O BRASIL TA SEM RUMO POLITICO

Ato contra Temer em Brasília tem confronto; prédios da Esplanada são evacuados

Ministérios foram depredados. PM estimava 35 mil manifestantes até as 15h50; CUT contabilizou público de 200 mil pessoas durante todo o dia.

Manifestantes colocam fogo em prédio do Ministério da Agricultura em Brasília

Manifestantes colocam fogo em prédio do Ministério da Agricultura em Brasília

Houve depredações e confronto entre a polícia e manifestantes em um protesto em Brasília nesta quarta-feira (24). Grupos colocaram fogo em parte dos ministério da Agricultura, do Planejamento e da Cultura. Servidores de todo os ministérios receberam ordens de evacuar os prédios por volta das 15h30. A PM atirou balas de borracha e gás lacrimogênio, enquanto manifestantes atiravam pedras e tentavam avançar em direção ao Congresso.

Os manifestantes pedem a renúncia do presidente Michel Temer e criticam as reformas trabalhista e da Previdência. Às 15h50, havia cerca de 35 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios, segundo a PM. Segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), 200 mil pessoas passaram pelo protesto durante todo o dia.

Quatro pessoas foram detidas e uma ficou ferida por arma de fogo, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal. Um dos presos é um professor do Espírito Santo que estava acompanhado da filha, menor de idade. Três dos detidos portavam entorpecentes e arma branca, segundo a Polícia Militar.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, informou que Temer decretou a “ação de garantia da lei e da ordem” na Esplanada dos Ministérios e, com isso, as Forças Armadas passarão a reforçar a segurança na região.

Por causa do tumulto, boa parte dos manifestantes começou a deixar a Esplanada dos Ministérios por volta das 16h15.

Manifestantes que protestam nesta quarta-feira contra as reformas e pela renúncia do presidente Michel Temer colocaram fogo no prédio do Ministério da Agricultura, em Brasília. Carros do Corpo de Bombeiros, Samu e caminhão pipa já estão no local para controlar a situação. Enquanto bombeiros se aproximam, manifestantes jogam pedaços de pau e uma pessoa se feriu no rosto (Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)

Computadores foram quebrados no Ministério da Cultura (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Danos a ministérios

Nesta tarde, vários atos de vandalismo foram registrados ao longo da Esplanada dos Ministérios. Houve incêndio no Ministério da Agricultura. Equipes do Corpo de Bombeiros foram ao local e informaram que o fogo foi extinto por volta das 16h15.

Também foram danificados os prédios da Fazenda, Minas e Energia, Planejamento e Turismo, além do Museu da República e Catedral Metropolitana. Fachadas foram pichadas com palavras de ordem como “fora, Temer” e “diretas já”.

Grupos também quebraram vidraças e refletores. Pastas e documentos foram retirados dos ministérios da Cultura e do Meio Ambiente, que dividem o mesmo prédio. Objetos também foram queimados em frente ao Ministério da Saúde.

Ministério do Planejamento é alvo de vandalismo e incêndio durante ato na Esplanada

Ministério do Planejamento é alvo de vandalismo e incêndio durante ato na Esplanada

Ministério da Agricultura foi alvo de depredação (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Ministério da Agricultura foi alvo de depredação (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Inteiror do Ministério da Cultura após depredação (Foto: Yasmin Perna/G1)

A confusão começou por volta das 14h, quando ativistas de rostos cobertos tentaram furar o cordão de revista policial, montado pela PM entre a rodoviária do Plano Piloto e a Esplanada dos Ministérios. Houve corre-corre, e os manifestantes conseguiram furar o bloqueio, entrando na área da manifestação com hastes de bandeiras, materiais explosivos e perfurantes. Segundo Polícia Militar, grupos levavam estilingues para atirar pedras contra policiais.

Imagens feitas no local mostram uma série de pessoas sendo imobilizadas e carregadas pelos policiais.

Vidro quebrado no Ministério da Fazenda, em Brasília, durante ato contra Michel Temer (Foto: Alexandro Martello/G1)

Manifestantes soltam bomba de fumaça na N1, no Eixo Monumental, durante ato contra governo Temer (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Manifestantes soltam bomba de fumaça na N1, no Eixo Monumental, durante ato contra governo Temer (Foto: Letícia Carvalho/G1)

O início do ato

O protesto foi convocado por centrais sindicais e ativistas políticos e divulgado em redes sociais. Até o meio-dia, os organizadores não informavam estimativa de público. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do DF, o ato reunia 25 mil pessoas no entorno do estádio Mané Garrincha até as 11h30.

Nova Central Sindical dos Trabalhadores se reúne no estacionamento do estádio Mané Garrincha em ato contra o governo de Michel Temer  (Foto: Beatriz Pataro/G1)

Nova Central Sindical dos Trabalhadores se reúne no estacionamento do estádio Mané Garrincha em ato contra o governo de Michel Temer (Foto: Beatriz Pataro/G1)

Ônibus chegaram ao estacionamento do estádio Mané Garrincha na noite de terça-feira (23) e manifestantes reunidos pela Força Sindical montaram acampamento próximo a Funarte e a Torre de TV. O presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos, Paulo Cayres, disse que a reunião de manifestantes em Brasília tem um forte peso.

“Estamos vindo mostrar que não concordamos com o que está sendo feito pelo governo. Não concordamos com as reformas, queremos eleições diretas e poder discutir sendo também sujeito do processo.”

Integrantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em ato contra Michel Temer no estacionamento do Mané Garrincha (Foto: Beatriz Pataro/G1)

Integrantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em ato contra Michel Temer no estacionamento do Mané Garrincha (Foto: Beatriz Pataro/G1)

De acordo a Força Sindical, vieram 41 ônibus de Santa Catarina, 51 de Goiás, 40 do Mato Grosso do Sul e 160 de Minas Gerais. Na Torre de TV e próximo a Funarte, a Polícia Militar estima 300 ônibus de várias localidades. A organização afirmou que as viagens estão sendo custeadas pelas centrais sindicais de cada estado.

Há manifestantes de diversas cidades de São Paulo, Minas Gerais e Goiás. A liderança da Força Sindical informou que há cerca de 1,8 mil sindicatos representados. O Diretor Nacional de Educação Sindical Nova Central, disse que até às 10h, 6 mil pessoas estavam em Brasília representando a entidade.

“A intenção é demarcar contrariedade, rejeição à medida que tira direito dos trabalhadores.”

Alguns manifestantes carregam caixões para representar a morte dos direitos. Participantes da Força Sindical colocam faixas de “Fora Temer” e “Nenhum direito a menos” sob os caixões. O diretor financeiro do Sindicato dos Mototáxis de Brasília, Rubens de Almeida, informou que 120 motociclistas participam do ato.

Manifestantes carregam caixão pela Esplanada dos Ministérios, onde fazem concentração para ato contra reformas do governo Temer (Foto: Beatriz Pataro/G1)

Manifestantes carregam caixão pela Esplanada dos Ministérios, onde fazem concentração para ato contra reformas do governo Temer (Foto: Beatriz Pataro/G1)

Agentes penitenciários também carregam faixas contra a reforma da Previdência. Para o servidor Jairo César Rodrigues, o governo conseguiu unir as centrais sindicais. “Esse governo conseguiu unir as centrais em um só objetivo o que não aconteceria há muitos anos.”

Na manhã desta quarta, a Polícia Militar fiscalizou 53 ônibus ligados à Central Única dos Trabalhadores, vindos de Goiânia e do Pará. Segundo os policiais, foram recolhidas pedras, canos de PVC, hastes de madeira e um facão.

Manifestante que veio do Paraná e pede eleições diretas (Foto: Beatriz Pataro)

Manifestante que veio do Paraná e pede eleições diretas (Foto: Beatriz Pataro)

Bernardo Piloto veio de Curitiba com a Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federais do Paraná para lutar contra um governo que ele diz considerar ilegítimo. ” Queremos eleições diretas e não, de novo, um governo não eleito pelo povo.”

*Participaram da cobertura os repórteres Graziele Frederico, Letícia Carvalho, Luiza Garonce, Mateus Rodrigues, Marília Marques, Beatriz Pataro, Elielton Lopes, Marina Oliveira e Yasmim Perna

NOTICIAS DA AGRICULTURA

Entrevistas e Cotações do dia 02/06/2017
Miguel Biegai

ANALISTA DA OTCEX GROUP
02/06/2017 | CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR
Tulio Denari

PECUARISTA
02/06/2017 | CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR
Café – Bolsa de Nova Iorque (NYBOT)
Fonte: INO.com
Contrato – Mês Fech. INO Fechamento (R$/saca(60 Kg) Variação (Pontos)
Julho/17 125,55 539,75 -2,15
Setembro/17 127,90 549,85 -2,15
Dezembro/17 131,45 565,12 -2,10
Dólar: 3,25
Veja outras cotações >>

Fechamento 02/06/2017
Soja – Mercado Físico
Fonte: Notícias Agrícolas
Praça Preço (R$/sc 60kg) Variação (%)
Não-Me-Toque/RS (Cotrijal) 56,00 0,00
Panambi/RS (Cotripal) 57,00 0,00
Ponta Grossa/PR (Coopagricola) 65,00 0,00
Ubiratã/PR (Coagru) 57,50 +0,88
Londrina/PR (Integrada) 57,50 +0,88
Cascavel/PR (Coopavel) 57,00 0,00
Castro/PR (Castrolanda) 66,00 +1,54
Pato Branco/PR (Coopertradição) 58,40 +0,86
Palma Sola/SC (Coopertradição) 59,00 0,00
Rio do Sul/SC (Cravil) 59,00 0,00
Rondonópolis/MT (Samir Rosa Assessoria Comercial) 58,00 +0,69
Primavera do Leste/MT (Samir Rosa Assessoria Comercial) 55,20 -0,54
Alto Garças/MT (Samir Rosa Assessoria Comercial) 57,60 +1,05
Itiquira/MT (Samir Rosa Assessoria Comercial) 56,40 +0,71
Tangará da Serra/MT (Ceres) 54,00 +2,86
Campo Novo do Parecis/MT (Ceres) 53,00 +1,92
Sorriso/MT (Sindicato) 51,50 +0,98
São Gabriel do Oeste/MS (Cooperoeste) 53,00 0,00
Jataí/GO (Sindicato) 54,00 0,00
Rio Verde/GO (Comigo) 54,00 0,00
Brasília/DF (Coopa-DF) 58,50 -0,85
Oeste da Bahia (AIBA) 57,50 0,00
Luís Eduardo Magalhães/BA (Cooproeste) 59,00 0,00
Assis/SP (Coopermota) 59,00 +1,37
Porto Paranaguá (disponível) (Intertrading) 68,00 +0,74
Porto Paranaguá (março/2018) (Intertrading) 70,50 +0,71
Porto Rio Grande (disponível) (GS Corretora) 68,00 +0,74
Porto Rio Grande (junho/2018) (GS Corretora) 72,00 +0,70
Porto Santos/SP (disponível) (Belgrano Commodities Ltda) 67,70 -0,15
Porto Imbituba/SC (disponível) (Belgrano Commodities Ltda) 66,50 -0,75
Porto de São Francisco do Sul/SC (maio/17) (Belgrano Commodities Ltda) 67,30 +0,15

Notícias Agrícolas

Produtores temem calote

No Vale do Araguaia/GO, pecuaristas retiram animais do abate da JBS

Pequenos frigoríficos não conseguem absorver oferta e negócios estão parados

Vídeos


  • Flávio Roberto de França Junior
    Demanda americana deve sofrer impacto com mudança cambial no Brasil, perdendo competitividade frente ao produto brasileiro


  • Gilvan Mendonça Mesquita
    Chuvas paralisam colheita do café em Três Pontas (MG) e afeta qualidade dos grãos


  • Cesar de Castro Alves
    Mercado físico do boi segue travado com compradores forçando recuo nas cotações da @ e pecuaristas evitando novas vendas


  • Marcelo Marcondes
    No Vale do Araguaia em Goiás, pecuaristas retiram animais da linha de abate do JBS com receio de não receber


  • Gisela Introvini
    No Maranhão, produtores investem em tecnologia e buscam novos nichos de mercado para a cultura da soja

  • Temer só cai com o substituto definido
    Prêmio à JBS (delação “superpremiada”) leva Janot a subverter o brocardo (por JOSIAS…
  • Lula, o chefão que morre de medo de cadeia
    Vingancinha contra Reinaldo Azevedo revela pessoas por trás do Estado (LEANDRO NARLOCH)
  • “Vazamento é forma de intimidar”
    Estado Policial: Reinaldo Azevedo é gravado pela PF e pede demissão da Veja
  • Delação “superpremiada” contestada
    Esqueletos da JBS (passivos maiores que valor de mercado) podem quebrar império dos…
  • R$ 18 bi para acertar contra um caixa de R$ 10 bi
    A complicada situação da JBS e a miopia do mercado, por Lygia Pimentel
  • A responsabilidade da imprensa (Editorial Estadão)

NOTICIAS DA AGRICULTURA NACIONAL

Política deixa mercado de soja nervoso e dispara algumas vendas; alguns adotam cautela

Dólar mais forte ante o real favorece vendas de produtores no país.

As denúncias contra o presidente Michel Temer deixaram o mercado de soja brasileiro nervoso, na medida em que o dólar mais forte ante o real favorece vendas de produtores no país, um movimento que por outro lado pressionou para baixo as cotações na bolsa de Chicago nesta quinta-feira.

Analistas e produtores consultados pela Reuters nesta quinta-feira disseram que negócios de soja foram registrados em várias praças do Brasil, o maior exportador global da oleaginosa, mas não na intensidade da disparada do dólar, até por conta da queda nos preços na bolsa dos EUA, referência global.

“O mercado foi bastante nervoso… Uma hora Chicago com 20 (pontos) de baixa, outra com 30 de baixa… dólar estava a R$ 3,39, depois R$ 3,33. Portanto, os níveis de preços e negócios mudavam de acordo com o momento e conjugação de soja (em Chicago) e dólar”, disse o consultor da corretora paranaense Cerealpar, Steve Cachia.

“Rodou (negociação) em todas as praças, mas não muito”, acrescentou o consultor Fernando Muraro, da AgRural.

As vendas de soja no Brasil têm sido mais lentas na safra 2016/17, em um mercado de preços mais baixos devido a safras recordes. E produtores no país estavam apenas esperando alguma oportunidade de fechar negócio, que veio com o câmbio nesta quinta-feira, que impulsionou os preços em reais.

O dólar subiu quase 10% na máxima, a R$ 3,44, enquanto o contrato julho da soja em Chicago caiu mais de 3 por cento, limitando ganhos maiores nos preços em reais e consequentemente um volume ainda maior de vendas. Ao final, a moeda norte-americana teve alta acima de 8%.

“Os produtores de Mato Grosso estão vendendo, tirando vantagem do aumento do preço. Alguns estão conseguindo R$ 3 a R$ 4 a mais por saca hoje. Eu ouvi negócios a R$ 59 e R$ 60 por saca”, disse à Reuters o presidente da associação de produtores Aprosoja, Endrigo Dalcin, do Estado que responde por quase 30% da safra da oleaginosa do Brasil.

O professor da Esalq/USP e pesquisador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), Lucílio Alves, lembrou que foi um ano de vendas antecipadas menores, por conta da safra recorde, uma vez que os produtores têm em mente as cotações mais altas do ano passado e resistem em realizar negócios a valores mais baixos.

“Ele vai segurando o máximo possível, com as altas, o mercado começa a mudar de ânimo, começam a aparecer vendedores, mas nada exagerado. E de forma geral o mercado é mais comprador do que vendedor nas últimas semanas… E essa reação que ocorre no câmbio muda o cenário do novo, isso respalda na paridade de exportação, eleva os valores…”, declarou.

O pesquisador citou que o mercado ficou praticamente parado, segundo agentes consultados mais cedo pelo Cepea, com os participantes avaliando as condições.

“Acho que os eventos de ontem e de hoje complicaram a história e o mercado vai ficar parado, para ver o que acontece na semana que vem”, continuou Alves, acrescentando que a crise política tende a elevar os preços em reais pelo câmbio, favorecendo os produtores, mas também pode gerar pressões inflacionárias.

Café e açúcar

De acordo com Alves, muitos participantes do agronegócio do Brasil buscam acelerar as exportações em momentos de dólar forte para embolsar mais reais.

O dólar mais forte no Brasil também deixa o país mais competitivo, com os produtos ficando mais baratos para importadores, o que acaba afetando outros mercados em que o Brasil é líder na exportação, como café e açúcar.

O café arábica para julho fechou em queda de 4,75 centavos, ou 3,5%, a US$ 1,2965 por libra-peso, enquanto o açúcar bruto para julho fechou em queda de 0,27 centavo, ou 1,7%, a 16,03 centavos por libra-peso, após atingir 15,58 centavos.

Mas um negociador de café no mercado físico em Minas Gerais afirmou que a queda nos futuros se deu mais em função do câmbio, num ano que a safra de café vai cair mais de 10% no país, um mercado que vive uma situação de oferta diferente do da soja.

