens executivas assinadas por Trump relativas ao México “ocorrem em um momento em que nosso país está iniciando conversas para negociar as novas regras de cooperação, comércio, investimento, segurança e imigração na região da América do Norte”.

Esta negociação, ele explicou, “é muito importante para a força, confiança e futuro da nossa economia e da nossa sociedade”.

Peña Nieto disse que com base no relatório final das autoridades mexicanas que se encontram em Washington, “e em consulta com representantes do Senado e da Conferência Nacional de Governadores”, tomará decisões sobre os próximos passos.

“O México oferece e exige respeito, como a nação plenamente soberana que somos. O México reafirma sua amizade com o povo dos Estados Unidos e sua vontade de chegar a um acordo com seu governo. Acordos que sejam em favor do México e dos mexicanos”, disse.

Peña Nieto não comentou os diversos pedidos que aconteceram nas últimas horas para que cancele sua visita aos EUA onde seria recebido pelo presidente americano, programada para a próxima terça-feira, nem também não falou sobre alguma mudança de plano.

DIAS COO BARÃO

Eike é alvo de mandado de prisão na Lava Jato

Eike Batista: empresário não estava em casa no momento da operação da PF: original_eike-batista.jpg© image/jpeg original_eike-batista.jpgO empresário Eike Batista é alvo de um mandado de prisão na Operação Eficiência, da Polícia Federal, no Rio de Janeiro.

Segundo a GloboNews, a PF foi até a casa do empresário na manhã desta quinta-feira (26), mas ele não estava.

O advogado do empresário informou à GloboNews que Eike estaria viajando, mas que vai se entregar à polícia assim que voltar. Os policiais cumprem mandados de busca e apreensão na casa do empresário.

Eike é acusado de receber vantagens indevidas na gestão do ex-governador Sérgio Cabral, que já foi preso na Lava Jato.

Foram emitidos nove mandados de prisão preventiva e quatro conduções coercitivas na 2ª fase da Operação Calicute.

De acordo com a GloboNews, até as 6h30 um mandado de prisão já tinha sido cumprido contra Flávio Godinho. Ele é acusado de ocultar e lavar o dinheiro das propinas recolhidas de empreiteiras que faziam obras públicas no Rio.

Entre os alvos dos mandados de prisão também estão Sérgio Cabral, Wilson Carlos e Carlos Miranda, todos já presos.

Os de condução coercitiva miram Maurício de Oliveira Cabral Santos, irmão do ex-governador, e Suzana Neves Cabral, ex-mulher de Sérgio Cabral.

AÇÃO OU DITAÇÃO DE PODER

Trump assina ordem executiva para contrução de muro com México

© 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta quarta-feira (25) um decreto sobre o reforço do controle migratório que contém a diretiva para iniciar a construção de um muro na fronteira com o México. Ele defendeu a decisão, afirmando que “uma nação sem fronteiras não é uma nação”.

“O secretário de Segurança Interna, trabalhando em conjunto comigo e com a minha equipe, começará imediatamente a construção de um muro na fronteira. Precisamos muito”, disse o presidente.

A construção do muro constitui uma das propostas mais polêmicas da campanha eleitoral de Trump, que insiste que de alguma forma o México terá que pagar pela obra.

O decreto assinado por Trump se refere, em geral, ao reforço do controle na fronteira e, segundo o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, inclui medidas para a criação de mais instalações de detenção de imigrantes na zona fronteiriça.

Também veta a libertação de imigrantes ilegais presos e mantém a prioridade de deportação para os que tiverem antecedentes criminais.

Spicer disse que a construção do muro “não é apenas uma promessa de campanha, mas um primeiro passo de sentido comum para assegurar nossa fronteira porosa”.

Sem fundos para as “cidades santuários”

O presidente também assinou nesta quarta um segundo decreto que propõe o reforço da vigilância migratória no interior do país.

De acordo com Spicer, o governo “eliminará recursos federais para as chamadas ‘cidades santuários’ e cidades que dão abrigo a imigrantes ilegais”.

Tratam-se de cidades onde as autoridades se negam a prender e entregar para deportação imigrantes em situação irregular. Esses “santuários” chegam a 300 e estão espalhados por praticamente todo o país.

No início da manhã, durante declarações à emissora ABC, Trump havia dito que a construção do muro começará “logo que pudermos fazê-lo”, possivelmente nos próximos meses, ainda que tenha acrescentando que “seguramente o planejamento começará de imediato”.

Partes da fronteira já têm uma cerca e, inclusive, existem trechos com uma enorme barreira, mas Trump pretende cumprir sua promessa de campanha de fazer um “belo muro” em toda a extensão dos 3.200 quilômetros com o objetivo de frear a entrada de imigrantes ilegais.

