O DESASTRE POLITICO DO BRASIL

Ministro Admar Gonzaga vota contra a cassação da chapa Dilma-Temer

Ministro Admar Gonzaga vota contra a cassação da chapa Dilma-Temer

Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE

O ministro Admar Gonzaga, o terceiro a votar no processo de cassação da chapa Dilma-Temer, reiterou a posição já declarada nos dias anteriores, e se colocou contra a condenação da chapa vencedora nas eleições de 2014.

Em leitura de seu voto, o ministro buscou contrapor às alegações discursadas pelo relator Herman Benjamin, de que recursos lícitos e elícitos da Odebrecht e da Petrobras abasteceram as campanhas de Dilma Rousseff e Michel Temer.

Para ele não há provas para as acusações. “Não há prova segura e cabal de que as doações para campanha de 2104 tenham decorrido do esquema ilegal de repasse de propinas da Petrobras ou que recursos repassados por empresas teriam necessariamente origem ilegal”, disse.

O relator do julgamento, Herman Benjamin, foi o primeiro a se posicionar na sessão, e votou a favor da cassação da chapa Dilma-Temer. Já o ministro Napoleão Maia Filho votou contra.

Segundo ministro a votar, Napoleão Maia é contra cassação da chapa Dilma-Temer

Segundo ministro a votar, Napoleão Maia é contra cassação da chapa Dilma-Temer

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O ministro Napoleão Maia Filho, um dos sete ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgando a ação em que o PSDB pede a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, foi o segundo a anunciar seu voto nesta sexta-feira (9), e se colocou contra a condenação da chapa vencedora nas eleições de 2014.

“O meu voto é no sentido de não dar por provada a imputação. Não dou por provada. Vou divergir do voto do relator. Divirjo do voto apresentado pelo relator”, disse o ministro.

O relator do julgamento, Herman Benjamin, foi o primeiro a se posicionar na sessão, e votou a favor da cassação da chapa Dilma-Temer. Com a posição do segundo ministro, a decisão segue empatada.

Ministro do TSE deseja “ira do profeta” contra executivo da JBS que o delatou e faz gesto de decapitação; veja

Ministro do TSE deseja 'ira do profeta' contra executivo da JBS que o delatou e faz gesto de decapitação; veja

Foto: Reprodução/TV TSE

Depois que seu filho foi barrado na tarde desta sexta-feira na sala principal do TSE, o ministro Napoleão Nunes Maia fez uma explanação chocante no plenário da Casa — que julga a chapa Dilma-Temer. Citado na delação de Francisco Assis e Silva, executivo da JBS, Maia declarou que deseja ver “a ira do profeta” caindo sobre a cabeça de quem o delatou. Em seguida, fez o gesto de decapitação.

“Também da JBS despachei nove processos… Despachei nove processos envolvendo um advogado chamado Willer Tomaz. E segundo um delator chamado Assis não sei do quê…Esse Willer Tomaz teria dito a ele que combinou comigo que eu intercedi… Eu não conheço esse camarada. A mentira é desse Assis, que disse isso pra me incriminar em troca das benesses que recebeu. A delação está servindo para isso…”, afirmou.

Napoleão disse ter sido questionado pelo diácono de sua igreja sobre as delações, para então detalhar o que gostaria que acontecesse com seu delator. “Com a medida com que me medem serão medidos. E sobre ele desabe a ira do profeta. É uma anátema islâmica. A ira do profeta não vou dizer o que é. Vou fazer um gesto [faz o sinal de decapitação]. É o que eu desejo”, declarou.

Veja:

 

Explosão em sonda a serviço da Petrobras deixa quatro pessoas feridas

Explosão em sonda a serviço da Petrobras deixa quatro pessoas feridas

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Uma explosão na sonda de perfuração de poços NS 32, que presta serviços para a Petrobras, deixou quatro feridos na manhã desta sexta-feira (9), na região do campo de Marli, na Bacia de Campos.

Três vítimas tiveram queimaduras pelo corpo e a quarta ficou com ferimentos leves, de acodo com infroamções da Petrobras. A empresa disse ainda que não houve incêndio nem danos ambientais.

Segundo o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF), a explosão ocorreu em uma caldeira da sonda que estava em manutenção.

A Petrobras disse que está investigando o que motivou o acidente. “O plano de emergência foi acionado imediatamente e equipes especializadas estão monitorando a sonda, que já se encontra em condição segura”, disse a Petrobras.

Governo federal disponibilizará R$ 25 milhões para programa na Cracolândia em SP

Governo federal disponibilizará R$ 25 milhões para programa na Cracolândia em SP

Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil

O Governo federal vai disponibilizar R$ 25 milhões para o programa Redenção, que combate o problema da dependência química na Cracolândia, em São Paulo. O anúncio foi divulgado nesta sexta-feira (09) pelo prefeito João Doria e pelo ministro de Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra.