“Origem não está vendendo, nada. Mercado caiu puxado pela moeda mesmo. Mas você vê que pelo que a moeda caiu, o mercado caiu menos. Mercado físico está paralisado”, declarou Thiago Cazarini.

“Não tem nem indicação de mercado físico. Produtor não é bobo, ele vê o dólar subindo e espera pra ver se sobe mais. O mercado não está fluindo. Tem café novo aparecendo pra venda, mas não tem saído negócio”, acrescentou.

Nordeste é região do país que mais produz melão

Cerca de 80 mil pessoas são empregadas na cultura da fruta na região.

Nordeste é região brasileira que mais produz melão

Nordeste é região brasileira que mais produz melão

O Nordeste é a região brasileira que mais produz melão. Na região, cerca de 80 mil pessoas estão empregadas na cultura da fruta, uma das que mais emprega no Sertão.

Em 2016, as exportações do melão renderam US$150 milhões, praticamente estável em relação ao mesmo período da temporada anterior. Com o câmbio favorável, os produtores investem mais nas exportações do que no mercado interno, que sofre com a crise econômica.

O mais cultivado no país é o amarelo. Mas há também o Cantaloupe, o Gália e o Espanhol.

Faturamento bruto da agropecuária cresce 4,4% ante 2016, estima Mapa

Montante das lavouras cresceu 10,2% e da pecuária teve redução de 6,3%.Valor bruto da produção da pecuária  teve redução de 6,3% neste ano em relação ao ano passado. (Foto: Fabiano Bastos/Divulgação)

Valor bruto da produção da pecuária teve redução de 6,3% neste ano em relação ao ano passado. (Foto: Fabiano Bastos/Divulgação)

O Valor Bruto da Produção agropecuária (VBP) deste ano, estimado com base nas informações de abril, está estimado em R$ 544,9 bilhões, resultado 4,4% superior ao montante do ano passado (R$ 521,7 bilhões). Os números são da Secretaria de Política Agrícola (SPA), do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). Segundo os números da SPA, o montante das lavouras cresceu 10,2% e da pecuária teve redução de 6,3%.

O VPB corresponde ao faturamento bruto do setor de agropecuária. Ele é calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e também nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país.

Fontes de crescimento

A principal fonte de crescimento do VBP neste ano é a safra esperada de 232 milhões de toneladas, estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), informa em comunicado, o coordenador-geral de Estudos e Análises, José Garcia Gasques.

Segundo ele, “outro ponto importante a observar são os ganhos de produtividade das lavouras estimados em 21,6% em relação a 2016, para a safra de verão, e de 20,2% para as de inverno”.

Um grupo considerável de produtos tem apresentado aumento no faturamento em relação a 2016. Destacam-se o algodão herbáceo (70,6%), amendoim (28,7%), arroz (10,6%), cana-de-açúcar (51,8%), laranja (20,6%), mandioca (82,4%), milho (20,8%) e uva (38,6%).

Na pecuária, destacam-se os resultados na carne suína (10,2%) e no leite (2,4%). “Nos dois casos o efeito dos preços tem sido a principal causa do acréscimo do faturamento em 2017”, salienta Gasques.

Desempenho desfavorável pode ser observado na banana (-17,1%), batata-inglesa (-61,2%), cacau (-15,4%), café (-10,5%), cebola (-44,8%), feijão (-21%), mamona (-45,3%) e trigo (-36%).

Os resultados regionais mostram a liderança ocupada pelo Centro-Oeste, R$ 158,3 bilhões, de faturamento, seguido pelo Sul (R$ 143,9 bilhões), Sudeste (R$ 139,7 bilhões), Nordeste (R$ 51,5 bilhões) e Norte (R$ 33,5 bilhões).

PF faz operação em 4 estados e no DF para desarticular esquema envolvendo servidores do Ministério da Agricultura

Assessoria da Polícia Federal informou que agentes cumprem nesta terça (16) mandados de prisão temporária e de busca e apreensão em Tocantins, Pará, São Paulo e Pernambuco.

PF desarticula esquema de corrupção no Ministério da Agricultura

PF desarticula esquema de corrupção no Ministério da Agricultura

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira (16), em quatro estados e no Distrito Federal, uma operação para desarticular um esquema de corrupção envolvendo servidores do Ministério da Agricultura e empresas do setor agropecuário fiscalizadas pela pasta. As investigações apontam que o esquema criminoso – que teria a participação da ex-superintendente substituta da pasta no Tocantins Adriana Carla Feitosa – movimentou cerca de R$ 3 milhões entre 2010 e 2016.

(Correção: inicialmente, esta reportagem informou, com base na Polícia Federal, que estavam sendo cumpridos mandados no Maranhão. A assessoria da corporação no Tocantins afirmou, posteriormente, que não há diligências em território maranhense).

O G1 tenta contato com a defesa da ex-superintendente.

A operação desta terça, batizada de Lucas, não tem relação com a Carne Fraca, que desmontou, em março, um esquema de pagamento de propina a funcionários do ministérios para liberar carne para venda sem passar pela devida fiscalização.

Cerca de 120 policiais federais, segundo a corporação, atuam para cumprir 62 mandados judiciais em Tocantins, Pará, São Paulo, Pernambuco e Brasília. Ainda de acordo com a PF, os agentes cumprem 10 mandados de prisão temporária, 16 de condução coercitiva e 36 de busca e apreensão.

Segundo a TV Globo, todas as empresas que são alvo de mandados cumpridos nesta terça estão localizadas no Tocantins.

A TV Globo apurou ainda que oito mandados de prisão estão sendo cumpridos em Tocantins, um em São Paulo e outro no Distrito Federal. Além de Brasília, os policiais estão nas ruas dos municípios de Palmas (TO), Gurupi (TO), Paraíso (TO), Araguaína (TO), Augustinópolis (TO), Araraquara (SP), Campinas (SP), Recife (PE) e Belém (PA).

A Justiça Federal também determinou o bloqueio de contas bancárias e a indisponibilidade de bens móveis e imóveis que somam R$ 2,2 milhões.

A operação foi batizada de Lucas, conforme a Polícia Federal, em referência à passagem bíblica que diz “não peçais mais do que o que vos está ordenado”. Os suspeitos poderão responder pelos crimes de corrupção passiva e ativa, cujas penas podem chegar a 12 anos de prisão.

A União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) avalia que o setor sucroenergético nacional poderá deixar de exportar 800 mil toneladas de açúcar para a China nos próximos 12 meses. O período coincide com a vigência da taxa de importação de 95% no país asiático, que tomou essa decisão no âmbito da investigação de salvaguarda movida desde o ano passado.

A entidade esperava que as vendas para a China, principal comprador da commodity brasileiro, alcançasse cerca de 3 milhões de toneladas, volume que pode cair, portanto, para perto de 2,2 milhões de toneladas.

“Fizemos uma análise preliminar e esse é o impacto potencial”, disse nesta segunda-feira, 22, o diretor executivo da Unica, Eduardo Leão de Sousa, em teleconferência com jornalistas. Conforme ele, as compras totais chinesas nos próximos 12 meses podem diminuir em 28%, de aproximadamente 6 milhões para 4,5 milhões de toneladas.

“A China pode atirar em um alvo e acertar outro, que é estimular o contrabando de açúcar. O mercado estima que só neste ano contrabando já supera 2 milhões de toneladas”, alertou.

Atendendo a reivindicações do setor produtivo local, a China iniciou em setembro do ano passado uma investigação sobre as importações de açúcar no período de janeiro de 2011 a março de 2016, quando as compras desse produto cresceram 663%.

Nesta segunda, o Ministério do Comércio local afirmou que as compras prejudicaram gravemente a indústria do país. Assim, a partir de agora, a taxa que incide sobre as compras externas além da cota de 1,945 milhão de toneladas por ano vai ser elevada de 50% para 95%.

Depois de um ano, a taxa vai cair para 90%; em dois anos, para 85%. Entretanto, o imposto sobre o açúcar dentro da cota permanecerá em 15%.

“Nada garante que o chineses, depois desses três anos, não vão prolongar a taxa de importação maior”, destacou Leão de Sousa, lembrando que medidas de salvaguarda podem ser usadas por até oito anos.

Conforme o executivo, o Brasil vem, desde o início, afirmando que não existem elementos suficientes para se caracterizar um surto de importação na China e, consequentemente, para se aplicar mecanismos de salvaguarda.

“Estamos agora avaliando os próximos passos. Estamos examinando com os chineses a possibilidade de se mitigar os impactos de uma medida dessa natureza. O governo brasileiro ainda espera que a China se sensibilize a respeito”, concluiu Leão, descartando, ao menos por ora, a possibilidade de um painel de contestação na Organização Mundial do Comércio (OMC).

Impacto na economia

O avanço do agronegócios deverá puxar a economia brasileira no início do ano. Depois de oito trimestres consecutivos de queda no PIB, as projeções apontam para um crescimento da economia brasileira no primeiro trimestre, puxado quase que exclusivamente pelo agronegócio.

A safra recorde trará ganhos ao setor. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) estima em 8,5% a alta o PIB do setor em 2017, após um recuo de 6,6% no ano passado.

 A tempestade que chegou ao litoral do Nordeste no ano passado não trouxe ventanias, raios, trovões. Ela veio silenciosa e mortal. A mancha branca é a doença mais devastadora do cultivo de camarões no mundo. Em um dia acaba com o viveiro todo.

A doença que em poucos meses, a partir de maio do ano passado, quase arrasou as criações do Ceará demorou mais de vinte anos pra chegar até aqui. E viajou muito milhares de quilômetros desde o outro lado do mundo, no extremo oriente. Ainda há dúvidas sobre como a mancha branca acabou se espalhando. Existem algumas hipóteses, como o próprio comércio internacional de camarões, esse produto tão procurado e os ciclos migratórios de certas aves, que coincidem com avanços da doença. Ela também pode ter viajado na água do mar usada como lastro, dentro de navios.

O caminho até aqui, desde a descoberta da doença, no início da década de 90, é conhecido: da China e do Japão, ela cruzou o Pacífico até os Estados Unidos. Desceu pela América Central e atingiu o Equador, pais que é grande produtor. Ela começou a ser registrada no Brasil em 2004, a partir de Santa Catarina e foi subindo rumo ao Nordeste. Em 2014, chegou ao Rio Grande do Norte. Em 2016, ao Ceará.

Consumo de camarões infectados é seguro
O vírus que causa a doença se espalha com grande facilidade, dizem os especialistas da Universidade Federal do Ceará, em Fortaleza. Há dezenas de animais transmissores, como siris e caranguejos, que não adoecem. Detalhe importante: o consumo de camarões, mesmo infectados, é seguro.

“Esse vírus não causa nenhum problema para a saúde humana, é exclusivo de invertebrados e causa doença somente no camarão”, diz Rubens Galdino Feijó, engenheiro de pesca e pesquisador da UFC.

O vírus ataca e destrói células de órgãos do sistemas digestivo e respiratório dos camarões, debilita os animais e abre caminho para outras infecções por bactérias que levam à morte. Não existe cura nem vacina possível. O sistema imunológico do camarão é diferente do nosso. O que se busca é o controle.

No campo, mancha verde é arrasadora
O “Globo Rural” foi ver a situação no campo. Começamos por Paraipaba, a quase 100km a oeste de Fortaleza. Viemos ao encontro do seu Cristiano. Um dos maiores produtores do Brasil, Cristiano Maia, conta que a chegada da mancha branca foi arrasadora.

“Uma tristeza. Eu ficava aqui na fazenda vendo morrer tudo em dois dias. No primeiro dia eu perdi 100 mil quilos. E no segundo dia mais de 50 mil quilos”, conta ele.

Há menos de um ano, cada um dos tanques que tem de 3 e meio a quatro hectares, produzia, a cada 90 dias, 10 toneladas de camarão. Hoje, são apenas duas toneladas. E isso porque foi aplicada a primeira técnica que se encontrou para tentar conviver com a doença e a diminuição da densidade da criação. Com mais espaço e menos competição, os camarões têm mais condições de sobreviver. E têm sobrevivido, mesmo com a presença inevitável do vírus.

Mas a produção, bem menor, acabou com o lucro.  Mesmo com os preços tendo triplicado por causa da falta de oferta no mercado. Além de melhorias na água, no solo, na ração, a grande aposta para voltar aos bons tempos é na genética.

Estudo genético pode ser solução
Em Touros, no Rio Grande do Norte, este laboratório produz larvas de camarão. São selecionados animais que mostram resistência nos viveiros. A ideia é melhorar as matrizes. Os camarões maiores, de até 50 gramas, são mantidos em ambiente ideal para a reprodução, à meia-luz.

O estudo é em nível molecular, de DNA. E envolve profissionais brasileiros e de países por onde a mancha já passou.  “O problema é que o animal não manifesta a doença, mas tem o vírus. Então essas técnicas moleculares são utilizadas pra que nós consigamos detectar o vírus sem necessariamente o animal ter manifestado a doença”, diz o biólogo Daniel lanza.

Se o vírus é detectado, o animal não serve como reprodutor. Aqueles livres de vírus vão gerar novas gerações de larvas, menos suscetíveis a ele.

Técnica de recria auxilia produção
O município de Jaguaruana, região do baixo Rio Jaguaribe, é um polo importante na produção de camarões, no Ceará. O mar está a mais de 50 km de distância em linha reta. Aqui se produz em água doce, ou salobra, onde a mancha branca também chegou. E chegou pra valer: derrubou a produção em até 90%. Os grandes e os pequenos produtores, que na verdade são a maioria em propriedadede trabalho familiar, têm buscado alternativas para conseguir se manter no negócio e não sair da atividade.

Seu Wellington e a filha dele, Lara, que se formou técnica de aquicultura para ajudar o pai, começaram a criação há quatro anos. E estava indo tudo muito bem. O susto foi grande, já que a mancha branca fez a produção cair de 5 para 1 tonelada.

Eles construiram uma raceway, ou uma recria construção para os camarões crescerem um pouco mais. “Isso vai fazer o camarão, as larvas ficarem mais resistentes. Crescem mais rápido. E no final consegue uma produção com menos dias. Consegue mais cultivos por ano”, explica a técnica Lara Rebouças.

Safra deve crescer 26% em 2017 e atingir recorde de produção, diz IGBE

Agronegócios deverá puxar a recuperação da economia no início deste ano; clima favorável e avanços tecnológicos justificam aumento da produção de grãos em 2017.

Agronegócio deverá levar a alta do PIB no primeiro trimestre (Foto: Seagro/Divulgação)

Agronegócio deverá levar a alta do PIB no primeiro trimestre (Foto: Seagro/Divulgação)

A safra brasileira de grãos deve avançar 26,2% este ano em relação a 2016, para 233,1 milhões de toneladas, segundo dados de abril do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta quinta-feira (11). Dos 26 produtos avaliados, 15 terão aumento de produção neste ano, entre eles, soja, milho e arroz, que respondem por 94% da produção de grãos brasileira.

O IBGE elevou novamente sua estimativa para a safra brasileira. Na primeira projeção, a estimativa era de avanço de 16%, mas o número foi reajustado para cima mês a mês. Segundo o gerente de agricultura do IBGE, Carlos Alfredo Guedes, o clima favorável vem confirmando uma colheita maior, o que leva ao aumento das projeções.

O crescimento da safra virá, principalmente, de ganhos de produtividade, já que a produção cresce acima da área plantada. No caso do soja, por exemplo, a área plantada deve avançar 2,4% em 2017, mas a produção deverá crescer 17,5%, segundo estimativas do IBGE. No caso do milho, a área e a produção cresceram, respectivamente, 16,5% e 46,8%. Para o arroz, o avanço foi de 3,3% na área e 13,5% na produção.

“Existe um maior aporte de tecnologias no campo que sempre melhora a produtividade. Mas o clima favorável é o principal fator para o aumento da produção. Ano passado a safra foi prejudicada pelas secas e este ano as chuvas estão bem distribuídas e favorecem a agricultura”, afirmou Guedes.

NOTICIAS INTERNACIONAIS

Roger Moore, ator de ‘007’, morre aos 89 anos

Família usou o Twitter do ator para enviar um comunicado oficial e relatar que o ator morreu na Suíça ‘após uma curta, mas brava, batalha contra o câncer’.

 Roger Moore roda filme da franquia '007' em locação na Inglaterra, em 1972 (Foto: AP Photo/Arquivo)

Roger Moore roda filme da franquia ‘007’ em locação na Inglaterra, em 1972 

O ator Roger Moore, famoso por seu papel como James Bond na franquia de filmes “007”, morreu aos 89 anos nesta terça-feira (23) na Suíça. A família do ator enviou um comunicado pelo Twitter e afirmou estar devastada. Ele estava em tratamento contra um câncer.