Trump também disse à ABC que os Estados Unidos “receberão de volta o dinheiro (da construção do muro) em uma data posterior mediante qualquer transação que façamos com o México”.

A assinatura desse decreto coincide com a presença do ministro mexicano das Relações Exteriores, Luis Videgaray, em Washington, para preparar uma visita do presidente Enrique Peña Nieto, prevista para o fim de janeiro.

O ministro mexicano de Economia, Ildefonso Guajardo, também se encontra em Washington, e, ao embarcar rumo aos Estados Unidos, disse à imprensa que “há claríssimas linhas vermelhas que devem ser pintadas desde o início”.

Oposição mexicana pede cancelamento de reunião

Políticos de oposição no México pediram nesta quarta-feira ao presidente Enrique Peña Nieto que cancele sua visita a Washington – na próxima terça-feira (31) – diante da “ofensa” de seu homólogo Donald Trump de autorizar a construção de um muro ao longo da fronteira.

“É um ato que se manifesta com certa raiva”, considerou o senador Armando Ríos Piter, do Partido da Revolução Democrática, em comunicado.

Apesar da “boa disposição” por parte do governo mexicano de “ter um diálogo para uma negociação integral com os Estados Unidos, me parece que neste momento não há condições pertinentes”, acrescentou, ao pedir que Peña Nieto “cancele a reunião que tinha prevista”.

Consultado pela AFP, o porta-voz de Peña Nieto não fez comentários.

O anúncio de Trump “é algo insultante” para Videgaray, Guajardo, para o presidente do México “e para todos os mexicanos”, considerou Jorge Castañeda, chanceler do México durante o mandato do ex-presidente Vicente Fox (2000-2006).

Fraude, a nova polêmica

Trump começou nesta quarta-feira uma nova polêmica ao anunciar no Twitter que solicitará uma investigação sobre uma suposta fraude nas eleições presidenciais de novembro.

“Vou solicitar uma grande investigação sobre fraude eleitoral, incluindo as pessoas que estavam registradas para votar em dois estados, as que estão ilegais e, inclusive, as que estão mortas (algumas há muito tempo). Segundo os resultados, reforçaremos os procedimentos de votação”, escreveu.

A polêmica começou na terça-feira (24), quando Spicer disse em coletiva de imprensa que Trump estava convencido de que até cinco milhões de pessoas teriam votado ilegalmente.

“Acho que o presidente acredita há um tempo (que houve fraude) baseando-se em pesquisas e informações que possui”, declarou, acrescentando que Trump teve acesso a uma pesquisa que sugeria que 14% das pessoas que votaram “não eram cidadãos”.

Em 8 de novembro passado, Trump obteve 2,9 milhões de votos a menos que sua adversária, a democrata Hillary Clinton, no voto popular. No entanto, foi vencedor nos estados mais importantes para o colégio eleitoral.

Um dos mais influentes dirigentes do Partido Republicano, o senador John McCain, não escondeu seu desconforto com a atitude do presidente: “Não vejo nenhum indício ou evidência de que tenha havido fraude eleitoral”, afirmou nesta quarta.

PARTICIPE DA CONVERSA

A REVOLTA PRESIDENCIAL AMERICANA

Casa Branca pede respeito para com filho caçula de Donald Trump

Barron Trump com os pais, Donald e Melania Trump.© CARLOS BARRIA Barron Trump com os pais, Donald e Melania Trump.A Casa Branca divulgou nesta terça-feira uma nota pedindo que Barron Trump, o filho caçula de Donald Trump, seja mantido fora do foco da mídia que irá acompanhar o presidente ao longo dos próximos quatro anos. A mensagem foi lançada após as críticas e gozações dirigidas ao menino, de 10 anos de idade, desde que o pai foi eleito para dirigir os Estados Unidos.

Durante a posse de Trump, na última sexta-feira, e ao longo da campanha eleitoral, Barron foi motivo de brincadeiras nas redes sociais por causa das expressões de seu rosto, vistas por alguns como sendo de tédio ou de indiferença em meio aos eventos de que participou com os pais. Mas a mudança de tom assumida por uma roteirista do programa Saturday Night Live, da rede NBC, ao sugerir na sexta-feira que Barron se transformaria no “primeiro atirador escolar dentro de casa”, desencadeou a polêmica em relação ao respeito para com o filho do presidente.