“O ministro, desde o início, foi solidário, nos ajudou no posicionamento, no planejamento e agora também na operacionalização, com a destinação destes recursos e o acompanhamento, ao longo dos próximos meses, podendo até ampliar este investimento para o programa Redenção”, afirmou Doria em entrevista coletiva na sede da Prefeitura.

Loures se cala em primeiro depoimento e não responde perguntas da Polícia Federal

Loures se cala em primeiro depoimento e não responde perguntas da Polícia Federal

Foto: Brizza Cavalcante/Câmara dos Deputados

O ex-deputado Rodrigo Rocha Loures optou pela estratégia do silêncio em seu primeiro depoimento à Polícia Federal, nesta sexta-feira (9). Ex-assessor do presidente Michel Temer, Loures foi interrogado pela PF, mas preferiu ficar calado, sem responder qualquer uma das perguntas dos federais no inquérito da Operação Patmos, desdobramento da Lava Jato, que mira Temer e ele.

O ex-assessor foi preso por ordem do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, no último sábado (3). Loures foi flagrado em 28 de abril correndo por uma rua dos Jardins, em São Paulo, com uma mala com propinas da JBS – 10 mil notas de R$ 50, somando R$ 500 mil.

“Tendão de Aquiles”: JBS é alvo de nova operação da Polícia Federal

'Tendão de Aquiles': JBS é alvo de nova operação da Polícia Federal

Foto: Valter Campanato / Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira (09) a Operação Tendão de Aquiles para apurar se as empresas JBS e FB Participações usaram indevidamente informações privilegiadas em transações de mercado financeiro entre abril e maio deste ano.

A investigação apura dois eventos: o primeiro é referente a venda de ações de emissão da JBS S/A na bolsa de valores, por sua controladora, a empresa FB Participações S/A, no final de abril. Já o segundo é relacionado a compra de contratos futuros de dólar na bolsa de futuros e de dólar no mercado de balcão, entre o final de abril e em maio de 2017, de acordo com informações do portal G1.

A operação é em conjunto com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A PF cumpriu três mandados de busca e apreensão nas empresas do grupo JBS e quatro mandados de condução coercitiva. O inquérito policial foi instaurado em 19 de maio, quando a PF teve conhecimento do Comunicado ao Mercado nº 02/2017 da CVM sobre a instauração de cinco processos para apuração desses fatos. Os suspeitos poderão ser responsabilizados pelo crime previsto no Artigo 27-D da Lei 6.385/76, com penas de um a cinco anos de reclusão e multa de até três vezes o valor da vantagem ilícita obtida.

Relator no TSE finaliza voto e pede cassação de chapa Dilma-Temer

Relator no TSE finaliza voto e pede cassação de chapa Dilma-Temer

Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Herman Benjamin, relator do julgamento da ação em que o PSDB pede a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, concluiu a leitura de seu voto, e decidiu pela cassação da chapa vencedora nas eleições de 2014. Para ele, houve abuso de poder econômico e político.

Após a leitura do relador, o ministro Luiz Fux, substituindo o presidente da Corte, Gilmar Mendes, interrompeu a sessão desta sexta-feira (9), que deve ser retomada por volta das 15 horas. Após o intervalo, os outros seis ministros começarão a proferir seus votos. Ficou acordado, a princípio, que cada ministro terá direito a 20 minutos de fala.

Depois de decidir sobre a cassação do mandato, a Corte vai definir se tornará inelegíveis a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) e o presidente Michel Temer (PMDB).

Dilma-Temer: Otto questiona imparcialidade no TSE e critica estrelismo de Gilmar Mendes

Dilma-Temer: Otto questiona imparcialidade no TSE e critica estrelismo de Gilmar Mendes

Foto: Tácio Moreira/Metropress

Durante entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta sexta-feira (9), o senador e presidente do PSD na Bahia, Otto Alencar, comentou o julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e criticou o estrelismo do presidente Gilmar Mendes.

Questionando os posicionamentos de Mendes, Otto concordou que o ministro se comporta como um advogado de Michel Temer (PMDB). “Se por um acaso o processo fosse exclusivamente para cassar Dilma, passaria tranquilo. Mas como tem Temer… Temer nem precisa contratar advogados, todos já estão lá no TSE”, declarou.

“Basta olhar a militância política dele [Gilmar Mendes]. Nas gravações, Aécio [Neves] pede pra ele ligar para o Flexa Ribeiro, e eu confirmei isso, pedindo para aprovar o projeto de abuso de autoridade. Gilmar dá entrevista toda hora, disse que o colega Herman Benjamin, é falacioso. Já chegaram 4 pedidos de impeachment contra Gilmar”, acrescentou. Ainda de acordo com o senador, “juiz tem que falar nos autos”.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s