“É com o coração pesado que nós anunciamos que nosso amado pai, Sir Roger Moore, faleceu hoje na Suíça após uma curta, mas brava, batalha contra câncer. O amor com que ele foi cercado em seus dias finais foi tão grande que não pode ser quantificado apenas em palavras”, escreveram seus filhos Deborah, Geoffrey e Cristian. Moore era casado com Kristina Tholstrup desde 2002. Segundo a família, Moore será velado em uma cerimônica privada em Mônaco.

Nascido em Londres em 1927, Moore trabalhou como modelo até o começo dos anos 1950. Depois disso assinou um contrato de sete anos com a MGM, mas suas produções iniciais não fizeram muito sucesso.

A fama só veio com seu papel como Ivanhoé, na série britânica “O Santo”, entre 1962 e 1969, e como Brett Sinclair, em “The Persuaders”.

Eterno “007”

A carreira como James Bond começou em 1973, no filme “Só Viva e Deixe Morrer”. Moore tinha a árdua missão de substituir Sean Connery, que encarnou o espião por quase uma década.

Moore interpretou o 007 em sete filmes e foi o ator a encenar o agente secreto por mais tempo: durante 12 anos. Após “Live and Let Die (Só Viva e Deixe Morrer)”, veio a repetição do personagem em “The Man with the Golden Gun (007 contra o Homem com a Pistola de Ouro”, em 1974; “The Spy Who Loved Me (O Espião que me amava)”, de 1977; “Moonraker (007 contra o Foguete da Morte)”, de 1979; e “For Your Eyes Only (007 – Somente para Seus Olhos), de 1981.

Roger Moore se despediu do personagem em 1985, com “A View to a Kill (Na Mira dos Assassinos)”.

Embora tenha dezenas de filmes no currículo, Moore era tratado como “eterno 007”. Mas o título não incomodava o ator. “Ser eternamente conhecido como Bond não têm desvantagem”, afirmou Moore em 2014. “As pessoas às vezes me chamam de ‘Sr. Bond’ quando eu estou fora e eu não me importo nada com isso. Por que eu deveria?”

Ações sociais

Além de sua vida diante das câmeras, Moore era conhecido por suas obras de caridade. Ele participava de várias ações para arrecadar fundos que seriam doados aos mais necessitados. Por esse trabalho, o ator foi escolhido como embaixador da boa vontade da Unicef. Em 1991, Moore visitou o Brasil para dar ao ator Renato Aragão o título de representante da Unicef no país.

Além disso, por seu trabalho na agência da ONU, o ator foi condecorado pela rainha Elizabeth II como Cavaleiro do Império Britânico em 1999 e passou a ser Sir Roger Moore.

Vídeo comemorativo aos 85 anos de carreira de Roger Moore mostra um breve resumo da carreira do ator

Vídeo comemorativo aos 85 anos de carreira de Roger Moore mostra um breve resumo da carreira do ator

Roger Moore em comemoração pelos 50 anos de James Bond, em Londres, em 2012 (Foto: REUTERS/Neil Hall/File Photo)

Roger Moore em comemoração pelos 50 anos de James Bond, em Londres, em 2012 (Foto: REUTERS/Neil Hall/File Photo)

Roger Moore posa com o prêmio Don Quixote, em Londres, em 1968 (Foto: AP Photo/Arquivo)

Roger Moore posa com o prêmio Don Quixote, em Londres, em 1968 (Foto: AP Photo/Arquivo)

Roger Moore e Jane Seymour em 'Com 007 viva e deixe morrer' (1973) (Foto: Divulgação)

Roger Moore e Jane Seymour em ‘Com 007 viva e deixe morrer’ (1973) (Foto: Divulgação)

Roger Moore posa acompanhado de sua mulher, Cristina Tholstrup, na chegada para a festa de gala do Princess Grace Awards em Mônaco, em setembro de 2015 (Foto: Valery Hache/AFP/Arquivo)

Roger Moore posa acompanhado de sua mulher, Cristina Tholstrup, na chegada para a festa de gala do Princess Grace Awards em Mônaco, em setembro de 2015 .

Orçamento de Trump corta verba de saúde, educação e programas sociais

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enviará ao Congresso um plano de Orçamento de US$ 4,1 trilhões (R$ 13,4 trilhões) que conta com crescimento econômico mais forte e profundos cortes nos gastos que beneficiam os norte-americanos de baixa renda para equilibrar as contas do governo nos próximos dez anos.

A proposta de Orçamento para o ano fiscal que se inicia em 1º de outubro será entregue ao Congresso nesta terça-feira (23) e abrirá um extenso debate no qual os democratas já estão atacando o governo por tentar equilibrar o orçamento à custa dos pobres.

O presidente da Câmara, o republicano Paul Ryan, afirmou que a proposta de Orçamento de Trump é bem-vinda, pois ambos têm “objetivos comuns”. Mas legisladores de ambos os partidos disseram que grandes mudanças serão necessárias para que o projeto possa avançar no Congresso.

A proposta projeta que o deficit deste ano subirá para US$ 603 bilhões, ante os US$ 585 bilhões do ano passado.

Mas o documento afirma que, se as iniciativas de Trump forem adotadas, o deficit começará a diminuir e, em 2027, se tornará um pequeno superavit de US$ 16 bilhões. No entanto, essa meta depende de projeções de crescimento que a maioria dos economistas do setor privado considera como indevidamente otimistas.

O governo não opera em superavit desde o final dos anos 1990, quando um acordo orçamentário entre o presidente Bill Clinton, democrata, e os republicanos do Congresso, combinado à mais longa recuperação econômica na história dos Estados Unidos, produziu quatro anos fora do vermelho, entre 1998 e 2001.

Durante a campanha presidencial, Trump atacou o crescimento econômico fraco dos anos Obama e prometeu que seu programa econômico elevaria o crescimento da economia para acima dos mornos 2% anuais registrados desde o começo da recuperação, na metade de 2009.

O novo orçamento de Trump se baseia em previsão de crescimento sustentado da ordem de 3% ao ano, muito superior à da maioria dos economistas do setor privado.

“O presidente acredita que devemos restaurar a grandeza de nossa nação e rejeitar o status quo fracassado que deixou o sonho americano fora do alcance de muitas famílias”, afirmou o governo em sua proposta orçamentária intitulada “uma nova fundação para a grandeza dos Estados Unidos”.

De acordo com os números divulgados pelo governo, o plano de Trump cortaria quase US$ 3,6 trilhões de uma vasta gama de programas de benefícios, agências federais e gastos com guerras, nos próximos dez anos –um corte de quase 8%–, o que incluiria o custo de revogar e substituir a lei da saúde de Obama, reduções no orçamento do programa federal de saúde Medicaid, corte de subsídios ao crédito educativo, um profundo corte na assistência alimentar às pessoas de baixa renda, e um corte de US$ 95 bilhões nas verbas rodoviárias destinadas aos Estados. A proposta de cortes em um popular programa de seguro de safras atraiu críticas ao ser apresentada.

Um programa cujo objetivo seria recolocar na força de trabalho pessoas que no momento recebem pensões federais por deficiência também é politicamente tóxico. Os cortes nos programas de assistência alimentar removeriam milhões de beneficiários desses programas.

Funcionários do governo defenderam essas propostas como forma de reduzir a assistência governamental que, segundo eles, mantêm milhões de norte-americanos fora da força de trabalho e com isso reduz o crescimento econômico.

“Precisamos que as pessoas trabalhem”, disse Mick Mulvaney, o diretor de Orçamento da Casa Branca, a jornalistas. “Se você recebe assistência alimentar, precisamos que você arrume emprego. Se você recebe pagamentos por deficiência e não deveria recebê-los, precisamos que você volte a trabalhar.”

O plano de Trump projeta que o estímulo ao crescimento econômico causará mais de US$ 2 trilhões em redução do deficit nos próximos dez anos, por meio de “retroalimentação econômica”, um grande componente para que a proposta cumpra sua promessa de equilibrar as contas públicas até 2027.

A proposta orçamentária inclui uma nova e importante iniciativa de política interna –licença-maternidade e paternidade paga pelo governo, a um custo projetado de US$ 25 bilhões nos próximos dez anos. O novo programa vem sendo defendido pela filha do presidente, Ivanka Trump.

O presidente manteve suas promessas de campanha, de preservar os benefícios do programa de saúde Medicare e da Previdência Social só para os idosos, mas isso se traduziu em cortes ainda mais pesados em programas dirigidos aos pobres, como o Medicaid e o programa de assistência alimentar.

O Medicaid, o programa de saúde do governo que atende a muitos norte-americanos pobres e aos deficientes físicos, teria suas verbas reduzidas em mais de US$ 600 bilhões no próximos 10 anos, por meio de limitações nas transferências de verbas aos Estados e da concessão de maior flexibilidade aos governadores para que selecionem os beneficiários do Medicaid em seus Estados.

Esses cortes se somariam à revogação do Obamacare, que estendeu a cobertura do Medicaid a 14 milhões de pessoas, e representaria, ao final dos dez anos, um corte de quase 25% ante as projeções atuais de gastos com o programa.

Da mesma forma, uma redução de US$ 191 bilhões no programa de assistência alimentar federal, em dez anos, equivaleria a quase 30% dos custos previstos do programa e excederia por larga margem as propostas precedentes de corte apresentadas pelos republicanos da Câmara. O programa federal de assistência alimentar atende hoje a 42 milhões de pessoas.

Outros cortes previstos na proposta orçamentária de Trump incluem reduções nas pensões dos funcionários públicos federais, em parte por meio do aumento de suas contribuições.

Na agricultura, o orçamento proposto limitaria os subsídios aos agricultores, o que incluiria a compra subsidiada de seguros sobre as safras, uma medida que já está sob ataque dos legisladores que representam Estados agrícolas.

Quanto aos impostos, Trump promete uma reforma que reduziria as alíquotas de impostos e dependeria da eliminação de isenções e do crescimento econômico para evitar um alargamento do deficit. O plano prevê três faixas de tributação –10%, 25% e 35%– em lugar das atuais sete, mas os detalhes específicos foram deixados para negociações com o Congresso.

O novo plano orçamentário estende as propostas que Trump apresentou em março, acrescentando detalhes sobre seu objetivo de elevar os gastos com a defesa em US$ 54 bilhões, uma alta de 10%, este ano, e de compensar o aumento por meio de cortes em programas não relacionados à defesa.

Mulvaney disse que parte dos cortes de custos, cujo valor em dez anos seria de US$ 1,4 trilhão, segundo a proposta, viria do “plano dos dois centavos”, que reduzirá os gastos do governo em áreas não relacionadas à defesa em 2% ao ano pelos próximos dez anos.

Esses cortes –que incluiriam o cancelamento de verbas para desenvolvimento comunitário e dos subsídios para aquecimento concedidos às famílias de baixa renda– foram ignorados quando o Congresso aprovou sua proposta orçamentária para este ano, no começo do mês.

Há pouca indicação de que os legisladores, que massacraram a proposta apresentada por Trump em março, venham a mudar de ideia agora, dado o tumulto que cerca o governo Trump e seus índices de aprovação baixíssimos nas pesquisas de opinião pública.

Coreia do Sul dispara contra drone suspeito na fronteira com o Norte

O Exército da Coreia do Sul disparou tiros de aviso contra um drone suspeito da Coreia do Norte nesta terça-feira (23) em meio a tensões após o mais recente teste de mísseis de Pyongyang, que gerou condenação internacional e um alerta da China.

A identidade do objeto continua incerta, segundo o Exército sul-coreano, mas a agência de notícias Yonhap afirmou ser possivelmente um drone, contra o qual mais de 90 tiros foram disparados em resposta até que desaparecesse dos radares.

A incursão ocorreu com as tensões já altas na península coreana após o teste de lançamento de míssil balístico pelo Norte no domingo (21), o qual Pyongyang afirmou provar avanços na busca da construção de uma arma com capacidade nuclear que possa atingir alvos norte-americanos.

Os Estados Unidos têm tentado persuadir a China, principal aliada da Coreia do Norte, a fazer mais para controlar o regime de Pyongyang, que tem conduzido dezenas de lançamentos de mísseis e que testou duas bombas nucleares desde o início do ano passado, desafiando as sanções e resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

A Coreia do Norte não esconde seus planos de desenvolver um míssil capaz de atingir os Estados Unidos e tem ignorado pedidos de interromper seus programas de armas, mesmo da China. O país afirma que o programa é necessário para conter uma possível agressão norte-americana.

“Pedimos à Coreia do Norte para que não faça nada que viole novamente as resoluções do Conselho de Segurança da ONU”, disse o Ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, em comunicado publicado no site do ministério nesta terça-feira.

“Ao mesmo tempo, esperamos que todas as partes possam manter a moderação, não serem influenciados por cada incidente, (…) persistir no cumprimento das resoluções do Conselho de Segurança na Coreia do Norte e perseverar com a resolução da questão através de meios pacíficos, diálogo e consultas.”

O CONFLITO NA COREIAVeja as capacidades dos adversários

Ex-líder sul-coreana nega acusações em início de julgamento por corrupção

KIM TONG-HYUNG

23/05/2017

A ex-presidente Park Geun-hye negou as acusações de corrupção ao se iniciar na terça-feira (23) o julgamento criminal que poderá enviar à prisão pelo resto da vida a primeira líder mulher da Coreia do Sul.

A polícia havia mais cedo escoltado Park, algemada, ao tribunal para sua primeira aparição pública desde que foi presa, em 31 de março, por acusações de corrupção que levaram à sua remoção do cargo.

Câmeras dispararam flashes quando Park saiu de um ônibus com seu número de prisioneira, 503, preso a um paletó escuro e entrou no Tribunal Distrital Central de Seul. Suas mãos foram então liberadas, ela entrou e sentou-se diante de uma mesa com três juízes, enquanto uma multidão de jornalistas captava imagens, muitas vezes em extremo close-up, de seu rosto sério.

Presidente Park Geun-hye faz discurso quando ainda era presidente
Presidente Park Geun-hye faz discurso quando ainda era presidente

Quando o juiz Kim Se-yun perguntou a Park qual era sua ocupação, ela respondeu: “Não tenho nenhuma ocupação”.

Sua antiga confidente e suposta cúmplice, Choi Soon-sil, estava sentada perto de Park. As duas são amigas há quatro décadas, mas não se olharam.

Choi soluçou quando respondeu às perguntas sobre seu endereço e ocupação. Park olhava fixamente à frente quando os promotores leram as acusações.

“A acusada Park Geun-hye, em conluio com sua amiga Choi Soon-sil, deixou Choi, que não tinha cargo oficial, intervir em assuntos de Estado… e elas abusaram do poder e pressionaram companhias para oferecer suborno, assim obtendo ganhos privados”, disse o promotor-chefe, Lee Won-seok.

Park e seu advogado, Yoo Young-ha, negaram qualquer desvio de conduta. Perguntada se tinha algo a acrescentar, Park disse com a voz calma e comedida: “Eu direi mais tarde”.

Choi teria declarado no tribunal: “Sou uma pecadora por forçar a presidente Park, que conheço e assisto há 40 anos, a comparecer em um tribunal”. Ela também disse: “Espero que este julgamento realmente livre a ex-presidente Park de faltas e permita que ela seja lembrada como uma presidente que teve uma vida dedicada a seu país”.

O juiz Kim disse que o tribunal decidiu combinar os casos de Park e Choi, e marcou a próxima audiência para quinta-feira (25).

Após o final da audiência na terça, Park, mais uma vez algemada, não falou com a imprensa enquanto a polícia a colocava de volta no ônibus para voltar ao centro de detenção perto de Seul onde ela está recolhida.

“Estou aqui para presenciar um novo capítulo da história se desenrolar”, disse o espectador Lee Jae-bong, 70, a um repórter presente. “Acho que Park deve ser punida completamente e nunca ser perdoada, para que uma coisa tão ruim nunca mais aconteça.”

A prisão de Park ocorreu semanas depois que ela foi removida do cargo em uma decisão do Tribunal Constitucional, que manteve o impeachment declarado em dezembro pelos legisladores depois de grandes protestos de rua, pelas acusações de corrupção que surgiram em outubro passado.

Os promotores gabam-se de ter evidências “avassaladoras” que provam o envolvimento de Park em atividades criminosas. Eles dizem que ela se juntou a Choi para receber cerca de US$ 26 milhões (R$ 85 milhões) em propinas da Samsung e teve promessas de mais dezenas de milhões de dólares dessa e de outras grandes empresas. Park também teria supostamente permitido que sua amiga manipulasse assuntos do Estado nas sombras.

Um porta-voz da Casa Azul, a Presidência, disse que não havia um pronunciamento oficial sobre o julgamento de Park. O novo presidente liberal, Moon Jae-in, assumiu o cargo neste mês depois de vencer uma eleição especial para substituir Park.

O escândalo levou ao indiciamento de dezenas de pessoas, incluindo ex-ministros, assessores presidenciais e o bilionário herdeiro da Samsung, Lee Jae-yong, que é acusado de subornar Park e Choi em troca de favores empresariais. Lee enfrenta um julgamento separado.