Chelsea Clinton, filha do ex-presidente Bill Clinton e de sua mulher, Hillary Clinton, expressou apoio a Barron, mesmo sendo ele filho do concorrente de sua mãe na campanha presidencial. Chelsea, que passou a adolescência na Casa Branca, afirmou no Twitter que “Barron Trump merece ter a mesma oportunidade que todos: a de ser criança”.

Monica Lewinsky, a mulher que teve um caso com Clinton (quando ele estava no cargo e ela era uma estagiária) e conhece bem as pressões midiáticas da Casa Branca, também saiu em apoio a Barron. “Todas as crianças devem ser protegidas contra o assédio escolar e as gozações. Inclusive Barron Trump. Sejamos melhores do que isso”, escreveu ela no Twitter.

As filhas do ex-presidente Barack Obama, Malia e Sasha, tinham nove e seis anos respectivamente quando o pai chegou à presidência. Ao longo dos oito anos de mandato, não tiveram nenhum problema com os meios de comunicação, que mantiveram a distância, conforme a tradição de manter os menores fora do jogo político. No entanto, no caso de Trump, ele próprio foi alvo de piadas e paródias constantes que se estenderam a seu filho Barron. Com a mensagem enviada nesta terça-feira, a Casa Branca recoloca a necessidade do respeito aos filhos da família presidencial.

EMPREENDEDORES

10 histórias de empreendedores que você não conhece, mas deveria

São Paulo – Quando se pensa em empreendedorismo, vários nomes podem surgir na sua mente: Bill Gates, o criador da Microsoft; Elon Musk, que administra ao mesmo tempo a Tesla, a Solar City e a Space X; ou talvez Steve Jobs, o líder eterno da Apple.

Porém, grandes empreendedores podem estar em qualquer lugar – inclusive longe dos holofotes. Por isso, EXAME.com selecionou alguns donos de negócios que já obtiveram sucesso internacional, mas cujas histórias são pouco conhecidas pelos brasileiros.

Alguns dos empreendedores a seguir podem ser completamente novos para você. Ou você pode até conhecer os produtos ou serviços deles, mas não os seus nomes ou suas histórias. Veja, a seguir, quantos inovadores com trajetórias incríveis você conhece!

A RIQUEZA DO PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS

De onde vem a misteriosa riqueza de Donald Trump

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos (Getty Images)© Donald Trump, presidente dos Estados Unidos Durante a campanha, Donald Trump relutou em compartilhar qualquer informação sobre sua declaração de impostos, quebrando um protocolo de décadas entre candidatos presidenciais. Seus críticos dizem que ele temia mostrar que não é mais um bilionário, enquanto ele insiste ter superado a casa dos US$ 10 bilhões.

Nem uma coisa, nem outra. FORBES acompanha a movimentação da riqueza de Trump desde a estreia da lista FORBES 400, em 1982. Ora ele aparece no topo, ora na base da lista – e em grande parte da década de 1990, esteve fora do páreo. Mas sua fortuna é verdadeira.

Depois de 15 meses de dedicação sem precedentes, FORBES concluiu que ele é um homem de US$ 3,7 bilhões. Mas está US$ 800 milhões “mais pobre” em relação a 2015. A queda de seu patrimônio líquido deve-se, em parte, ao desaquecimento do mercado imobiliário da cidade de Nova York, particularmente em lojas e escritórios. Dos 28 bens ou categorias de bens analisados, 18 caíram de valor, incluindo a Trump Tower na Quinta Avenida. Sete ativos tiveram seu valor aumentado, incluindo o segundo edifício mais alto de São Francisco, na California Street. Um deles permaneceu estável. Para a campanha presidencial, Trump emprestou US$ 48 milhões do próprio bolso (que dificilmente receberá de volta) e doou US$ 7 milhões.

Apresentamos abaixo nossas estimativas de todos os bens tangíveis de Trump – não atribuímos um valor à sua “marca”.

1) TRUMP TOWER (Nova York)

Tipo: escritórios e lojas

A parte de Trump: 22.700 m²

Valor líquido: US$ 371 milhões

Esse arranha-céu envidraçado na Quinta Avenida marcou a chegada de Trump como um verdadeiro magnata de Manhattan. Porém, o empreiteiro que ele contratou em 1980 para demolir a então loja de departamentos Bonwit Teller premeditadamente empregou um pequeno exército de trabalhadores poloneses em situação irregular, que trabalharam à margem da lei, sem remuneração, em jornadas de 12 horas por dia, sete dias por semana. Trump passou anos nos tribunais. O Trump Tower vale US$ 159 milhões menos este ano, devido à queda de 20% na receita líquida operacional da torre e ao declínio de 8% nos preços dos imóveis em Manhattan. Trump mora na cobertura de três andares, que será avaliada separadamente.

