Audiências começam às 9h30, na Justiça Federal, em Curitiba.

Henrique Meirelles será ouvido no processo de Lula.

O juiz federal Sérgio Moro fala durante Fórum Criminal Nacional de juízes federais em São Paulo (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)O juiz federal Sérgio Moro ouve testemunhas em casos de Lula, Palocci e Cabral (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

O juiz federal Sérgio Moro vai ouvir testemunhas em três processos diferentes da Operação Lava Jato, nesta sexta-feira (10). As ações penais que terão audiências têm, entre os réus. o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro Antônio Palocci e o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral.

Os trabalhos começam às 9h30, no processo em que o ex-ministro Antônio Palocci é réu. As testemunhas a serem ouvidas foram arroladas pela defesa do ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), que também é citado no processo. Além dos dois, o ex-presidente do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, faz parte do rol de denunciados.

Essa ação penal, que inclui ainda outras 12 pessoas, é derivada da 35ª fase da Operação Lava Jato. Segundo o MPF, Palocci teria recebido vantagens indevidas para ajudar a Odebrecht a fechar um negócio com a Petrobras.

Pouco depois desse processo, Moro volta a ouvir testemunhas no processo em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado de receber um apartamento tríplex, no Guarujá, litoral paulista, como suposto pagamento de propina por parte da empreiteira OAS. Nesta audiência, Moro deverá ouvir o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles e o ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan. Ambos foram arrolados pela defesa do ex-presidente. A audiência está marcada para as 10h30.

No período da tarde, a 13ª Vara Federal de Curitiba volta a analisar a ação penal envolvendo o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral. A partir das 14h, Moro vai ouvir os depoimentos de duas testemunhas de acusação, arroladas pelo MPF. Uma delas é o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, um dos primeiros delatores da Operação Lava Jato.

Nesse processo, Cabral é acusado de receber propina por parte da construtora Andrade Gutierrez, durante a realização das obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro, da Petrobras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s