Park pediu desculpas por depositar confiança em Choi, mas negou que tenha infringido a lei e acusou seus adversários de tentar enquadrá-la. Choi também nega os desvios.

Park passou as últimas semanas trancada em uma pequena cela com televisão, banheiro, pia, mesa e colchão. Ela teria recebido alguns visitantes e seus advogados e evitado a televisão e os jornais. Ela lê avidamente um dicionário inglês-coreano, segundo reportagem de um canal de TV a cabo que citou uma fonte anônima do centro de detenção.

Park recebeu o apoio majoritário dos conservadores, que lembraram que seu pai, um ditador, levantou o país da pobreza nos anos 1960-70; os críticos citam os graves abusos aos direitos humanos cometidos por ele.

Mas ela foi acusada de conduzir mal um desastre de barca em 2014 que matou mais de 300 pessoas, na maioria estudantes. E o escândalo envolvendo Choi destruiu a imagem cuidadosamente burilada por Park de uma filha abnegada da Coreia do Sul e inspirou o público irado a pedir sua deposição e então eleger o primeiro governo liberal do país em uma década.

Pesquisas de opinião mostram que a maioria dos sul-coreanos apoia o processo contra Park, mas ela ainda tem firmes defensores.

Cerca de 150 pessoas se reuniram perto do tribunal na terça-feira, agitando bandeiras do país e portando cartazes que diziam: “Park é inocente! Libertem-na imediatamente!” Algumas gritaram e choraram quando o ônibus com Park passou.

O julgamento deverá durar vários meses.

A denúncia mais prejudicial é que Park e Choi aceitaram propinas da Samsung, o maior grupo empresarial do país. Lee, o chefe de fato da Samsung, é suspeito de usar milhões em fundos da empresa para patrocinar companhias, organizações esportivas e fundações beneficentes controladas por Choi.

Em troca, Park garantiu o apoio do governo a uma fusão contenciosa de duas empresas da Samsung em 2015 que foi um passo chave para transferir o controle corporativo para Lee de seu pai doente, dizem os promotores.

O promotor Hwang Woong-jae disse que Park se reuniu com Lee em julho de 2015 e que “Park disse esperar que a questão da sucessão da Samsung fosse resolvida tranquilamente sob seu governo e pediu que Lee Jae-yong apoiasse as duas fundações”.

Lee negou usar os pagamentos para conquistar apoio para o negócio de 2015, dizendo que a Samsung estava apenas reagindo aos pedidos de Park para apoiar a cultura e os esportes.

O advogado de Park, Yoo, disse que ela não poderia ter se beneficiado das fundações porque indivíduos não podem retirar dinheiro livremente.

“Não havia motivo para a presidente Park forçar as companhias a doar um dinheiro que ela não poderia usar para si própria”, disse Yoo.

Compartilhar

Polícia identifica homem-bomba de ataque contra show em Manchester

As autoridades britânicas identificaram nesta terça-feira (23) o homem-bomba responsável pelo ataque da véspera durante um show da cantora pop Ariana Grande em Manchester.

Ele foi identificado como Salman Abedi, 22, afirmou o chefe da política de Manchester, Ian Hopkins. Segundo a rede BBC, Abedi nasceu em Manchester e sua família tem origem líbia. A investigação busca entender agora se Abedi atuava sozinho ou se era parte de uma organização.

Também nesta terça-feira, a polícia prendeu na região sul da cidade um homem de 23 anos suspeito de conexão com o atentado, que deixou ao menos 22 mortos e dezenas de feridos após o fim do show na Manchester Arena. Não há brasileiros entre as vítimas, informou o Itamaraty.

Agentes de segurança realizaram uma operação em um apartamento em Manchester e fizeram a explosão controlada de um artefato, informou a polícia.

Um outro homem foi detido no shopping Arndale Centre, em Manchester, mas as autoridades não viram indícios de que ele tenha ligação com o atentado. O local chegou a ser fechado temporariamente nesta terça.

ESTADO ISLÂMICO

A facção terrorista Estado Islâmico reivindicou a autoria da ação em uma mensagem que, no entanto, não apresentou nenhuma evidência de sua participação real. “Um soldado do califado conseguiu colocar explosivos em meio a uma reunião dos cruzados na cidade britânica de Manchester”, disse a milícia.

É possível, como em outros casos no passado, que o autor tenha agido sozinho e agora a facção tente se beneficiar da atenção na mídia, que é uma parte importante de sua estratégia para recrutar militantes.

O diretor de Inteligência dos Estados Unidos, Dan Coats, afirmou que as autoridades do país ainda não verificaram se o Estado Islâmico é responsável pelo ataque.

REAÇÕES

“Este ataque se destaca por sua covardia doentia e pavorosa, tendo como alvo deliberado crianças indefesas e inocentes e jovens que deveriam estar aproveitando uma das noites mais memoráveis de suas vidas”, afirmou a primeira-ministra britânica, Theresa May.

May visitou o local do ataque na manhã desta terça e assinou o livro de condolências em um hospital de Manchester que recebeu a maior parte dos feridos. Após conversar com o líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, ela concordou em suspender a campanha para a eleição parlamentar de 8 de junho.

A segurança no restante do Reino Unido será incrementada com um maior contingente policial deslocado para Londres.

A rainha Elizabeth 2ª disse nesta terça-feira que “a nação inteira está chocada” com o ataque. “Sei que falo por todo mundo ao expressar minha empatia mais profunda com todos os que foram afetados por esse evento horrível”, afirmou.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse estar triste e em choque. “As pessoas no Reino Unido podem estar convencidas de que a Alemanha está do lado delas.”

O presidente americano, Donald Trump, comentou o ocorrido durante sua visita a Belém, na Cisjordânia. “Mantemos nossa absoluta solidariedade com o povo do Reino Unido”. Ele descreveu os responsáveis pela ação como “perdedores malvados”.

O ex-presidente dos EUA Barack Obama também se manifestou sobre o ataque em uma rede social. “Americanos sempre irão ficar ombro a ombro com o povo do Reino Unido.”Vladimir Putin, presidente da Rússia, “expressou suas condolências à primeira-ministra May”, informou a assessoria do Kremlin.

Nesta terça, o presidente da França, Emmanuel Macron, visitou a embaixada britânica em Paris e deixou sua mensagem de condolência em um livro (veja vídeo abaixo).

TERROR NA EUROPA

Ataques recentes aos países do continente

Paris (13.nov. 2015)
Uma sequência de ataques a bomba e com atiradores em várias partes da cidade deixa 130 mortos. Estado Islâmico reivindica autoria

Bruxelas (22.mar.2016)
Três homens-bomba ligados ao EI se explodem no aeroporto e numa estação de metrô; 32 morrem

Nice (14.jul.2016)
No Dia da Bastilha, em mais uma ação do EI, um atirador dirigindo um caminhão atropela uma multidão à beira-mar e mata 86

Berlim (19.dez.2016)
Em ação semelhante à de Nice, motorista avança com um caminhão contra pedestres em um mercado de Natal; 12 são mortos

Londres (22.mar.2017)
Um ano após os ataques de Bruxelas, um homem atropela pedestres na ponte Westminster e esfaqueia um policial na entrada do Parlamento; 5 morrem

Estocolmo (7.abr.2017)
Novamente, um caminhão é usado para atropelar pedestres, em uma rua comercial, deixando 4 mortos

China presenteia cidade alemã onde Marx nasceu com estátua do filósofo

DIDI KIRSTEN TATLOW
DO “NEW YORK TIMES”, EM PEQUIM

Da China, com amor. Ou algo mais insidioso?

Há semanas os chineses discutem o significado de uma estátua em tamanho de super-herói de Karl Marx que será enviada a Trier, cidade alemã onde nasceu o filósofo político. Uma tentativa de disseminar a revolução comunista de volta à Alemanha democrática? Uma piada?

A obra de 5,5 metros do escultor Wu Weishan é um presente do governo chinês e deverá ser revelada em maio como parte das comemorações do 200º aniversário de Marx. O filósofo é oficialmente reverenciado na China, o último grande Estado comunista depois da queda da União Soviética em 1991.

Harald Tittel/Associated Press
Moradores de Trier (Alemanha) observam representação em madeira de estátua chinesa de Karl Marx
Moradores de Trier (Alemanha) observam representação em madeira de estátua chinesa de Karl Marx

Esse Marx de ar nobre, olhando para o futuro, expressa “a confiança da China de hoje em suas próprias teorias, seu caminho, sistema e cultura”, escreveu Wu no “Diário do Povo”, o jornal do partido, em janeiro, descrevendo uma visita que ele fez a Trier no ano passado para conceber sua obra.

A visão de Wu causou polêmica na Alemanha depois que um modelo foi revelado em Trier em março. Historiadores e políticos perguntaram se é adequado homenagear de forma tão acrítica um homem cujas ideias levaram à ditadura, inclusive na antiga Alemanha Oriental. Em abril, o conselho de vereadores de Trier deu a aprovação final ao presente, mas reduziu seu tamanho em mais de 60 centímetros.

Na China, “há duas vozes completamente diferentes na discussão” sobre a estátua, disse Zhu Dake, um comentarista cultural e professor na Universidade Tongji em Xangai.

“Uma é que a Alemanha é hoje um Estado completamente capitalista que abandonou o marxismo. Enviar a estátua é equivalente a enviar suas ideias de volta para tentar reacender a fagulha da revolução”, disse ele em uma entrevista.

“A outra é que a teoria da luta de classes de Marx teve um efeito muito negativo na China”, disse ele. “Enviar a estátua é simbolicamente devolver produtos defeituosos.”

Grande parte do debate na China ocorre em particular, diante da suscetibilidade de se comentar em público um projeto supervisionado pelo Departamento de Propaganda do Partido Comunista. Mas o site Zhihu.com, um serviço de perguntas e respostas, oferece percepções dessas opiniões.

“A Internacional certamente terá sucesso!”, escreveu um usuário identificado como Wang Dongyang, referindo-se à Internacional Comunista, fundada em 1919 para promover o comunismo no mundo.

“Eu sou o único que pensa que isso parece Mao em ‘O presidente Mao vai a Anyuan?'”, perguntou outro comentarista, referindo-se a uma famosa pintura de propaganda da Revolução Cultural.

“À meia-noite do segundo dia, uma equipe de Espada do Sul da China —uma unidade de forças especiais do Exército de Libertação do Povo— “saltará para fora da estátua”, escreveu Ning Andong, comparando-a ao Cavalo de Troia.

“O que a China quer dizer é: estamos devolvendo-a para vocês. Não acreditamos nela”, disse Wu Jia.

Milhões de pessoas morreram nas campanhas políticas comunistas depois da fundação da República Popular, em 1949, e em uma crise de fome precipitada por uma iniciativa de coletivizar a agricultura, no final dos anos 1950. Mas o governo insiste que o partido continua sendo essencial para a prosperidade e a estabilidade da China, apontando as últimas décadas de alto crescimento econômico.

Nesse período, o comércio com a Europa também prosperou, levantando mais perguntas sobre como os países democráticos devem lidar com um Estado economicamente poderoso que rejeita a democracia e tem um fraco histórico em recursos humanos. No ano passado, a China se tornou o principal parceiro comercial da Alemanha, com negócios de US$ 180 bilhões, superando os EUA pela primeira vez.

“Ah-ah! Os alemães têm de ceder ao renminbi. Eles não se importam mais com a ideologia política quando chega o dinheiro dos chineses ricos”, escreveu no Zhihu.com um usuário que se identificou como Guo Xiaomeng.

Para Chang Ping, um jornalista chinês que vive exilado na Alemanha desde 2011, a estátua de Marx representa um desafio que a maioria dos alemães não entende.

“Não é apenas uma questão de comemorar uma figura histórica. É também uma questão de como lidar com a ambição do governo chinês de brilhar no cenário mundial”, disse Chang por e-mail.

“Acho que posso ver melhor que a maioria dos alemães comuns o sorriso odioso por trás da estátua que deverá se erguer em Trier, e a ameaça que ela representa para as culturas políticas civilizadas do mundo”, disse ele.

O prefeito da cidade, Wolfram Leibe, acha tais preocupações exageradas.

“Foi um gesto de amizade, não tem nada a ver com ideologia”, disse Leibe em uma entrevista por telefone em abril, pouco depois de retornar da China, onde se encontrou com o escultor Wu.

“Talvez uma certa ingenuidade não seja sempre ruim, se evitar a interpretação excessiva, por isso você nem sempre disseca as coisas em detalhe e desconfia de tudo”, afirmou ele.

Wu recusou três pedidos de entrevista, dizendo que a estátua é um assunto de Estado e que ele não queria interromper seu fluxo criativo.

Conhecido na China por seus monumentos a figuras históricas e culturais, assim como sua longa cabeleira e suas echarpes, Wu, 55, é o diretor do Museu Nacional da China e tem um assento na Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, um órgão assessor do governo.

Ele produziu outras esculturas de Marx, notadamente uma que o mostra o seu colaborador Friedrich Engels, que está no Departamento de Tradução e Compilação do Partido em Pequim. Em 2011, uma enorme estátua de Confúcio que ele criou se ergueu brevemente perto da Praça Tiananmen em Pequim, antes de ser removida em circunstâncias que nunca foram totalmente explicadas.

Ele também é conhecido internacionalmente, tendo ganhado em 2003 o Prêmio Pangolin da Real Sociedade Britânica de Escultores; fez um busto da rainha Beatrix da Holanda e apresentou uma escultura ao Comitê Olímpico Internacional.

A visão grandiosa de Wu para a estátua de Trier derrubou um conceito mais abordável proposto por moradores que queriam Marx representado como uma criança, sentada em um banco numa pequena praça, onde as pessoas poderiam sentar-se ao seu lado.

“Wu veio a Trier e disse: ‘Esta praça é muito pequena e lotada. Karl Marx foi um grande homem e não podemos colocá-lo em uma praça pequena'”, disse Leibe.

Para Geremie Barmé, um dos fundadores da Academia Wairarapa para Nova Sinologia, na Nova Zelândia, a escultura é uma expressão de poder do partido.

“A sugestão dos alemães era de um Marx humano, humanista, uma fonte de mudança na China —e não o Marx heroico, esclerótico, formalizado, usado para os fins do partido, que Wu ofereceu”, disse Barmé por telefone.

A mensagem da China, segundo ele, é: “Já que somos os únicos que tivemos sucesso e adaptamos o marxismo à liderança do Estado, vamos lhes dizer do que se trata”.

NOTICIAS DA POLITICA E JUSTIÇA BRASIL

GRAPIÚNAS NA LAVA JATO

Davidson e Geraldo são citados (Foto NaChapa).

 

 

 

 

As delações premiadas no âmbito da Operação Lava Jato atingiram dois dos principais nomes do campo de esquerda no sul da Bahia. Após um dos delatores da Odebrecht citar doação de R$ 200 mil, via caixa 2, à campanha do PT à prefeitura de Itabuna, nominando o casal Juçara Feitosa e Geraldo Simões, agora é a vez de Davidson Magalhães.

O parlamentar está na lista de deputados federais baianos que receberam bufunfa da JBS. Davidson, conforme lista, recebeu R$ 600 mil na sua campanha ao parlamento federal em 2014. Outro nome do PCdoB baiano aparece lá, Alice Portugal, também deputada federal.

Geraldo Simões já se pronunciou publicamente. Disse nunca ter tido relações com a Odebrecht, nem quando era prefeito de Itabuna (1993-1996 e 2001-2004) nem durante mandato na Câmara Federal. E nega ter recebido os R$ 200 mil . Davidson se pronunciou. Afirmou que os R$ 600 mil recebidos foram de forma legal. “Nem Caixa 2, nem propina”.

Deputados da base e da oposição brigam no plenário da Câmara

Parlamentares trocam socos em dia de intensa instabilidade política e jurídica no País

24 Maio 2017

BRASÍLIA – Deputados da base e da oposição trocaram socos, empurrões e pontapés nesta quarta-feira, 24, no centro do plenário da Câmara dos Deputados. A confusão foi generalizada, e o deputado André Fufuca (PP-MA), que presidia a sessão no momento, pediu o auxílio de seguranças da Câmara dos Deputados

Câmara dos Deputados
Câmara tem sessão tumultuada com protesto de entidades sindicais em ato pedindo “Fora Temer” na Esplanada dos Ministérios em frente ao Congresso Nacional em Brasília  Foto: Dida Sampaio/Estadão

Entre os que estavam no meio do empurra-empurra, foi possível ver os deputados Darcísio Perondi (PMDB-RS) e Carlos Marun (PMDB-MS), da base, e Alessandro Molon (Rede-RJ), da oposição. Mas a briga envolveu grande número de parlamentares.

O clima só se acalmou quando o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), retornou à Mesa e informou que a sessão estaria suspensa por 30 minutos.