26) DUAS RESIDÊNCIAS (Palm Beach, Flórida)

Tipo: bens pessoais

A parte de Trump: 100%

Valor líquido: US$ 14,5 milhões

27) 809 N. CANON DRIVE (Beverly Hills)

Tipo: bens pessoais

A parte de Trump: 100%

Valor líquido: US$ 9 milhões

28) ATIVIDADE DE GESTÃO E LICENCIAMENTO DE HOTÉIS TRUMP

ATIVIDADE DE GESTÃO E LICENCIAMENTO DE HOTÉIS TRUMP© Fornecido por Forbes Brasil ATIVIDADE DE GESTÃO E LICENCIAMENTO DE HOTÉIS TRUMPTipo: contratos de gestão e/ou licenciamento

A parte de Trump: 100%

Valor líquido: US$ 123 milhões

A empresa de gestão e licenciamento tem quase duas dúzias de estabelecimentos sob seu guarda-chuva. O conglomerado administra alguns hotéis e resorts, entre eles o Trump Vancouver. Outros, como o condomínio de luxo Trump Tower da Índia, limitam-se a pagar pelo uso do nome. Embora ele tenha fechado mais contratos de licenciamento de um ano para cá, FORBES reduziu o valor da carteira depois de várias fontes terem indicado que a receita de propriedades integrais como o Doral Miami e o Trump Las Vegas (divulgada nos documentos da Comissão Federal Eleitoral) não deve ser incluída na avaliação. FORBES já avalia esses bens separadamente e, este ano, subtraiu suas receitas estimadas para evitar duplicidade no cômputo.

 

OS CARROES DO PASSADO

Carros que deixaram saudades

CARRÕES DO ANO

Veja as estrelas que brilharam no Salão de Detroit de 2017

01-Capa© Fornecido por Garagem 360 01-CapaPrimeiro grande evento automobilístico do ano, o Salão de Detroit fechou suas portas no último domingo (22). Porém, a mostra exibiu grandes lançamentos e diversos conceitos, além de veículos já consagrados no mercado. Confira nessa galeria especial do Garagem360 todos os destaques da edição de 2017 do salão.

STF

Cármen Lúcia consulta ministros sobre relatoria da Lava Jato

Cármen Lúcia decidirá sobre a escolha do novo relator no STF: A ministra Cármen Lúcia A ministra Cármen LúciaTerminado o período de luto oficial pela morte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, a presidente da corte, Cármen Lúcia, iniciou nesta segunda-feira consultas informais aos colegas ministros sobre o futuro da Operação Lava Jato no STF. O presidente Michel Temer já anunciou que só escolherá o nome do novo ministro que irá compor a Corte após a definição do Supremo sobre o novo relator da investigação sobre a Petrobras.

Em conversas reservadas, a ministra busca uma solução consensual para encontrar um substituto para relatar os processos da operação, que estavam sob a responsabilidade de Teori, morto na semana passada em um acidente de avião em Paraty (RJ).

Além de procurar alguns ministros informalmente, Cármen Lúcia foi ao gabinete de Teori conversar com servidores e os juízes auxiliares do relator sobre o andamento do processo de homologação das delações de executivos da empreiteira Odebrecht. Segundo os assessores, a análise dos depoimentos está avançada. Teori estava prestes a homologar as delações e a decisão estava prevista para fevereiro.

Cármen Lúcia também se reuniu com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Oficialmente, ele foi “prestar condolências” à presidente da corte. Nos bastidores, Janot tem revelado preocupação com o futuro da Lava Jato e principalmente com a homologação das delações da Odebrecht, que se encontram em compasso de espera.

Relatoria

Além de resolver a questão emergencial sobre a retomada do andamento da Lava Jato, a presidente do STF precisa decidir sobre a redistribuição das ações a outro integrante da corte. No entanto, ainda há dúvidas se a distribuição será feita entre todos os integrantes do STF ou somente entre os ministros da Segunda Turma, colegiado do qual Teori fazia parte. O regimento interno do Supremo autoriza as duas possibilidades.

Nos bastidores, ministros do STF mostram opiniões distintas sobre o assunto. Há parte que defende que o novo relator da Lava Jato deve ser definido em um sorteio entre todos os integrantes da corte. Há ainda uma corrente que entende que o sorteio deve ser restrito à Segunda Turma. Outros ministros avaliam que o regimento da Corte indica que o revisor do caso é que deve assumir as ações. Neste caso, o revisor da Lava Jato na Segunda Turma é Celso de Mello. Já no plenário é o ministro Luís Roberto Barroso.

 

Nosso Site e de Integra Veracidade nas Informações e Noticiarios