Parlamentares do PT, PDT, PSOL e Rede subiram em cima da Mesa Diretora e ficaram ao lado do segundo-vice-presidente da Casa, deputado André Fufuca, que presidia a sessão, para pressionar o parlamentar maranhense a encerrar os trabalhos. Ao ver o protesto, deputados governistas também subiram, para tentar “proteger” Fufuca da pressão. Foi neste momento que Edmilson e Perondi se empurraram.

Os opositores protestam contra a reação da polícia à manifestação realizada em frente ao Congresso Nacional contra as reformas trabalhista e da Previdência e contra o governo Michel Temer, abalado por crise política deflagrada pela delação premiada da JBS. Eles gritam palavras de ordem contra o governo como “Fora Temer” e “O povo quer votar, diretas já”. “Lula na cadeia”, reagem parlamentares da base.

Mais cedo, deputados como o líder da oposição na Câmara, José Guimarães (PT-CE), Jandira Feghali (PC do B-RJ) e Orlando Silva (PC do B-SP) relataram reação exagerada da polícia durante o protesto realizado pelas centrais sindicais em frente ao Congresso. De acordo com os parlamentares, policiais jogaram bombas de gás e spray de pimenta em pessoas que não estavam cometendo delitos, inclusive em alguns deputados.

Parlamentares da oposição recolheram algumas dessas bombas de gás e trouxeram para dentro do plenário. Eles posicionaram os instrumentos em frente da Mesa Diretora. A pedido de Fufuca, a segurança da Casa retirou os equipamentos. Com a confusão, Maia foi chamado às pressas e assumiu o comando dos trabalhos.

Estopim. A tensão no plenário da Câmara atingiu momentos dramáticos depois que chegou a informação aos parlamentares da oposição de que Maia havia solicitado ação das Forças Armadas para reforçar a segurança.

Parlamentares da oposição imediatamente cobraram de Maia, que presidia uma sessão já marcada por grande tumulto e desordem, uma posição oficial.

Diante da resposta afirmativa do presidente da Câmara de que havia pedido apoio “apenas” da Força Nacional, o plenário incendiou com os parlamentares aos gritos, lembraram que o ato marcava um momento histórico triste para Nação que não acontecia desde a redemocratização do País.

O estopim para o plenário virar campo de batalha foi a declaração do ministro da Defesa, Raul Jungmann, de que a decisão do presidente Michel Temer de decretar uma ação de Garantia da Lei e da Ordem, com uso de tropas federais, foi tomada após solicitação de Maia por causa da violência dos manifestantes na Esplanada do Ministérios.

Maia, então, deixou o plenário para se reunir com os líderes, mas teve que retornar pouco tempo depois porque deputados da oposição e da base de apoio ao presidente Michel Temer começaram a trocar socos e empurrões. Ele teve que voltar para dar mais explicações e tentar acalmar os ânimos. Acabou suspendendo a sessão.

Vereadora de Farroupilha diz que nordestinos ‘sabem roubar que é uma maravilha’; vídeo

Eleonora Broilo (PMDB) diz ter cometido uma falha ao não especificar que falava da classe política. Presidente da Câmara afirma que só será tomada uma providência caso alguma bancada faça um requerimento para instaurar comissão de ética.

Vereadora de Farroupilha diz que nordestinos 'sabem se unir para roubar'

Vereadora de Farroupilha diz que nordestinos ‘sabem se unir para roubar’

Uma vereadora de Farroupilha, na Serra do Rio Grande do Sul, criticou nordestinos em seu discurso durante a sessão de segunda-feira (22) na Câmara Municipal. Eleonora Broilo (PMDB) pediu a palavra depois de ouvir a manifestação de outros colegas (veja no vídeo acima).

“Eu acho que os nordestinos sabem muito bem se unir, sim, para roubar. Eles sabem ganhar propina. Eu acho que eles sabem se unir para aumentar a corrupção. Isso eu acho que eles são donos. Isso eu concordo plenamente. Talvez até eles não saibam nem falar muito bem, mas sabem roubar que é uma maravilha”, declarou em plenário.

Em seguida, após ser alertada pelo vereador Tiago Ilha (PRB) de que poderia ser mal interpretada, a vereadora afirmou que cometeu uma falha ao não especificar que falava da classe política.

“Eu não tinha me dado conta. Na realidade, eu só quis falar sobre o político nordestino. O povo nordestino é um povo que merece o nosso respeito pelo sofrimento dele. Eles não têm culpa nenhuma do seu político. Eu quis realmente falar sobre o político nordestino”, explicou, na mesma sessão.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Farroupilha, vereador Fabiano André Piccoli (PT), só pode ser tomada alguma medida contra a vereadora caso alguma bancada faça um requerimento de instauração de uma Comissão de Ética, com pelo menos um terço de assinaturas dos parlamentares.

“Até o momento não recebi nenhum requerimento, mas já há alguma movimentação acerca disso. Já defini que, se eu receber, vou deferir e será instaurada a comissão”, assegurou.

Piccoli destacou, ainda, que em caso de ir à Comissão de Ética, o relatório pode apontar que não houve abuso por parte da vereadora, pode indicar uma advertência, pode acarretar em uma suspensão temporária do mandato ou na cassação do mandato da médica pediatra Dr. Eleonora.

Ao G1, Eleonora garantiu que não teve a intenção de ofender o povo nordestino. Segundo ela, o que aconteceu foi uma divergência de ideia com um outro vereador, que havia afirmado que os políticos nordestinos é que sabiam fazer política. Como discordava da afirmação do colega, resolveu se manifestar sobre tema.

“Achei que era uma afronta aos nossos políticos. Peguei o gancho e me manifestei sobre o assunto. Em cinco minutos eu não me manifestei como deveria. Fui infeliz”, admitiu.

“Respeito muito o povo daquela região, minha afiliada mora lá e eu gosto muito do nordeste. Eu jamais falaria mal daquele povo, que é honesto, trabalhador e sofrido. E eu respeito qualquer trabalhador que seja honesto”, acrescentou.

Ela ainda comentou que está sendo atacada nas redes sociais devido à manifestação, que em sua avaliação foi divulgada fora de contexto.

“Todas as pessoas que, de uma maneira ou de outra, foram agressivas comigo nas redes sociais, vão ser interpeladas judicialmente depois. Não se faz isso com uma pessoa”, reclamou.

Odebrecht Óleo e Gás firma acordo com credores e pede recuperação extrajudicial

Empresa prevê troca de dívidas que venceria em 2021 e 2022 em duas fases.


A Odebrecht Óleo e Gás (OOG) protocolou no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro pedido de recuperação extrajudicial, como parte do acordo fechado com um grupo de credores para reestruturação de sua dívida financeira, informou a empresa em comunicado nesta terça-feira (23).

Conforme o documento, “os termos da reestruturação foram definidos de forma negociada e consensual com um grupo que representa mais de 60% do valor total das dívidas”.

Plataforma de perfuração da Odebrecht Óleo e Gás (Foto: Divulgação)

Plataforma de perfuração da Odebrecht Óleo e Gás (Foto: Divulgação)

O acordo prevê a troca dos títulos com vencimento em 2021 e 2022 por novos papéis, com amortizações em duas partes.

Em 12 de maio, a Reuters noticiou que as negociações da Odebrecht Óleo e Gás com os credores estava em fase final e a empresa estaria perto de formalizar a recuperação extrajudicial.

Dependência menor da Justiça

Na recuperação extrajudicial, a empresa e os credores entram em acordo para reestruturar a empresa e pagar as dívidas e apenas pedem o aval da Justiça para o plano. A Justiça pode ou não homologar o plano.

Na recuperação judicial, a companhia faz o pedido e só depois negocia um plano de recuperação judicial com os credores. Esse plano precisa ser votado em assembleia de credores e aprovado pela Justiça.

Oposição tenta barrar leitura do relatório da reforma trabalhista no Senado

Houve discussão entre senador Lindbergh Faria (PT-RJ) e o presidente da Comissão de Assuntos Econômicos, Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Tasso Jereissati e Lindbergh batem boca durante sessão do Senado

Tasso Jereissati e Lindbergh batem boca durante sessão do Senado

A reunião da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado desta terça-feira (23), destinada à leitura do relatório da reforma trabalhista, começou tumultuada. Parlamentares da oposição tentaram barrar a leitura do relatório, enquanto o presidente do colegiado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), defendeu que os trabalhos do Legislativo devem continuar apesar da crise política que atingiu o governo Michel Temer.

Desde que foram divulgadas as delações dos donos do grupo JBS – que atingem diretamente o presidente Michel Temer – parlamentares da oposição têm dito que vão obstruir todas as votações na Casa para que a crise seja debatida.

Apesar disso, o governo tenta articular para manter o ritmo de tramitação no Congresso das reformas trabalhista e previdenciária.

“Nosso trabalho continua normalmente, nós não entramos em férias.” (Tasso Jereissati)

O tumulto na CAE (assista ao vídeo acima) começou quando os senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Lindbergh Farias (PT-RJ) protestaram contra a leitura do relatório final do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) sobre a reforma trabalhista. A proposta, de autoria do governo Temer, já foi aprovada pela Câmara.

Primeiro, Gleisi reclamou que o início da sessão estava atrasado em mais de meia hora, o que, na visão dela, deveria provocar o cancelamento da sessão. Tasso Jereissati não cancelou a reunião, alegando que os atrasos são costume no colegiado.

“Não vai ser lido o relatório desse jeito, os senhores não vão impor.” (Lindbergh Farias)

Depois, Lindbergh afirmou que o relatório não poderia ser lido nesta terça porque Ferraço declarou na semana passada que o calendário da reforma estava suspenso em razão da crise política gerada pelas delações dos executivos da JBS.

Lindbergh: O relator deu entrevista dizendo que não existia possibilidade de continuar sem suspender tramitação da reforma trabalhista. Isso aqui é provocação pra gente. Não aconteceu nada quarta-feira, não aconteceu nada quarta-feira?

Tasso: Aqui nesta comissão, não [aconteceu nada]

Lindbergh: Aconteceu com o presidente da República

Tasso: Aqui nesta Comissão não. Nosso trabalho continua normalmente, nós não entramos em férias.

Os ânimos se exaltaram e o senador do PT disparou aos gritos.

Lindbergh: Não vai ser lido o relatório desse jeito, os senhores não vão impor.

Tasso: Por que o senhor não quer? Senador Lindbergh, por favor, eu apelo para o seu equilíbrio emocional.

O petista, então, afirmou que a oposição continuaria a obstruir os trabalhos, e Tasso voltou a afirmar que os trabalhos devem continuar para que a sociedade saiba que o “país não está desorganizado”.

“Na situação que nós estamos, de uma séria crise política e crise econômica, esta Comissão, assim como o Senado Federal, deve ter os seus trabalhos em andamento, para que a população tenha a clara noção que o país não está desorganizado, que o Legislativo funciona”, concluiu Tasso.

Depois disso, os trabalhos continuaram com debates sobre a proposta que está sob análise no Senado.

‘Podem chorar’

O clima voltou a ficar tenso na reunião quando o senador Paulo Paim (PT-RS) disse que ficou “surpreso” com a mudança de postura do relator Ricardo Ferraço que decidiu apresentar seu relatório nesta terça.

“Eu liguei para o senador Ferraço na semana passada e ele me disse que a reforma estava suspensa. E hoje estou surpreso com a decisão de ler o relatório […]. Eu acreditei no que ele disse tanto para a imprensa quanto para mim”, afirmou Paim.

Ferraço pediu a palavra para explicar a sua mudança de posição.

“Cheguei à conclusão de que a crise não pode impedir que a gente continue fazendo o nosso trabalho aqui no Senado […]. O Senado não está de recesso. Eu estou pronto para entregar o meu relatório. E vou exercer as minhas convicções no relatório”, disse.

“Não vou aceitar patrulhamento, sobretudo, daqueles que mergulharam nosso país nesta crise econômica com elevados reflexos sociais como ninguém assistiu na história brasileira”, completou.

A afirmação irritou parlamentares do PT. “O senhor quebrou sua palavra”, disse Fátima Bezerra (PT-RN). “Podem chorar, podem chorar”, rebateu Ferraço aos senadores da oposição.

Tasso Jereissati procurou acalmar os ânimos e pediu respeito aos convidados que foram até a CAE debater a reforma trabalhista.

Participam da audiência pública Márcio Pochmann, professor da Universidade Estadual de Campinas; André Portela, professor de Economia da FGV de São Paulo; Eduardo Fagnani, professor de Economia da Unicamp e Sérgio Firpo, professor do Insper.

‘Mais medo do vice que do presidente’

Em um raro momento de descontração na sessão desta terça da Comissão de Assuntos Econômicos, os integrantes do colegiado caíram na gargalhada. O motivo foi uma declaração do vice-presidente da CAE, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN).

O peemedebista pediu que a senadora Lídice da Mata (PSB-BA) terminasse sua exposição porque já havia extrapolado o tempo.

“Senadora Lídice, eu não quero que a senhora fique chateada comigo, porque eu sou só o vice-presidente, mas o tempo se esgotou”, solicitou Garibaldi.

“Eu vou terminar senador Garibaldi, porque hoje, na situação em que o país está, eu tenho mais medo do vice do que do próprio presidente”, respondeu a parlamentar do PSB, arrancando risadas dos colegas da comissão.

‘O Congresso tem que mostrar que não vai parar’, diz Meirelles

Em sua primeira aparição pública após a divulgação da delação da JBS, o ministro da Fazenda defendeu nesta terça-feira (23) a agenda de reformas econômicas.

Henrique Meirelles participa de evento em 23 de maio, em São Paulo (Foto: Darlan Alvarenga/G1)

Henrique Meirelles participa de evento em 23 de maio, em São Paulo 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, defendeu nesta terça-feira (23) a necessidade do avanço das reformas no Congresso e disse que a agenda econômica não pode ser interrompida pela crise política.

“O Congresso tem que mostrar que não vai parar e vai continuar votando as questões fundamentais para o país”, afirmou Meirelles em seminário sobre infraestrutura, em São Paulo.

Em sua primeira aparição pública após a divulgação da delação da JBS na semana passada, que provocou uma crise política envolvendo o presidente Michel Temer, Meirelles não comentou diretamente o assunto nem respondeu a perguntas, e evitou falar em crise. Disse estar numa “agenda intensa de trabalho” com membros do legislativo e agentes econômicos “visando assegurar que todo esse projeto continue”.

“A última coisa que nós precisamos agora é a economia começar a ter problema porque temos aí essas questões que estão sendo discutidas na área da política”, disse o ministro, que voltou a afirmar que o país “já está em trajetória de crescimento”.

Segundo Meirelles, é preciso, no entanto, avançar com as reformas para “sustentar essa trajetória de crescimento” e garantir o ajuste das contas públicas.

“Existe uma consciência nacional de que as reformas precisam ser feitas”, disse Meirelles citando que Rodrigo Maia, presidente da Câmara, estima que a votação da reforma da Previdência aconteça no começo de julho.

Ministro da Fazenda diz que a política econômica vai continuar

Ministro da Fazenda diz que a política econômica vai continuar

Meirelles também citou também a conversa que teve com investidores em teleconferência feita na véspera, na qual disse ter questionado os analistas se “existe dúvidas de que a política econômica que está sendo seguida vai continuar”.

Em teleconferência com investidores na segunda-feira, Meirelles também ressaltou a importância das reformas. Ele admitiu, no entanto, que a votação da reforma da Previdência poderia atrasar “semanas” diante da crise política.

O ministro foi aplaudido pela plateia ao comentar que muitos poderiam estar “preocupados com o que vai acontecer amanhã”, enquanto ele decidia usar a oportunidade para falar sobre a agenda de reformas defendida pelo governo para aumentar a produtividade da economia brasileira.

“Eu acho que essa é a agenda que o país está engajado e que vai continuar, independente de qualquer coisa. É a minha hipótese de trabalho. É nisso que eu acredito”, disse antes receber os aplausos.

Embora o seu nome esteja sendo ventilado como um possível candidato à Presidência no caso de uma eventual eleição indireta, Meirelles procurou enfatizar que seu compromisso é de médio e longo prazo, através da condução de uma agenda de reformas estruturantes e de micro reformas que visem a melhora da produtividade.

“Aposto no futuro do país, estou comprometido a isso, e estou de fato trabalhando dia e noite nessa direção”, disse o ministro ao encerrar sua palestra.

A organização do evento chegou a anunciar que o ministro daria uma entrevista coletiva e reservou uma área para o encontro com jornalistas, mas Meirelles deixou o local sem falar com a imprensa.

Agenda de microreformas

Entre as mudanças para melhorar a produtividade do país e reduzir a burocracia, Meirelles citou medidas em estudo para reduzir o tempo de abertura de empresas, simplificação do pagamento de tributos e maior facilitação para os procedimentos de importação e redução.

Segundo o ministro, juntamente com a aprovação das reformas da Previdência e trabalhistas, essa agenda econômica tem o potencial de elevar o crescimento do PIB nos próximos 10 anos de uma média de 2,3% para algo em torno de 3,7%.

Lula e Dilma padrinhos de casamento de dono da JBS? Não é verdade!

Foto tem sido compartilhada nas redes. Mensagem usa imagem de casamento do médico Roberto Kalil, tirada em 2015.

Lula e Dilma padrinhos de casamento de dono da JBS? Não é verdade!Lula e Dilma padrinhos de casamento de dono da JBS? Não é verdade!


“Casamento de Wesley, da JBS, irmão do Joesley. E olha os padrinhos”. Esse é um dos enunciados de uma mensagem que tem sido compartilhada nas redes sociais e que mostra os ex-presidentes Lula e Dilma ao lado de um casal de noivos numa cerimônia. A foto não é do casamento de um dos irmãos Batista.

Wesley e Alessandra se casaram em 2012. A foto em que estão presentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff é, na verdade, do casamento do cardiologista Roberto Kalil Filho com a endocrinologista Cláudia Cozer e foi tirada em maio de 2015. O casal teve 22 padrinhos. Além dos petistas Lula e Dilma, o senador tucano José Serra também foi um dos padrinhos.

 (Foto: Arte/G1) (Foto: Arte/G1)

(Foto: Arte/G1)

A assessoria da JBS esclarece que a foto não é do casamento de Wesley Batista e acrescenta que Lula e Dilma não foram padrinhos do casamento do empresário.

Foto de casamento tem sido compartilhada como se fosse de Wesley Batista (Foto: Reprodução/Facebook)

Foto de casamento tem sido compartilhada como se fosse de Wesley Batista (Foto: Reprodução/Facebook)

A foto começou a circular após a publicação das delações da JBS. Alguns internautas utilizaram a imagem sugerindo que as revelações foram uma “armação”. Lula e Dilma, no entanto, também foram citados pelos empresários.

É ou não é?’, seção de fact-checking (checagem de fatos) do G1, tem como objetivo conferir os discursos de políticos e outras personalidades públicas e atestar a veracidade de notícias e informações espalhadas pelas redes sociais e pela web. Sugestões podem ser enviadas pelo VC no G1, pelo Fale Conosco ou pelo Whatsapp/Viber, no telefone (11) 94200-4444, com a hashtag #eounaoe (caso prefira, a hashtag pode ser enviada logo após a mensagem também!)

Mineirão foi usado em esquema para repassar R$ 30 milhões a Pimentel, diz Joesley Batista em delação

Governador de Minas Gerais diz que acusação é ‘leviana e mentirosa’; HAP Engenharia afirma que não fez repasse do valor a político ou partido

Joesley Batista diz que comprou parte do Mineirão para legalizar repasses

Joesley Batista diz que comprou parte do Mineirão para legalizar repasses

O empresário Joesley Batista, proprietário da JBS, disse em delação premiada que o estádio Mineirão foi usado para repassar R$ 30 milhões ao então governador eleito de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), em 2014. Batista falou que se encontrou com Pimentel no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, e que foi orientado pelo político a comprar 3% das ações do estádio da HAP Engenharia – uma das empresas que integravam o consórcio Minas Arena, que controla o estádio.

“Ele [Pimentel] me recebeu lá no hangar mesmo, R$ 30 milhões, tudo bem. Para viabilizar, ele me apresentou um sujeito, que era o dono de uma construtora, que me vendeu 3% de um estádio”, disse Batista na delação.

Batista contou ainda que o pagamento do valor foi acertado por meio do então tesoureiro da campanha do PT, Edinho Silva, e que Pimentel já havia conversado com a então presidente da República, Dilma Rousseff (PT), e que ela havia indicado que o valor deveria ser pago a Pimentel.

Por meio da assessoria, o governador Fernando Pimentel afirmou que o delator faz uma “acusação leviana e mentirosa” e que não apresenta provas ou evidências materiais. Pimentel nega que tenha recebido valores da JBS. Sobre a HAP, afirmou que a empresa já esclareceu publicamente que exerceu o direito de compra e venda de ações e que a transação seguiu trâmites legais, não tendo havido repasse a político ou partido.

A HAP Engenharia confirmou a operação de venda de 3% de 16% das ações, mas esclareceu que para a formalização da transferência ainda aguarda a anuência de instituições financeiras. A empresa foi questionada sobre o tempo decorrido desde 2014 e ainda não se posicionou. Afirmou também que os recursos foram totalmente destinados à operação da construtora, não tendo havido repasse de qualquer parte a político ou partido político. A HAP se colocou à disposição da Justiça para apresentar os comprovantes da transação e da destinação dos recursos e para prestar todos os esclarecimentos necessários.

A Minas Arena, concessionária que administra o Mineirão, nega que a J&F e a JBS sejam acionistas do estádio e afirma não ter recebido autorizações necessárias para formalização de compra e venda de ações.

Em nota, assessoria de imprensa da ex-presidente Dilma Rousseff, do PT, disse que as afirmações do empresário Joesley Batista são improcedentes e inverídicas, que ela jamais tratou ou solicitou de qualquer empresário, nem de terceiros, doações, pagamentos ou financiamentos ilegais para campanhas eleitorais.

O diretório regional do PT-MG garantiu que todas as informações referentes à prestação de contas eleitorais, assim como de seus candidatos, foram devidamente apresentadas à Justiça Eleitoral.

O PT Nacional não vai se posicionar.

‘Saída que mais interessaria ao Brasil hoje’ seria eleição indireta, diz Renan Calheiros

Senador diz que Temer deve “facilitar o processo” para desfecho de crise política atual.

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e o presidente Michel Temer, durante reunião no Planalto no fim de 2016 (Foto: Beto Barata/PR)

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e o presidente Michel Temer, durante reunião no Planalto no fim de 2016 (Foto: Beto Barata/PR)

Líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros defende que eleições indiretas seriam a melhor saída para o Brasil. A declaração ocorre dias após a divulgação da delação de um dos donos do grupo JBS, Joesley Batista, que gravou o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha.

“A saída que mais interessaria ao Brasil hoje seria fazermos uma eleição agora, pelo Congresso Nacional. O mais rapidamente possível eleger o presidente e o vice-presidente da República. Acho que a circunstância coloca muitos nomes que poderiam cumprir seu papel e garantir com isso uma Assembleia Nacional Constituinte em 2018 e eleições gerais”, disse o senador em entrevista à Rádio Gaúcha nesta terça-feira (23).

Questionado diversas vezes se era a favor da renúncia de Temer, Renan Calheiros disse que defende uma “solução negociada”. O Impeachment, na opinião dele, não seria o mais adequado para o momento.

“A solução seria uma solução negociada, que partisse da necessidade que podemos ter várias saídas. Eu acho que o presidente da República vai compreender o seu papel histórico e colaborar para termos um rápido desfecho”, analisou.

No entendimento dele, Temer deve “facilitar o processo”.

“Acho que vamos ter um calendário daqui para a frente que pode, a qualquer momento, colocar um desfecho. Porque temos essa coisa da renúncia, que é unilateral, vai depender de um ato de vontade de um presidente, tem a questão do TSE, que tem um prazo parta ser discutido, e tem também o Supremo. Fundamental é que o presidente compreenda seu papel na história, converse, claro, e se disponha a facilitar o processo da forma mais viável”, destacou.

Calheiros afirma que não conversou com o presidente sobre o assunto, desde que as delações foram divulgadas. “Se houver necessidade, faço, sim, por enquanto não houve. É importante todo mundo conversar”, disse.

Na entrevista, listou alguns dos “muitos nomes” que poderiam assumir o cargo de presidente: ministra presidente do STF, Cármen Lúcia, ex-presidente do STF Nelson Jobim, ministro do STF Gilmar Mendes, presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, presidente do Senado, Eunício Oliveira, presidente do Senado, Joaquim Barbosa, ex-ministro do STF, e a senadora Kátia Abreu.

Já faz algumas semanas que Calheiros tem feito críticas públicas a Temer. Na segunda-feira (22), ele gravou um vídeo em que diz que o impeachment não é o melhor caminho. Em abril, chegou a comparar a gestão atual à “seleção do Dunga”, e acrescentou que os brasileiros querem a “seleção do Tite”.

Ao todo, 14 pedidos de impeachment de Michel Temer já foram protocolados na Câmara dos Deputados. Nove foram apresentados após divulgação de conversa com o empresário Joesley Batista. Outros cinco foram protocolados antes da delação do dono da JBS. O número deve aumentar, uma vez que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) decidiu apresentar outro pedido nesta semana.

 (Foto: Editoria de Arte/G1)

Justiça determina bloqueio de até R$ 26 milhões de ex-governadores e ex-vice do DF

Para Arruda e Agnelo, valor chega a R$ 10 milhões cada. Justiça também determinou bloqueio de até R$ 6 milhões de Tadeu Filippelli, ex-vice governador; até a manhã desta terça, ele era assessor de Temer.


Tadeu Filippelli (PMDB), à direita, ex-vice-governador e atual assessor especial do presidente Michel Temer, chega à sede da Polícia Federal em Brasília após ser preso pela Polícia Federal na Operação Panatenaico 

A Justiça do Distrito Federal determinou, nesta terça-feira (23), o bloqueio de até R$ 26 milhões dos ex-governadores José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz e do ex-vice-governador Tadeu Filippelli, que atualmente exercia a função de assessor do presidente Michel Temer.

Os três também são alvos de mandados de prisão temporária por, supostamente, integrarem um esquema de corrupção que superfaturou obras do estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, em troca de propina.

Para Arruda e Agnelo o bloqueio de bens é de até 10 milhões, cada um. Filippelli deve ter R$ 6 milhões em bens bloqueados, de acordo com a decisão. Outras sete pessoas também são citadas no pedido do Ministério Público Federal de bloqueio de bens – o montante total chega a R$ 50 milhões.

Às 11h55 desta terça, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República informou que Filipelli foi exonerado do cargo. Ele havia sido nomeado em 22 de setembro de 2016, ficando portanto exatos 8 meses no cargo.

A construtora Via Engenharia, que participou de todo o processo licitatório no consórcio com a Andrade Gutierrez, também foi alvo de bloqueio de bens. Por determinação da 10ª Vara Federal, o valor é de até R$ 100 milhões.

 (Foto: Editoria de Arte/G1)

Três acusados de terem participado do esquema, no entanto, tiveram o pedido de indisponibilidade de bens indeferidos. Segundo o juiz, a situação dos advogados José Wellington Medeiros de Araújo e Luiz Carlos Barreto de Oliveira Alcoforado, bem como do empresário Alberto Nolli Teixeira, sócio da Via Engenharia, “que sofrerão somente busca e apreensão, pelo menos até o presente momento, é diferente daqueles a quem se requer também prisão temporária”.

Polícia Federal do DF cumpre mandados de prisão temporária contra dois ex-governadores do DF   (Foto: Beatriz Pataro/G1 )

Polícia Federal do DF cumpre mandados de prisão temporária contra dois ex-governadores do DF (Foto: Beatriz Pataro/G1 )

Os mandados de prisão contra os políticos e outros seis acusados de envolvimento no esquema começaram a ser cumpridos pela Polícia Federal por volta das 7h desta terça-feira.

“Diante da gravidade da crise política” ministra Cármen Lúcia cancela sessão do CNJ

'Diante da gravidade da crise política' ministra Cármen Lúcia cancela sessão do CNJ

Foto: Agência Brasil

A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), cancelou a sessão do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), prevista para a manhã desta terça-feira. Segundo a revista Veja, o “CNJ alegou que a sessão de julgamentos foi adiada em função da “intensa agenda de trabalho no Supremo Tribunal Federal (STF)”.

De acordo com a Veja “nos bastidores, porém, Cármen telefonou para integrantes do colegiado e alegou que, diante da gravidade da crise política” – que atinge o governo Temer – “não ficaria bem para o CNJ atuar como se nada estivesse acontecendo e julgar normalmente processos administrativos disciplinares e sindicâncias de menor relevância”.

Perito contratado por Temer defendeu Kátia Vargas e negou colisão comprovada por laudo

Perito contratado por Temer defendeu Kátia Vargas e negou colisão comprovada por laudo

Foto: Divulgação

Contratado pelo presidente Michel Temer para atuar na investigação de áudios divulgados pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, em delação premiada, o perito Ricardo Molina já é bem conhecido por conta de aparições no noticiário baiano nos últimos anos. Em 2013, ele foi contratado pela família da médica Kátia Vargas, denunciada pelo Ministério Público como a causadora da batida que resultou na morte dos irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes, em acidente no dia 11 de outubro daquele ano, no bairro de Ondina.

Na defesa, Molina afirmou categoricamente que em nenhum momento o veículo dirigido pela médica chocou-se com a moto que levava os dois irmãos, fato negado por um laudo pericial divulgado em maio deste ano. A perícia apontou o que já tinha sido afirmado pelo Ministério Público, denunciando que a oftalmologista estava em uma perseguição, em alta velocidade, e que ela deu causa ao acidente envolvendo os irmãos Gomes em uma manobra com o carro.

Ao analisar o áudio divulgado por Joesley, Molina denunciou uma série de possíveis erros na gravação. Molina também afirmou que a maior parte da gravação é de trechos sobre os quais não é possível determinar o significado do que foi dito. “Mais da metade, com toda certeza, é ininteligível”, disse.

Polícia Federal cumpre mandados de prisão contra ex-governadores do DF

Polícia Federal cumpre mandados de prisão contra ex-governadores do DF

Foto: Agência Brasil

Os ex-governadores do Distrito Federal José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz, além do ex-vice Tadeu Filippeli estão na mira da Polícia Federal, na manhã desta terça-feira (23). De acordo com informações da PF, mandados de prisão temporária foram expedidos e já estão sendo cumpridos pelos agentes.

A ação tem como base a delação da empreiteira Andrade Gutierrez, que indica corrupção durante a construção do estádio Mané Garrincha — o mais caro da Copa de 2014. O orçamento inicial que girava em torno de R$ 600 milhões, terminou com o custo de R$ 1,575 bilhão.

Agentes públicos, construtoras e operadores das propinas que atuaram na época também são alvo da operação.

Rodrigo Rocha Loures entrega mala que estava desaparecida com R$ 500 mil à PF

|

Rodrigo Rocha Loures entrega mala que estava desaparecida com R$ 500 mil à PF
Afastado da Câmara Federal, o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) entregou a mala com os R$ 500 mil na sede da Polícia Federal (PF), em São Paulo, ainda na noite desta segunda-feira (21). A informação foi confirmada pela coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.
Ainda ontem, o jornal divulgou que a mala estava desaparecida (veja aqui). A última vez que seu paradeiro foi detectado pela PF foi no dia 28 de abril quando Rocha Loures saiu com ela de um estacionamento, na capital paulista, e adentrou um táxi às pressas.
De acordo com a delação da JBS, o deputado foi indicado pelo presidente Michel Temer (PMDB) para resolver os assuntos da empresa no governo. Em seguida, o parlamentar foi visto ao receber a mala com dinheiro de Ricardo Saud, lobista da JBS. Bahia Notícias

23
MAI
2017

Polícia Federal cumpre mandados de prisão contra 2 ex-governadores do DF

|

Resultado de imagem para Polícia Federal cumpre mandados de prisão contra 2 ex-governadores do DF

A Polícia Federal deflagrou nesta terça (23) a Operação Panatenaico, com mandados de prisão temporária contra o assessor especial da Presidência da República, Tadeu Filippelli, e os ex-governadores do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR) e Agnelo Queiroz (PT).

Filippelli foi vice-governador na gestão de Agnelo e é presidente do diretório do PMDB no DF.
Segundo a PF, o objetivo da ação é investigar uma suposta organização criminosa que fraudou e desviou recursos das obras de reforma do estádio Mané Garrincha para Copa do Mundo de 2014.
“Orçada em cerca de R$ 600 milhões, as obras no estádio, que é presença marcante na paisagem da cidade, custaram ao fim, em 2014, R$ 1,575 bilhão. O superfaturamento, portanto, pode ter chegado a quase R$ 900 milhões”, diz a Polícia Federal.
As informações estão no acordo de delação premiada que a Andrade Gutierrez fez com investigadores da Lava Jato.
A hipótese investigada pela PF é que agentes públicos, com a intermediação de operadores, tenham realizado conluios e simulado procedimentos previstos em edital de licitação. (Bocão News)

PF dá início a análise de áudio da conversa de Temer com Joesley Batista

|

Resultado de imagem para os áudio da conversa de Temer com Joesley Batista
A Polícia Federal recebeu neste domingo (21) a gravação entregue pelos executivos da Holding J&F à Procuradoria-geral da República na qual o presidente Michel Temer aparece em conversa no Palácio do Jaburu com o empresário Joesley Batista. Em nota divulgada no início da noite, a PF confirmou o recebimento dos áudios e dos quesitos apresentados pela PGR e pela defesa do Presidente Temer. Esses quesitos são questionamentos que a PGR e a defesa do presidente pretendem fazer sobre possíveis edições e falhas na gravação.
A perícia foi solicitada após a defesa de Temer, baseada em perícias divulgadas por jornais, contestar a autenticidade da gravação. O perito extrajudicial e judicial Marcelo Carneiro de Souza afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo ter identificado “fragmentações” em 14 momentos na gravação. “Em análise técnica preliminar, o Instituto Nacional de Criminalística apontou que é fundamental ter acesso ao equipamento que realizou as gravações originais. Por esse motivo, a PF oficiou à PGR, solicitando o aparelho. Não há prazo inicial estipulado para conclusão dos trabalhos periciais, especialmente diante da necessidade apontada de perícia também no equipamento”, afirma a PF. (B.N)

GIRO DE NOTICIAS DA BAHIA CAPITAL E INTERIOR

Rui se reúne com prefeitos baianos para formalizar consórcio de manutenção de estradas

Rui se reúne com prefeitos baianos para formalizar consórcio de manutenção de estradas

Foto: Tácio Moreira/ Metropress

O governador do estado, Rui Costa (PT), vai se reunir nesta quarta-feira (24), às 9h, no auditório da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), com 84 prefeitos para que eles assinem contrato com o governo baiano para formação de Consórcios Públicos de Infraestrutura da Bahia – Consórcio Multifinalitário. Segundo o governo, os consórcios pretendem executar serviços de manutenção de estradas em mais de 3 mil km de extensão, abrangendo mais de 110 municípios baianos, por meio de parcerias entre o Estado e os municípios.

No total, são 10 consórcios, dos quais dois já tiveram os contratos assinados – Portal do Sertão e Vale do Jiquiriça. Os oito que assinarão contratos nesta quarta-feira são: Mata Atlântica, Chapada Forte, Território do Sisal, Território do São Francisco, Municípios do Oeste da Bahia, Alto Sertão, Bacia do Jacuípe e Território de Irecê.

Presidente do PT na Bahia provoca ACM Neto: “Não está cuidando bem de Salvador”

Presidente do PT na Bahia provoca ACM Neto: 'Não está cuidando bem de Salvador'

Foto: Tácio Moreira/ Metropress

Reeleito presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, afirmou na manhã desta terça-feira (23), em entrevista à Rádio Metrópole, que tem pesquisas internas dentro do próprio partido que desmentem uma possível liderança do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), na disputa pelo governo do estado em 2018.

“O povo diz assim: “o governador de Salvador vai disputar contra o governador da Bahia?” É policlínica, recursos, muita coisa feita por Rui Costa no interior, mas também é um debate pontual, muita coisa está acontecendo na política, tem gente citada na Lava Jato. Uma hora o candidato da oposição é o prefeito de Salvador, outra é o ex-prefeito de Mata de São João [o deputado federal João Gualberto]. O papel de ACM Neto é cuidar de Salvador e não está cuidando bem, principalmente na época das chuvas. Diz que é a favor do povo pobre, mas vota a favor da reforma da Previdência”, criticou o petista.

Avanço do mar faz Mucuri decretar situação de emergência

Avanço do mar faz Mucuri decretar situação de emergência

Foto: Athylla Borboema/Teixeira News

Localizado no extremo sul do estado, o município de Mucuri decretou emergência devido a erosão marítima. A situação foi reconhecida pela Defesa Civil do estado, na última sexta-feira (19). Desde 2008, a cidade sofre com o avanço do mar, responsável pela destruição de boa parte da orla.

Agora, o governo federal, por meio do Ministério da Integração Nacional, precisa reconhecer também o estado de emergência para que a cidade receba suporte.

“O avanço do mar é sobre pousadas e residências, barracas de praia são derrubadas. Até ruas foram engolidas pela erosão. Isso traz prejuízos para a região. A situação se agrava nessa época de inverno”, disse o assessor jurídico da prefeitura de Mucuri, Robson Carlos Pereira Silva.

Ângelo Coronel comemora mudanças na AL-BA após três meses na presidência

Ângelo Coronel comemora mudanças na AL-BA após três meses na presidência

Foto: Tácio Moreira /Metropress

Depois que deu fim a um ciclo de cinco mandatos consecutivos do deputado Marcelo Nilo (PSL), Ângelo Coronel (PSD) comemora as mudanças na Assembleia Legislativa da Bahia, após ter assumido a presidência há pouco mais de três meses. Em entrevista á Rádio Metrópole, nesta terça-feira (23), Coronel demonstrou satisfação e fez um balanço positivo.

“Dizem que o poder só é ruim se você está fora dele. Eu seria hipócrita se dissesse que não estou gostando. Eu vejo que estamos tendo estímulos de aprovação positiva. A gente abre o gabinete para atender a todos, não tem distinção. Hoje, todos os colegas, até os que não compraram a ideia de nossa candidatura, são os que mais elogiam nossa postura. Isso deixa a gente com o ego massageado. Hoje não existem mais decisões monocráticas, ouço a todos. A mesa diretora hoje opina, tudo hoje são decisões colegiadas, não são decisões unilaterais”, falou o presidente da ALBA, destacando as ações implantadas.

“A reeleição foi uma das nossas propostas de campanha e foi aprovada por unanimidade, qualquer outro deputado pode pleitear ser presidente. Isso foi um grande marco da nossa gestão em 3 meses e meio. Fizemos cortes, hoje não precisamos pensar em suplementação. Fizemos alguns incrementos para servidores efetivos, reduzimos conta de energia, de água, de papel. Hoje o diário oficial é todo eletrônico, reduzimos o consumo interno da casa, papel hoje na casa quase não existe”

Ângelo Coronel destacou também o trabalho de gestão independente que vem fazendo dentro da Assembleia. “Quando nós assumimos a candidatura para presidente, eu disse que iria tornar o parlamento independente. Qualquer parlamento tem que ser independente. Nós implantamos a independência na primeira semana que assumimos. Todo executivo quer um parlamento mais ligado umbilicalmente. Se o governador Rui Costa tem ressalvas contra esse nosso posicionamento, nunca me falou nada”, disse.

Eleições 2018: “Otto Alencar é o meu pré-candidato ao governo”, declara Coronel

Eleições 2018: 'Otto Alencar é o meu pré-candidato ao governo', declara Coronel

Foto: Reprodução/Agência Brasil

Durante entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, na manhã desta terça-feira (23), o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel (PSD), falou sobre as eleições de 2018 e negou ter interesse em outros cargos depois do fim de seu mandato na Casa. “Eu pretendo me afastar da vida pública”, disse.

Apesar de ressaltar a aliança com o governador Rui Costa (PT), Coronel defendeu “posicionamentos divergentes” no partido. “Meu pré-candidato ao governo é [o senador] Otto Alencar. Não é porque eu sou da base de Rui que vou escolher ele”, declarou.

“Acho que todo partido tem o direito de, dentro do seu seio, da sua corporação, ter voz divergente. Evidente que, se lá na frente, o partido achar que deve marchar com o governador Rui Costa, não serei oposição a isso, seguirei o partido”, finalizou.

Coronel brinca com “traição” de Wagner: “Não ficou mágoa”

Coronel brinca com “traição” de Wagner: “Não ficou mágoa”

Foto: Tácio Moreira/Metropress

Presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Angelo Coronel (PSD) lembrou a corrida pela chefia da Casa em entrevista à Rádio Metrópole nesta terça-feira (23). Na época, quando disputou com o então presidente Marcelo Nilo (PSL), Coronel não teve o apoio do ex-governador Jaques Wagner (PT).

“Wagner trabalhou contra mim, pediu voto para Marcelo Nilo. Toda vez que encontro com ele falo brincando que ele me traiu. Mas não ficou mágoa, Wagner é meu amigo. E o governador [Rui Costa] ficou neutro”, disse.

“Marcelo Nilo foi ingrato com o governador”, declara presidente da AL-BA

'Marcelo Nilo foi ingrato com o governador', declara presidente da AL-BA

Foto: Tácio Moreira/Metropress

O ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Marcelo Nilo (PSL), foi lembrado pelo atual chefe da Casa Angelo Coronel (PSD), na manhã desta terça-feira (22), durante entrevista à Rádio Metrópole.

Na avaliação de Coronel, que quebrou o reinado de 10 anos de Nilo, o homem de Antas não agiu corretamente com o governador Rui Costa (PT). “Acho que Marcelo Nilo foi ingrato com o governador. Porque Rui ficou independente no processo”, opinou ao ser questionado sobre as eleições no início do ano.

“Nilo contava ainda que, dentro do PSD, haveria duas traições. Ele provou do veneno dobrado e eu que tirei dois votos do partido dele. Os votos dos deputados Alan Castro e Manassés”, concluiu.

Litoral baiano deve ter ondas de até 3 metros, alerta Marinha

Litoral baiano deve ter ondas de até 3 metros, alerta Marinha

Foto: Agência Brasil

O litoral baiano deve ter ondas de até três metros devido ao mau tempo esta semana. O alerta foi emitido pela Marinha do Brasil na noite da última segunda-feira (22).

De acordo com informações do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), os dados são referentes a área entre Caravelas, no sul do estado, e Salvador.

Ainda segundo a Marinha, há aviso de ressaca entre Ilhéus e Maceió, em Alagoas. Nesta área, a previsão é de ondas de até 2,5 metros.

Governo do Estado nomeia 35 peritos aprovados em concurso

O Governo do Estado vai nomear mais 35 peritos (25 médicos-legais e 10 odonto-legais) aprovados em concurso público. A informação foi divulgada pelo governador Rui Costa por meio do Twitter (@costa_rui), na tarde desta segunda-feira (22). “Com isso, fechamos as nomeações de todos candidatos aprovados no curso de formação. Esforço feito para atender ao interior do estado”, comentou Rui.
O decreto com a relação dos candidatos será publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça (23). O impacto financeiro com estas nomeações será de R$ 6,2 milhões anuais. Os 35 peritos vão atuar no interior baiano e somar-se a outros 86 já nomeados pelo mesmo edital de 2014 para compor o quadro de servidores da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Com este decreto, o Governo alcança o número de 121 peritos nomeados (38 criminalísticos, 56 médicos-legais, 10 odonto-legais e 17 técnicos de polícia).

PM de Gandu inicia ciclos de Cursos Profissionalizantes para a comunidade Ganduense e Região.

A Polícia Militar de Gandu, Sexagésima Companhia Independente, iniciou na noite desta Segunda Feira, o primeiro ciclo de Cursos Profissionalizantes de caráter integralmente gratuito, destinado a comunidade ganduense e de cidades circunvizinhas. O Projeto é mais uma iniciativa que se embute no mais novo paradigma da Polícia Militar da Bahia, que é fortalecer “Corrente do bem” constituída entre a PM X Comunidade.

Segundo a assessoria do Major PM Rodrigues de Castro, Comandante da Unidade, o Curso conta com a participação de Oficiais e Praças da 60 CIPM/Gandu; De profissionais de trabalhos reconhecidos pela comunidade estando sob a Coordenação de Bruna Emanuela, Gila e da Subtenente Suzakati.

Diversas áreas foram estabelecidas para a promover a profissionalização e/ou aperfeiçoamento de profissionais, entre estes, iniciou-se nesta Segunda Feira, o Curso de Salão de Beleza que conta com um número limitado de 12 aprendizes. O Curso esta acontecendo no período noturno no Estabelecimento “Curso Profissionalizante Qualifica localizado no Centro de Gandu e conta com a participação do Instrutor e Cabeleireiro Sr., Elidone, conhecido pela clientela como Done.

Já nesta terça feira no período noturno, 23, A Policia Militar de Gandu, também iniciará o curso de – manicure – com aproximadamente 20 alunas. O Curso tem previsão para acontecer no Colégio Wilson Lins tendo início as 19:00 horas enquanto que, ainda nesta semana, se vislumbra a iniciação do Curso de “Agente Administrativo” que deverá também contar com um número de vagas limitadas de 20 alunos, tendo como Professor, o policial militar Murilo Guimarães, Bacharel em Administração e Pós Graduado em Projetos de Cidade.

Disse finalmente o Major PM Rodrigues de Castro, que encontra-se em andamento a constituição de novos cursos a exemplo de Corte e Costura; Culinária e Informática. O retardamento destes cursos se dá em virtude da aquisição de materiais necessários para o início. Acrescentou ainda, que o objetivo da promoção destes Cursos pela Instituição Policial Militar, busca profissionalizar e/ou aperfeiçoar os jovens de nosso município e Região, potencializando as oportunidades no Mercado de Trabalho.

Eduardo Magalhães: Dono de carroça é preso após animal desfalecer por não suportar carga

Um homem foi detido por maus tratos a um animal em Luís Eduardo Magalhães, extremo oeste baiano. O acusado continua detido nesta terça-feira (23) e deve ser liberado após assinar um TCO [Termo Circunstanciado de Ocorrência], em que se compromete a passar o cavalo aos cuidados de uma ONG de proteção e defesa animal. Segundo a delegacia da cidade, o cavalo fraturou uma pata e caiu ao não suportar o peso da carroça que transportava madeira. O fato ocorreu no domingo (21) no cruzamento de duas avenidas no centro da cidade. Populares chegaram a levantar o cavalo. Depois, policiais civis encontraram o dono que foi levado algemado à delegacia. Ainda segundo a Polícia Civil, tanto o cavalo ferido como outro animal usado para carga pelo acusado vão ser direcionados à ONG.

Ubatã: Embasa irá paralisar fornecimento de água na próxima quinta-feira (25) e sexta-feira (26)

Estação de Tratamento de Água de Ubatã
Foto: Site Notícias de Ubatã
O escritório local da Embasa de Ubatã, gerenciado por José Renildo Xavier dos Santos, informou na manhã desta segunda-feira (22), que estará paralisando o fornecimento de água na próxima quinta-feira (25) e sexta-feira (26).
A paralisação se dará em virtude da necessidade de efetuar reparos em um dos equipamentos da Estação de Tratamento de Água. Em tempo, Renildo se coloca à disposição da comunidade para o esclarecimento de quaisquer dúvidas. Contato: (73) 3245-1266 / (73) 98834-9606.

Fórum de Camaçari é arrombado e computadores são roubados

|

O Fórum Clemente Mariani, em Camaçari, na região metropolitana de Salvador, foi arrombado por criminosos na madrugada desta segunda-feira (22). Segundo a Polícia Civil, alguns computadores foram roubados. De acordo com o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), que administra o fórum, apesar do arrombamento, a população foi atendida normalmente nesta segunda.
Segundo a delegada Taís Siqueira, titular da Delegacia de Camaçari, o crime foi descoberto depois que funcionários do fórum chegaram para trabalhar no início da manhã. O TJ informou que os criminosos entraram pelo salão reservado ao júri e reviraram a sala da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Conforme a delegada Taís Siqueira, uma perícia foi realizada no local durante a manhã desta segunda-feira e irá ajudar a esclarecer o ocorrido. De acordo com a delegada, ninguém foi preso e ainda não há informações sobre a autoria do crime. G1 Bahia

Brumado: A pedido do MP, prefeitura exonera servidores por nepotismo

|

Brumado: A pedido do MP, prefeitura exonera servidores por nepotismo
A Prefeitura Municipal de Brumado exonerou 12 servidores na última sexta-feira (19), a partir de uma recomendação do Ministério Público da Bahia para coibir nepotismo na cidade. Outros dois servidores continuam trabalhando, mas foram afastados de funções de confiança que ocupavam. A recomendação foi expedida no último dia 9 pelo promotor de Justiça Ruano Fernando da Silva Leite, recomendou. Ele pediu que o prefeito anulasse as contratações de Rodrigo Cunha de Vasconcelos e de Fabrícia Pinchemel Amorim Castro, bem como de todos os agentes públicos que fossem cônjuges, companheiros ou parentes em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, do prefeito, do vice-prefeito, dos vereadores ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargos de confiança ou de função gratificada na administração pública municipal. O MP recomendou ainda que se evite a formação de novos contratos, designações ou nomeações que não atendam às restrições.(Bahia Notícias)

23
MAI
2017

Esmeralda gigante de 360 kg é achada no norte da Bahia

|

Uma esmeralda gigante, que pesa 360 kg e tem 1,3 metros de altura, foi encontrada há 25 dias na Mina da Carnaíba, no município de Pindobaçu, norte do estado. A região é conhecida pela exploração do mineral. Esta é a segunda pedra de grande porte encontrada na região. A primeira, achada em 2001, tinha 20 kg a mais e foi avaliada em cerca de R$ 1 bilhão. A pedra foi localizada a 200 metros de profundidade pela Cooperativa Mineral da Bahia, que tem autorização para explorar a área, e vendida a um minerador da região. Por motivos de segurança, o dono da pedra bruta não quis dar entrevista e nem informou quanto pagou pela esmeralda. O advogado dele, Márcio Jandir, disse que o cliente já providenciou documentação para legalizar a propriedade da pedra adquirida por ele. “Nós já fizemos toda a emissão do certificado de origem, exigência do DNPM [Departamento Nacional de Produção Mineral]. O documento já foi emitido. Hoje o proprietário da pedra está autorizado a transitar com ela em território nacional e, obviamente, ele almeja fazer exposições com a pedra e apresentar em museus e bibliotecas”, disse o advogado. A esmeralda Bahia, encontrada em 2001, foi levada para os Estados Unidos ilegalmente e, durante vários anos, foi motivo de uma disputa judicial entre o governo brasileiro e o americano. Até que, em 2015, foi decidido que a pedra ficaria nos Estados Unidos. *Informações do G1

Ubatã: Vereador Gabriel solicita microônibus para transporte de pacientes para Itabuna

|

O vereador Gabriel Nascif, solicitou por meio de um Requerimento, que a Prefeitura Municipal de Ubatã, estivesse adquirindo um micro ônibus para os pacientes que diariamente realizam exames no município de Itabuna. O pedido foi feito em uma sessão realizada na última quinta-feira (18), onde o Edil destacou a grande necessidade de um novo veículo para a comunidade, que hoje conta apenas com uma Van Topic para o transporte de pacientes de Hemodiálise.

(Imagem/Ilustrativa)

Em seu relato o vereador afirmou que muitos ubatenses tem deixado de realizar suas consultas já marcadas, por falta de recurso para se deslocarem. Ainda de acordo o Edil fica evidente que o número de exames aumentou sensivelmente durante a gestão atual, porém o transporte dos pacientes ainda precisa ser melhorado.

“A maioria dos municípios já possuem um micro ônibus que realiza diariamente o transporte de pacientes que passam por diversos tipos de exames, no entanto em nosso município há uma carência em relação a essa grande necessidade”. Afirma  Gabriel Nascif. (Notícias de Ubatã)

DELAÇÃO NA POLITICA BRASILEIRA

Lula articula com lideranças para evitar eleição indireta; solução seria cassação de chapa

Brasil, Brasília, DF. 07/05/2009. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva em cerimônia de formatura de diplomatas do Instituto Rio Branco, em Brasília. - Crédito:BETO BARATA/AGÊNCIA ESTADO/AE/Código imagem:49826

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato à Presidência da República, estaria articulando com lideranças de esquerda para tentar garantir que, caso Michel Temer deixe o cargo, haja eleição direta. De acordo com o Valor Econômico, Lula teria se reunido com lideranças do PT e de movimentos populares e definido que a melhor solução para o atual cenário seria a cassação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caso as eleições sejam indiretas, quem escolhe o próximo presidente são os parlamentares do Congresso, o que causou insegurança para Lula.

Dono da JBS diz ter transferido US$ 150 milhões no exterior para campanhas de Lula e Dilma

lula_dilma4

O dono da JBS, Joesley Batista, disse que transferiu para contas no exterior US$ 70 milhões destinados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e mais US$ 80 milhões em conta, também no exterior, em benefício da ex-presidente Dilma Rousseff.

Os montantes, afirmou, foram enviados por meio do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega e gastos “tudo em campanha”. Joesley falou que tanto Lula quanto Dilma tinham conhecimento dos repasses.

A defesa do ex-presidente Lula afirma “que as afirmações de Joesley Batista em relação a Lula não decorrem de qualquer contato com o ex-presidente, mas sim de supostos diálogos com terceiros, que sequer foram comprovados”. Lula é inocente, ainda segundo nota assinada pelos advogados Cristianio Zanin Martins e Roberto Teixeira. A assessoria da ex-presidente Dilma negou irregularidades, e disse que “são improcedentes e inverídicas as afirmações do empresário”.

A declaração foi dada por Joesley em 3 de maio de 2017 na sede da Procuradoria Geral da República, em Brasília. “Teve duas fases, a do presidente Lula e teve a fase da presidente Dilma”, disse. “Na fase do presidente Lula chegou a US$ 80 milhões de dólares, na fase da presidente Dilma chegou a uns US$ 70 [milhões]. Ou ao contrário: US$ 70 [milhões] na do Lula e US$ 80 [milhões] na da Dilma.”

Joesley disse que inicialmente não tinha se dado conta de que os valores eram destinados às campanhas eleitorais de Lula e Dilma. Ele afirma ter percebido quando, ainda segundo ele, Guido pediu a abertura de uma segunda conta, em nome do próprio empresário. “Foi aí a primeira vez que eu desconfiei que o dinheiro não era dele [Guido]”

Quando terminou o governo Lula, ele falou: agora tem que abrir outra conta. Essa conta é da conta do Lula. Essa aqui.. tem que abrir uma para Dilma”, disse. Fiz uma pergunta pra eles sabem disso? Lula sabe disso, Dilma sabe ? Não, sabe sim, eu falo tudo pra eles”. Ele disse levar frequentemente o extrato das contas para o então ministro.

Em 2014, Joesley disse ter sido chamado por Guido e orientado a doar, a partir das mesmas contas, dinheiro para candidatos do PT e de outros partidos –citou PMDB e PC do B. “Quando eu percebi que as doações estavam indo para valores estratosféricos, eu fui lá no ministro e disse, por mais que a maior parte tenham sido oficiais, o número vai ficar muito discrepante em relação ao segundo [maior doador]”. O ministro então lhe disse, ainda segundo Joesley: “Tem que fazer”.

Encontros com Lula e Dilma

O empresário afirma ainda ter falado com Lula a respeito. “Eu conheci o presidente Lula em 2013. Preisdente Lula, não sei se o senhor tem a ver com isso ou não tem. Nós estamos fazendo doação, nós somos o maior doador, e as doações já passaram de R$ 300 milhões, hein? O senhor está entendendo a exposição que vai virar isso?” Lula, segundo Joesley, nada falou. “O presidente ficou olhando pra mim, não falou nem sim nem não… e ficou um silêncio na sala.” O encontro ocorreu em 2014.

Ele também afirma ter encontrado a então presidente Dilma. “Com a Dilma eu fui bem mais explícito com ela: contei meio que tudo. Senhora presidenta, tem duas contas, tem uma que o Guido falou que era sua e outra que era do Lula. Já acabou seu dinheiro e o do Lula.” E procurador do Ministério Público Federal então pergunta se sabia que o dinheiro tinha relação com o BNDES, ao que Joesley responde: “Sabia perfeitamente”.

“Não, é importante fazer, tem que fazer”, disse Dilma, de acordo com o relato do empresário. “Daí eu saí com a certeza de que ela sabia de tudo [dos repasses às campanhas].

A JBS e os irmãos Joesley e Wesley Batista fecharam delação premiada, homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Veja as notas das defesas dos ex-presidente Lula e Dilma:

Lula:

Verifica-se nos próprios trechos vazados à imprensa que as afirmações de Joesley Batista em relação a Lula não decorrem de qualquer contato com o ex-Presidente, mas sim de supostos diálogos com terceiros, que sequer foram comprovados.

A verdade é que a vida de Lula e de seus familiares foi – ilegalmente – devassada pela Operação Lava Jato. Todos os sigilos – bancário, fiscal e contábil – foram levantados e nenhum valor ilícito foi encontrado, evidenciando que Lula é inocente. Sua inocência também foi confirmada pelo depoimento de mais de uma centena de testemunhas já ouvidas – com o compromisso de dizer a verdade – que jamais confirmaram qualquer acusação contra o ex-Presidente.

A referência ao nome de Lula nesse cenário confirma denúncia já feita pela imprensa de que delações premiadas somente são aceitas pelo Ministério Público se fizerem referência – ainda que frivolamente – ao nome do ex-Presidente.

Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira

Dilma:

A propósito das notícias a respeito das delações efetuadas pelo empresário Joesley Batista, a Assessoria de Imprensa da presidenta eleita Dilma Rousseff esclarece que são improcedentes e inverídicas as afirmações do empresário:

1. Dilma Rousseff jamais tratou ou solicitou de qualquer empresário ou de terceiros doações, pagamentos e ou financiamentos ilegais para as campanhas eleitorais, tanto em 2010 quanto em 2014, fosse para si ou quaisquer outros candidatos.

2. Dilma Rousseff jamais teve contas no exterior. Nunca autorizou, em seu nome ou de terceiros, a abertura de empresas em paraísos fiscais. Reitera que jamais autorizou quaisquer outras pessoas a fazê-lo.

3. Mais uma vez, Dilma Rousseff rejeita delações sem provas ou indícios. A verdade vira à tona.

G1

Em transcrição de áudio da PF, Aécio pede ajuda a Gilmar Mendes sobre lei de abuso de autoridade

gilmar_e_aecio

Polícia Federal apresentou registros de uma conversa telefônica entre o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF) combinando supostas articulações para a tramiação do projeto de lei que endurece as punições para autoridades que cometem abuso. A gravação foram feitas, segundo a PF, dentro das investigações da Operação Patmos, que tem como foco endereços e pessoas ligadas a Aécio no Rio, em Brasília e em Belo Horizonte.

O projeto foi aprovado pelo Senado Federal no fim da tarde do dia 26 de abril. Na manhã do mesmo dia, a Polícia Federal gravou uma chamada telefônica feita por Aécio Neves para Gilmar Mendes, na qual Aécio pede a ajuda do ministro do STF para convencer o senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA) a acompanhar o voto de Aécio. O objetivo, segundo afirmou Aécio na conversa, é “dar uma satisfação para a bancada”.

Leia a nota divulgada na tarde desta sexta-feira (19) pelo ministro Gilmar Mendes: “Desde 2009 o ministro Gilmar Mendes sempre defendeu publicamente o projeto de lei de abuso de autoridade, em palestras, seminários, artigos e entrevistas, não havendo, no áudio revelado, nada de diferente de sua atuação pública. Os encontros e conversas mantidas pelo ministro Gilmar Mendes são públicos e institucionais.”

A chamada começou às 9h29 e durou um minuto e 36 segundos. Leia a transcrição completa feita pela Polícia Federal:

  • Aécio Neves: Oi, Gilmar. Alô.
  • Gilmar Mendes: Oi, tudo bem?
  • Aécio: Você sabe um telefone que você poderia dar que me ajudaria na condução lá. Não sei como é sua relação com ele, mas ponderando… Enfim, ao final dizendo que me acompanhe lá, que era importante… Era o Flexa, viu? [Aécio se referia ao senador Flexa Ribeiro]
  • Gilmar: O Flexa, tá bom, eu falo com ele.
  • Aécio: Porque ele é o outro titular da comissão, somos três, sabe?… Né…
  • Gilmar: Tá bom, tá bom. Eu vou falar com ele. Eu falei… Eu falei com o Anastasia e falei com o Tasso… Tasso não é da comissão, mas o Anastasia… O Anastasia disse “Ah, tô tentando… [incompreensível]…” e…
  • Aécio: Dá uma palavrinha com o Flexa… A importância disso e no final dá sinal para ele porque ele não é muito assim… De entender a profundidade da coisa… Fala ó… Acompanha a posição do Aécio porque eu acho que é mais serena. Porque o que a gente pode fazer no limite? Apresenta um destaque para dar uma satisfação para a bancada e vota o texto… Que vota antes, entendeu?
  • Gilmar: Unhum.
  • Aécio: Destaque é destaque é destaque… Depois não vai ter voto, entendeu?
  • Gilmar: Unhum. Unhum.
  • Aécio: Pelo menos vota o texto e dá uma…
  • Gilmar: Unhum.
  • Aécio: Uma satisfação para a ban… Para não parecer que a bancada foi toda ela contrariada, entendeu?
  • Gilmar: Unhum.
  • Aécio: Se pudesse ligar para o Flexa aí e fala…
  • Gilmar: Eu falo pra com ele… E falo com ele… Eu ligo pra ele… Eu ligo pra ele agora.
  • Aécio: …[incompreensível]… importante
  • Gilmar: Ligo pra ele agora.
  • Aécio: Um abraço.
  • ‘Se quiserem, me derrubem’, afirma Temer ao negar de novo a renúncia

    Enfrentando a mais grave crise de seu governo, o presidente Michel Temer (PMDB) diz que renunciar seria uma admissão de culpa e desafia seus opositores: “Se quiserem, me derrubem”. Em entrevista à Folha no Palácio da Alvorada, Temer afirma que não sabia que Joesley Batista, que o gravou de forma escondida, era investigado quando o recebeu fora da agenda em sua residência em março –embora, naquele momento, o dono da JBS já fosse alvo de três operações. Sobre o ex-assessor Rodrigo Rocha Loures, flagrado correndo com uma mala de dinheiro, Temer diz que mantinha com ele apenas “relação institucional”. A atitude de Loures, para o presidente, não foi “aprovável”. Mas ele defende o caráter do ex-assessor. “Coitado, ele é de boa índole, de muito boa índole.” Confira a entrevista da FOLHA com o presidente.

 

Um a cada três eleitos no Congresso teve dinheiro da JBS

Empresário entregou lista com nomes de 166 políticos eleitos em 2014.
O dinheiro do JBS, principal conglomerado brasileiro do setor de carnes, ajudou a eleger um em cada três dos integrantes da Câmara e do Senado. O grupo foi o principal financiador privado de candidatos na eleição de 2014. Entre os documentos que os delatores do JBS entregaram à Procuradoria-Geral da República (PGR) está uma lista de deputados eleitos em 2014 e beneficiados por doações do grupo empresarial. Nela, há 166 nomes – 32% do universo de 513 deputados eleitos. No pacote de documentos também há uma relação dos atuais senadores, com um “OK” marcado ao lado do nome de cada parlamentar que recebeu recursos do JBS. A lista inclui 28 senadores, ou 35% do total de 81 parlamentares da Casa. O grupo fundado por Joesley e Wesley Batista fazia lobby no Executivo, no Congresso e nos governos estaduais para obter vantagens e ganhar mercado. Em ao menos um caso, houve compra de votos na Câmara para aprovar legislação que dava ao grupo benefícios tributários, segundo confissão dos delatores ligados à empresa. A existência dessa rede de influências pode provocar polêmicas futuras. Na hipótese de saída do presidente Michel Temer e eventual convocação de eleição indireta, um terço dos congressistas que elegerão o futuro presidente terá sido beneficiado por doações de campanha do causador da crise. *Estadão

OAB decide apresentar à Câmara pedido de impeachment de Michel Temer

O presidente Michel Temer já possui ao menos oito pedidos de impeachment protocolados na Câmara.
O Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) decidiu na madrugada deste domingo (21) apoiar o impeachment do presidente Michel Temer e formular pedido a ser protocolado na Câmara dos Deputados. Formado por bancadas com representantes dos 26 Estados do país e o Distrito Federal, o Conselho decidiu fazer uma reunião extraordinária, na sede da instituição, em Brasília, diante dos fatos da última semana. Antes das deliberações deste sábado, a maior parte das bancadas já havia se posicionado pela cassação do presidente. Em geral as bancadas expressam a opinião das seccionais da OAB nos estados. Ao todo, 25 bancadas decidiram pelo impedimento do presidente. O Amapá votou contra. Acre não compareceu. O presidente Michel Temer já possui ao menos oito pedidos de impeachment protocolados na Câmara. A OAB montou uma comissão com quatro conselheiros para analisar os documentos divulgados na última quinta-feira pelo STF (Supremo Tribunal Federal), sobre a delação dos irmãos Batista, donos da JBS. A delação serviu de base para abertura de inquérito contra o presidente no STF. No início da tarde de sábado, o presidente Temer discursou à nação e buscou descreditar o delator.

Deputado Davidson Magalhães

Deputado Davidson Magalhães se reúne com estudantes em Camamu

img_8021

 

O Deputado Davidson Magalhães se reuniu nesta sexta-feira (19) em Camamu para explicar a situação política que o Brasil vive. A reunião contou com a presença de alunos da rede pública e privada, integrantes de partidos políticos, professores, secretários, membros de organizações e vereadores, que foi bastante esclarecedora segundo depoimentos de alguns alunos.

Os temas abordados foram diversos desde a questão de reforma da previdência à operação da polícia federal sobre o presidente Temer  e o Senador, atualmente afastado, Aécio Neves. O Deputado também respondeu todas as perguntas feitas pelos alunos de forma clara e carismática. (Diário de Camamu)

Prefeitura de Camamu promove Treinamento em Gestão Pública para servidores

Neste sábado, (20), aconteceu um Treinamento em Gestão Pública voltado para os servidores da área administrativa de todas as secretarias da prefeitura, das 08 às 13h, no Colégio Pirajá.

Segundo a prefeita Ioná Queiroz, o objetivo do curso foi o de promover um melhor alinhamento nas áreas de Administração, Finanças e Controladoria além de capacitar os funcionários em relação as normas gerais da Gestão Pública que está sempre sendo atualizada, para a excelência da gestão com responsabilidade nos gastos públicos.

“Uma gestão de qualidade se faz com capacitação, qualificação e integração”, comentou a prefeita. Esse foi o primeiro de vários treinamentos e cursos que ainda serão promovidos pela prefeitura.

A palestrante foi a mestre em ciências contábeis, Elisângela Fernandes, que é especialista em gestão pública. Os funcionários que participaram se demonstraram bastante satisfeitos com os conhecimentos adquiridos. (Ascom/Camamu)

Nosso Site e de Integra Veracidade nas Informações e Noticiarios